As viúvas de Sócrates

Há uma pandilha na blogosfera que continua a espernear. São os últimos moicanos. Ainda não descobriram que Sócrates, como homem coerente, foi-se embora no mesmo dia da semana que se licenciou: a um domingo. Tirando eles, já ninguém liga à criatura. Um dos saudosos (será da política de ajuste directo?) o Valupi brinda-me com a seguinte frase:

“O 5 Dias acabou por ser o blogue do Nuno Ramos de Almeida, um dos fundadores. O Nuno é a matriz que inspira o actual folclore radical anti-poder e anti-sistema. Acontece que ele próprio depende do sistema, sendo um jornalista que trabalha para os maiores capitalistas e reaccionários que tenham serviço para lhe dar. Foi assim que andou alegremente na TVI a mando da Moura Guedes”.

A ideia do jornalista andar a mando é maravilhosa: pela mesma lógica parva podíamos dizer  que a luz dos olhos do publicitário do Aspirina b é um capacho do João Marcelino.

A teoria é peregrina. Aplica-se também aos desmandos contra o Figueira. Quando se é contra o capitalismo tem de se ir para a selva e montar uma comuna autogerida. O capitalismo tem a particularidade de existir em todo o mundo. Ao contrário de alguns, a maioria não pode viver sem trabalhar.

PS- Usando a terminologia tão criativa do Valupi, o mastim dos manos Oliveiras, certamente soprado pela fada das sandálias, veio usar a sua coluna para mais um ajuste de contas. Não há como um repórter dos hotéis de cinco estrelas para elevar a questão.

 

 

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

62 respostas a As viúvas de Sócrates

  1. Kid Karocho diz:

    “Quando se é contra o capitalismo tem de se ir para a selva e montar uma comuna autogerida.”
    Não é isso que está em causa. O que está em causa é o militante de um partido com determinados valores e posições bem definidas ir trabalhar para aquilo que para todos os efeitos é um gabinete de propaganda, para defender posições diametralmente opostas.
    Conservar nessas circunstâncias o cartão de militante é de uma hipocrisia e desonestidade intelectual sem limite.
    Isso é como dizer polícia de choque que malha nos manifestantes, coitado, até simpatiza com eles e as suas causas, mas como é bom profissional, tem de lhes rachar a cabeça à cacetada, embora isso lhe parta o coração sensível.
    Mas vocês tomam-nos todos por parvos, ou quê?

    • Nuno Ramos de Almeida diz:

      Karocho, não sei de quem está a falar. Que eu saiba o António Figueira não é militante de nenhum partido. Foi do gabinete dos porta-vozes da Comissão Europeia. Esteve no serviço diplomático. Foi membro de um gabinete de um governo PS. Esteve numa agência de comunicação a trabalhar para clientes que não tinha que gostar nem de ser sócio. E hoje está num governo. Eu já escrevi como jornalista em sítios tão distintos como a SIC, o Já, a Visão, a Focus, a RTP, a TVI e o i , entre outros. É suposto ter que ter a mesma opinião política dos donos das empresas?

    • António Figueira diz:

      O que conhecerá o Kid Karocho (sic) da vida do António Figueira que o próprio António Figueira desconhece e o autoriza a ser juiz da sua moral? Haja pachorra! E para ti, Nuno, o agradecimento da tua indefectível amizade e, mais do que isso, da solidez do teu julgamento: eu sei o que faço, e por que o faço, e sei que tu também sabes que eu sei.

  2. Renato Teixeira diz:

    “Carlos Vidal e Renato Teixeira são os mais exuberantes obreiros de um marketing que os restantes autores aprovam e aproveitam. O estilo hard-core é um sucesso no mercado.” Quase mais elogioso do que o José Pacheco Pereira embora ao estilo, já se sabe, do Ferreira Fernandes.

    O que é brilhante nas Viúvas do Sócrates (que síntese… Ufa!) é que até ver são eles os donos dos governos mais à direita em Portugal desde o 25 de Abril. Não há cavaquismo ou relvismo que os valha para limpar os crimes do CV.

    • Kid Karocho diz:

      Pois é, ó Renato. O PPC, o PP, o Relvas, o Mr. Bean, o Álvaro, a Tia Assunção, o Opus Macedo estão à esquerda do Sócrates.
      Alás foi para potenciar esta viragem à esquerda da política portuguesa que o Figueira aceitou o convite do Relvas.
      Bem visto!

