Eles não têm tomates para isso…


Pedro Passos Coelho e Vítor Louçã Gaspar foram lestos, muito lestos, a encontrar uma forma de roubar metade do Subsídio de Natal aos trabalhadores portugueses. Já quanto à taxação das grandes fortunas, ah e tal, vamos pensar, logo se vê.
Como é óbvio, a não ser que tomem alguma medida meramente simbólica para tapar os olhos aos burros, tipo uma taxa de 1% sobre os bens móveis, Pedro Passos Coelho e Vítor Louçã Gaspar não vão ter coragem para mais nada. Vão alegar o perigo da fuga de capitais, mas a realidade é outra. O que eles defendem é os seus amigos, aqueles que mais contribuiram para as suas campanhas eleitorais, para a sua chegada ao poder. Não há almoços grátis.
E no fundo, defendem-se também a eles próprios, que também seriam chamados a contribuir se a medida avançasse. Basta olhar para as Declarações de Rendimentos entregues no Tribunal Constitucional por ministros como Paulo Macedo, José Pedro Aguiar-Branco ou Miguel Relvas.
Já em relação aos socialistas, o que têm a menos em tomates têm a mais em falta de vergonha. Depois de terem estado no poder nos últimos 6 anos (e em 8 dos 10 anos anteriores), vêm com a maior das canduras propor a taxação dos rendimentos do capital e falar de justiça social. E então por que é que não tomaram essa medida e aprovaram um dos muitos projectos que PCP e BE apresentaram? O Carlos Guedes responde.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 Responses to Eles não têm tomates para isso…

Os comentários estão fechados.