quantas terças-onze-de-setembro conheces?

“We will remember you. I hope you will remember us.”

por Ken Loach.

Sobre Sassmine

evil fingering.
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

17 respostas a quantas terças-onze-de-setembro conheces?

  1. Dylan diz:

    Quantos moralistas de esquerda conheces?…

    • Sassmine diz:

      uns quantos. mas se estamos em maré de generalizações, posso dizer que uns quantos bem menos assustadores que os muitos beatos salivantes de direita.

      • martinez diz:

        merci, merci de ce post, il ne faut pas oublier aucun des 11 septembre, auncune torture, aucun viol, aucune répression, injustice…chacune, chacun de nous a le devoir de le pointer, témoigner, montrer… continuer la lutte pour pouvoir le dire.
        Je n’ose imaginer la peur, la douleur de toutes ces vies fauchés, donc pas de cynisme….please!
        Merci Sassmine, abraço de Paris, num dia triste e que a esperança ganhe todos os dias dos nossos dias de todos nos.
        LM

      • Dylan diz:

        Engana-se, nem de direita nem de esquerda. Apenas que a sua comparação é ridícula, mas se estamos em maré de generalizações, aguardo ansiosamente por um mísero “videozinho” das outras vítimas de regimes de inspiração marxista que a sua raiva anti-americana desperta…

        • Sassmine diz:

          ui, rápido a enfiar o barrete, ó Dylan. só agora é que percebi que era a mim que estava a chamar moralista de esquerda, veja lá. não me qualifica quem quer, fofinho, mas quem pode.

          quanto à raiva anti-americana, no dia da tomada de posse do Obama afirmei que tinha acabado de começar o século XXI. continuo com esperança de não estar enganada. sou tão anti-americana como sou anti-portuguesa. se calhar devia ter cuidado a escrever isto, não vá começar para aí a operar uma comissão para as actividades anti-portuguesas, já estivemos mais longe…

          quanto à comparação, nem é minha, é do Ken Loach. reparou? de resto, comparar duas tragédias políticas e humanitárias ocorridas no mesmo dia do mês e da semana (isto nem entrando portanto por aquelas coincidências do Kissinger mandar no Pinochet, e tal, que são mitos dos comunas, claro) é ridículo? ó Dylan, olhe-se ao espelho, é defícil ser mai’redículo do que os coments que aqui deixou.

    • De diz:

      Este “comentário” é um vómito.

      Ponto final parágrafo

      Obrigado,muito, pelo vídeo Sassmine.
      (e hoje também aprendi algo de Santo Agostinho…as filhas, lindas, da esperança- a raiva e a coragem
      “raiva pelo estado das coisas…coragem para mudá-las”
      É isso mesmo

      • Sassmine diz:

        é a melhor frase do filme, de facto.
        e pois, é isso mesmo. 🙂

      • Dylan diz:

        Há medicação para isso, mas se não tiver tempo para ir à Farmácia, uma leitura pela História dar-lhe-à uma perspectiva de muitas outras vítimas originadas por regimes semelhantes ao de Allende.

        • Sassmine diz:

          É. O Allende era um verdadeiro sanguinário. Será que há livros de História do Chile? Não, não deve haver. Ou então são num alfabeto que o Dylan (mal-empregado nome, jesus!) não consegue decifrar. Coitadinho…

          E medicação para quê? Para a paciência de ler e responder aos seus tristes comentários? Pois, se calhar devia pensar nisso, devia, mas depois como é que o Dylan desenvolvia a sua extraordinária, refinada e clarividente verve? Que mal-agradecido, credo…

        • De diz:

          Farmácia?
          E depois na ausência da farmácia,passa para a História?
          Que grande confusão anda na cabeça de alguns
          Será por isso que tentam mascarar os crimes aqui denunciados?
          Será por isso que tudo lhes serve,desde que oculte os crimes do imperialismo?
          Até boutades como as que este “Dylan” profere?
          “Vítimas originadas por regimes semelhantes ao de Allende.”?
          Será que esta coisa saberá quem foi Allende?

          • Sassmine diz:

            não sabe, com certeza. e acha que o Kissinger é aquele senhor gordo vestido pela coca-cola que lhe traz os presentes de natal. saúdinha, é o que lhe desejo. que é para não ter de ir muitas vezes à farmácia. 😉

  2. Pingback: Do Chile à Nicarágua | cinco dias

  3. Helena Borges diz:

    É o vídeo do dia, Sass. Obrigada.

  4. Xana diz:

    We should remember them all, and the world often forgets Chile, thanks, I will share it

Os comentários estão fechados.