      • Renato Teixeira diz:

        Oh caruncho, em matéria de facto o PS estará sempre à direita do PSD uma vez que a sua base social de apoio leva sempre mais tempo a abrir a pestana. Capice?

        • Kid Karocho diz:

          Ainda vou ver uma coligação PCP, PSD. Parece que agora é aqui que está o “centrão” segundo o Renato

        • Kid Karocho diz:

          Já agora, se um de vocês se cruzar pela São Caetano com a Zita, mandém-lhe beijinhos da minha parte, OK? 😉

  3. pappy diz:

    Os sucialistas são assim uma espécie de fascistas em estado larvar e,então qdo estão no governo é um fartar vilanagem.Ah!Nunca vi na ‘nossa’ imprensa ‘pluralista’ que um tal de mário soares vendia armas à UNITA esse movimento democrático.Mas,está-se bem com as ações da NATO,organização terrorista do atlantico norte,isto é uma democracia a toda a prova com crimes de guerra e contra a humanidade.

  4. Daniel Ferreira diz:

    Sim sim, talvez por isso senhores como o Figueira, depois de um primeiro comentário, irónico, ao seu último texto neste blog, se recusem a aceitar um segundo, rectificativo:

    «Sou-te sincero e não quero que tomes isto como uma falta de respeito: estava a ser irónico. É por estas e por outras que, se gajos como tu, ou outros, de outras ideologias, da esquerda à direita, do centro até ao fundo, me oferecessem alguma coisa (um bilhete para um espectáculo, uma caneta, um aperto de mão) eu rejeitaria como já rejeitei veemente em meios mais autárquicos. Acho qualquer desculpa para este tipo de emparelhamentos, mesmo mínimos (daí o exemplo aparentemente mesquinho), uma desculpa para a falta de carácter a que nos obrigam os mecanismos vigentes (neo-liberais?) deste mundo sério que, não por acaso, se afunda. Se não consegues ver isso, o cenário é o seguinte: és um bom profissional – não tenho dúvidas -, mas se calhar não és tão consciente como mereces.*

    * não falo por mal, acredita.»

    Não queria no entanto com isto dizer que trabalhar na tvi ou ser publicitário, ou ferramenta de um governo, não se coadunam com uma posição esquerdista e de luta, que não é justificável, sem dúvida que é; simplesmente, como no caso do Figueira, demonstra uma grande falta de coerência e consciência. Mesmo assim, a meu ver, mais vale do que ser de direita e pronto! Lá nos vamos habituando. Ao melhor, não mas ao menos mau. Digo eu que felizmente não tenho morrido de fome.

    • Nuno Ramos de Almeida diz:

      Daniel, para si, todos os publicitários são de direita e todos os jornalistas da TVI aspas. Fascinante. Tirando, o Pedro Silva Pereira, salvo erro antigo editor de notícias religiosas, que continuava até à pouco tempo com vínculo à TVI, não me lembro de muitos gajos de direita na TVI a fazerem que são de esquerda. Mas eu tenho a vantagem de lá ter trabalhado.

      • Daniel Ferreira diz:

        Pior, para mim todas as generalizações são perigosas e muito pior quando as pessoas só entendem o que querem e deitam fora o que não lhes interessa. O cerne do que queria dizer, está aqui: “Não queria no entanto com isto dizer que trabalhar na tvi ou ser publicitário, ou ferramenta de um governo, não se coadunam com uma posição esquerdista e de luta, que não é justificável, sem dúvida que é; simplesmente, como no caso do Figueira, demonstra uma grande falta de coerência e consciência.” Se encontrou algo que lhe disse “todos os publicitários são de direita e todos os jornalistas da TVI aspas.” fascinante, digo agora eu. E repito. Mais uma vez, pode-se comprovar, infelizmente alguma falta de coerência – que, se reparar bem, é um dos grandes problemas da racionalidade contemporânea. Pode ser publicitário, trabalhar na tvi, limpar esgotos, conduzir avionetas e não ter ideologia política. Pode também ser tudo isso sendo de esquerda, como é óbvio. Mas neste último caso parece-me contraproducente e vergonhoso, apenas isso.

  5. |Y| diz:

    Eu não faço a mínima se o António é de x ou y partido político. Acusam-no porquê? De quê exactamente? Traição? (como é que pode haver traição se o homem foi sensato ao ponto de não se casar com qualquer um destes berdamecas???) É um profissional da comunicação social, tal como o Nuno. Imaginemos, por exemplo, que o António simpatiza com algumas das posições do PSD?? Qual seria o problema? Deverá o homem ser obrigado a cultivar uma coerência dogmática IMAGINÁRIA???????? (eu passo por aqui há anos e ainda não sei se o António obedece às leis da lógica binária esquerda-direita. Mas sempre presumi que o António é um liberal (clássico, Mill) Igualitário (na boa tradição Brit que ele conhece e admira, tal como eu. Presumo também que o liberalismo igualitário é coisa desconhecida dos padrecos e padrecas que se apressam a acusar x e y e z e ad infinitum (há até uma, a da f., que vilifica as insinuações sórdidas etc…de forma sinuosa e sórdida…gosto de testemunhar estas contradições sintéticas (x e o seu oposto num mesmo momento expressivo, é liiiindo! desculpa f, eu tb gosto muito do q escreves e respeito-te—mas isto irritou-me sobremaneira…) Militants are direct, are they not?!?!? you are a militant.

    O António, como diz o Nuno, não é militante de nenhum partido.
    Não pode trabalhar na area em que SEMPRE trabalhou?? Não é um paraquedista de ocasião.
    Não é militante e é profissional de comunicação.
    Escrever para o 5 equivale a um cartão do PCP ou BE???

    Qual é a contradição? Expliquem-me, por favor.

    Se os veros comunas aqui do 5 comportarem-se como totalitários saneadores vis a vis António, todos perceberão que eles são mesmo uns totalitários de merda….e que apenas sabem conviver com membros da sua tribo.

    • António Figueira diz:

      Nada há que temer, grande Z: aqui discute-se, agride-se, esperneia-se: mas, como tu bem sabes, isto é um blog de gente um bom bocado louca, mas, no fundamental, de gente livre. Como percebeu quem conta, assumi um emprego público, e fico honrado por ter sido escolhido, porque sei que essa escolha foi curricular e não política, e não me exige nenhum tipo de contrapartidas que seriam obviamente indignas. Abraço grande – e perdoem-me os outros, mas só volto lá para a noite.

      • Kid Karocho diz:

        Olha o António! Tudo bem pá? Se vires a camarada Zita lá para as bandas da São Caetano dá-lhe as minhas saudações revolucionárias!

  6. Carlos Vidal diz:

    Isto é delicioso:

    “Há uma pandilha na blogosfera que continua a espernear. São os últimos moicanos. Ainda não descobriram que Sócrates, como homem coerente, foi-se embora no mesmo dia da semana que se licenciou: a um domingo. Tirando eles, já ninguém liga à criatura.”

    !!!!

    (Mas eu até não ficaria muito aborrecido se o visse na barra de um tribunal, por icompetência e demais assuntos. Pelo menos eu, se dirigisse, vá lá, a Ordem dos Engenheiros proibiria qualquer coisa relacionada com JS. E fico-me por aqui.)

  7. |Y| diz:

    |Y| = Z = ezequiel

    vão berdamerda.

  8. António Fonseca diz:

    não é confundível o caso do Nuno Ramos de Almeida com o do António Figueira: no segundo trata-se de uma nomeação de confiança política. E não há grande volta a dar a isso. Infelizmente.

    • Kid Karocho diz:

      A volta será dada quando chegar aos ouvidos de um Domingos Abrantes, ou de um Vítor Dias qualquer, que o “blogue oficioso do PCP” é na realidade um ninho de “passistas” infiltrados.
      Vai ser um espetáculo em grande!

      • Nuno Ramos de Almeida diz:

        Karocho, você não percebe mesmo nada disto. O 5 dias tem bloquistas, comunistas, esquerdistas vários e independentes. Leitura tão limitadinha.

        • Nuno, queiras ou não o 5 Dias agora também tem passistas…

          • Nuno Ramos de Almeida diz:

            Filipe, tanta certeza e água benta. Tu decretas que por exercer funções técnicas num governo alguém é “passista” e o mundo inclina-se à tua vontade. Acho que levas socratismo demasiado longe. Não tens de repetir todas as parvoíces que o câmara corporativa escreve. O homem já se foi embora. Não deixa saudades.

      • A.Silva diz:

        Upa, upa. O 5 dias já passou a “blogue oficioso do PCP”, a coisa está bonita tá.
        Mas kid carunchoso, não se preocupe, a informação já foi passada ao cc e estão neste momento a reunir para decidir o castigo a aplicar ao antónio e ao nuno, por isso não deixe de passar por aqui que o espectáculo promete, ainda por cima com a ajuda e brilhantismo dos disparates das viúvas de sócrates, como parece ser o seu caso.

  9. Pingback: O caso António Figueira | Aventar

  10. |Y| diz:

    David Fonseca,

    não percebo. o psd tem confiança política em alguém que não é membro do partido?? se tem, acho muito bem.
    terá o psd percebido que o António é gajo inteligente e competente???
    lógica confusa, a sua.
    repito o que disse: o António nunca se definiu (nem tinha que o fazer, obvt) políticamente por estas bandas. o sr parece saber algo que eu não sei.

    é um cargo de nomeação política? pois bem, o que queria?? que fosse uma nomeação de que tipo?? não percebo.

    o homem é livre tal como as f’s e outros e outros foram livres.
    que coisa irritante.

    colam-lhe um rótulo na testa e depois acusam-no de traição.
    não foi ele que se rotulou.
    foram V Exas que simplesmente presumiram saber o que vai na cabeça do homem.

    isto é mesmo mesquinho.

  11. |Y| diz:

    Caro Nuno,

    e sempre foi esta liberdade do 5 que me fascinou. há aqui pa todos os gostos, quase.

    eu venho aqui deste o inicio, como comentador e não sou e nunca fui comuna ou esquerdoite sequer. tá tudo maluco.

    apesar dos dogmáticos de serviço, o 5 continua a ser o mais interessante blog de portugal.

    são mais liberais do que os ditos liberais (nunca fui censurado aqui mas já o fui noutros blogs que se afirmam liberais)

    n tenho pachorra para isto.

    o António sabe defender-se muito bem.
    ignorou-Vos. fez muito bem.
    espero que encontre no PSD malta que lhe dê o devido valor e ouça o que ele tem para dizer.
    especialmente no que diz respeito à protecção dos desfavorecidos. talvez aprendam alguma coisa com ele.

  12. Justiniano diz:

    Caro NRA, graça aqui algum exagero justificativo que à medida que se aprofunda se vai desmedindo (a comparação que aqui traça é um bom exemplo do mau exemplo) !! É evidente que há fidelidades e encómios devidos ao XIX por parte do A. Figueira e, à contrário, como é evidente, deveres de fidelidade com dimensão negativa que implicam entre outras coisas um estado de negação crítica!! Nem poderia ser de outro modo ou muito mal ficaria o A. Figueira por qualquer desmesura assim entendida!!
    O que se pode, deve, dizer!? Nada tenho que ver com a vida do A. Figueira e nem, naturalmente, nenhuma censura moral lhe será devida (o governo é legitimo e assim foi constitucionalmente autorizado)!! O que posso, no entanto, dizer é que a diferença entre o XVII, XVIII e o XIX vai-se desvanecendo e estão ambos muito próximos do prémio “pior Governo desde o tempo de D. Maria”, o XVIII por excesso e este por defeito, ambos por atrevida mediocridade, este pela do vazio e o outro pela do destempero!!
    Ostentar no curriculum a colaboração com qualquer um destes é um desatino, com os dois será um duplo ou triplo, não sei!! De qualquer maneira, boa sorte ao A. Figueira! (Pelo que me parece o tipo Relvas é um tipo cordial e educado, de trato mui fácil!!)

  13. Carlos Cunha diz:

    “Ao contrário de alguns, a maioria não pode viver sem trabalhar.”?
    mas o homem diz que vai perder dinheiro…

  14. raspa diz:

    Ainda não percebi que salganhada de influências políticas este blog é composto. Acho que voçês se deviam assumir mais, para serem mais coerentes. Comunistas bloquistas e passistas e o camandro… Uma pessoa assim perde o interesse pelo blog. Vieram todos mandar postas para este blog porque era mais barato? Não podiam fazer um blog só com postas de comunistas, outro só com postas de bloquistas, outro só de socialistas, etc, hã? Isto é um bocado esquizofrénico. Não se percebe bem a que partidos voçês pertencem… E depois, ir para trabalhar para este governo??? LOL. Vou ficar expectante com o desempenho deste senhor que foi convidado pelo Relvas. E já agora, a especialidade para a qual vai fazer “trabalhos e estudos” é qual? O despacho não diz. Brigadinho.

  15. raspa diz:

    Pois claro que leio se quiser, é obvio! Eu sei que a vida é mesmo isto; diversidade. Mas não respondeu à minha pergunta sobre a especialidade do feliz contemplado com o convite do Relvas… Deixe estar, se calhar ninguém sabe a resposta. Obrigado na mesma.

  16. António Fonseca diz:

    O António Figueira, militante do PCP, vai para assessor de comunicação (não sei se é este o termo) de Miguel Relvas ministro dos Assuntos Parlamentares de um governo do PSD e ex-vice-presidente do PSD. Assessor de comunicação, não é um motorista, implica uma enorme confiança política. Não é sequer comparável com trabalho jornalístico (estou a falar no plano teórico que é o que interessa aqui). Se Miguel Relvas tem confiança política no António Figueira e se o António Figueira pretende fazer crer que assessorar um ministro de um governo de direita (nem mais nem menos de direita que o anterior, diria o menos do pedro silva pereira) é um assunto meramente profissional, cai por terra a minha ideia de um António Figueira (para além de culto, irónico, mordaz e subtil) intelectualmente honesto e que em ultima instância sabia ver onde começa e acaba cada barricada.

  17. António Fonseca diz:

    “diria o mesmo”

  18. Estou contigo Nuno. Sei quem tu és e donde vens desde pequenino. Não vale a pena perder tempo com palermas encartados e mal intencionados.

  19. António Fonseca diz:

    e já agora, comentários do António Figueira como este “vou servir a função pública e perco dinheiro em relação ao meu emprego anterior”, confirmam a ideia anterior: o António Figueira quer mesmo tomar por parvos quem o lê. Por um lado como fica claro até pelo despacho, o António Figueira não vai simplesmente “servir a função pública” mas sim como se depreende, trabalhar activamente para que a mensagem (política e ideológica também) do governo passe mais e melhor nos órgãos de comunicação social. Logo contribuirá muito directamente para luta ideológica só que do lado do poder. Por outro ao assumir que a questão financeira não terá sido aquilo que pesou na decisão de aceitar o convite mais claro fica que, sem ingenuidades, o António Figueira não fez uma opção de profissional, fez uma opção política.

    • Fernando Lopes diz:

      clap! clap! clap!

    • Justiniano diz:

      Talvez tenha feito a opção entre um emprego que o angustiava e um emprego que o vai angustiar, e recebendo menos por isso (talvez a relação seja entre maior e menor angustia possível)!! (Não sei, acho que nada disso tem o menor interesse…o mais interessante neste XIX é a capacidade que tem(terá) de, à posteriori, enegrecer curriculum! Terá também a virtude de os desmistificar!! Se o A. Figueira conseguir manter o Relvas calado já terá prestado um excelente serviço à Republica)

  20. Fernando Lopes diz:

    A febre do serviço público chega ao 5 dias ou como passar de simpatizante do PCP a assessor do Ministro Relvas e ainda perder dinheiro com isso … 🙂

  21. john holmes diz:

    Nuno Ramos de Almeida, “funções técnicas”, o cacete. É um cargo de nomeação política, portanto, lidem com isso.

    • Nuno Ramos de Almeida diz:

      Até os motoristas e secretários são cargos de nomeação. Isso não faz deles dirigentes do PSD.

      • António Fonseca diz:

        O Nuno Ramos de Almeida quer fazer crer que o António Figueira vai “só” mandar emails com notas de imprensa? Ninguém falou em dirigente ou não dirigente do PSD, o que se aponta é que é uma falácia, por um lado embrulhar o caso com o do próprio Nuno Ramos de Almeida jornalista, por outro, mistificar a ideia de uma nomeação, que é política, que quer queiramos admitir ou não, implica participação e envolvimento concreto com a política do governo.

        • Nuno Ramos de Almeida diz:

          Vamos exemplificar. Todos os funcionários de uma câmara têm que seguir a política do executivo. Os dirigentes da cinemateca têm que aplicar seguramente as orientações da tutela. Mas isso não faz que sejam eles a decidir essas orientações. Alguém que elabore estudos: sejam eles económicos, jurídicos ou sobre comunicação pode ser alguém que é nomeado por uma tutela, mas não faz dele um militante partidário. Creio que o drama de determinados blogues é confundirem as coisas. Estão habituados a que esses cargos não sejam decididos com base na competência profissional, mas como uma ajudinha aos amigos da clientela.

          • Kid Karocho diz:

            Só que aqui, meu caro, o Figueira vai estar a trabalhar na produção de mensagens políticas que vão contra a corrente ideológica que diz defender.
            Das duas uma ou se estão a mandar os princípios às urtigas em troca do cargo, ou então se vai cumprir a missão com convicção e o Figueira “homem de esquerda” é uma fraude.

          • Justiniano diz:

            Eu não lhe dizia (lá atrás)…mas esta é mesmo descabelada!! Os funcionários da administração central e local têm prerrogativas de isenção e independencia oponíveis aos seus superiores (assim como muitas outras profissões, como bem sabe) que no caso das funções a exercer pelo A. Figueira não se aplicam, pela especial natureza do cargo!! Acho que é melhor o NRA cessar o discurso justificador, até porque nem é caso para isso!!

          • joão viegas diz:

            Calma, calma, ha uma excepção, pelo menos em principio, que são os profissionais liberais, aqueles que, supostamente, podem mandar o cliente à fava se ele procurar interfrir com a sua arte.

            Que eu perceba (mas sei muito pouco), o Figueira até era isso. Dai talvez alguma incompreensão?

            Mas cada um trata de si. Isto é apenas um pequeno reparo. Quem sou eu…

            Sigam com posts de substância pls

          • Justiniano diz:

            Mais, caro NRA, quem aqui chegásse, agora, e o lesse nesse registo seria levado a crer que o Figueira tinha sido nomeado para uma Comissão técnica de apoio à redacção do novo código deontológico dos jornalistas ou para a Comissão de estudo e definição do serviço publico de televisão, tal a grau de “objectividade” que ali vês, coisa que nem o mesmo Figueira subscreveria!!

          • john holmes diz:

            E-mail de Figueira para todoss os bloguistas do 5 dias pouco tempo antes de aceitar a nomeação:
            “Camaradas (…) tenho um convite (…) se acham que isto perturba a minha permanência no blogue (…)
            Saudações fraternas”
            O Nuno nunca teve problemas em julgar as qualificações dos outros quando se trataa de nomeações políticas, portanto, não venha agora atirar areia para os olhos.

          • Nuno Ramos de Almeida diz:

            Não me lembro que tenha julgado nenhuma nomeação política. Pode-me citar uma?

          • am diz:

            caro Nuno Ramos de Almeida

            não confunda alhos com bugalhos
            uma coisa é ser funcionário da administração pública (local ou nacional) e estar sujeito (como todos os trabalhadores) a direitos e deveres *
            outra coisa, bem diferente, é o “caso” presente

            * reduzir esses deveres e (ainda…) direitos a “seguir a política” é, para além de uma grosseira simplificação, de uma enorme infelicidade…
            se é isto a esquerda…

          • anónimo diz:

            o relvas foi competente. Aleluia!

            PS: mas só porque nomeou o figueira.

  22. john holmes diz:

    Nuno, como não quis perder mais do que um minuto no google, e porque isto ainda é um blog colectivo, aqui vai um exemplo dado por um colega teu: http://5dias.net/2011/08/01/nomeacoes/
    O que tu não queres entender é que tudas estas defesas casuísticas formam um precedente que é (e deve ser!) usado contra vocês.
    Feeliz por saber que estava certo quanto ao mail do Figueira a pedir solidariedade corporativa. Acederam ao pedido do Figueira, agora, aguentem-se à bronca com as vossas contradições.

    • Nuno Ramos de Almeida diz:

      Bom. Não conseguiste encontrar nenhum poste meu contra uma nomeação em concreto. E apanhaste um poste do tiago contra o critério abastardado dos jobs for the boys. O contrário do que sucedeu no caso do Figueira. Ele não é boy. Logo não se enquadra nessa nomeação. O meu desafio continua, não me lembro de ter escrito contra nenhuma nomeação de uma pessoa concreta. O blog é colectivo mas eu não tenho que estar de acordo com tudo aquilo que se escreve aqui.

      • António Figueira diz:

        Santa pachorra, Nuno!
        Ele há um caramelo que eu não conheço de lado nenhum, mas que afirma cheio de convicção que eu sou militante de um partido quando por acaso não sou, há outro (ou será o mesmo) que se chateia de eu preferir trabalhar no público a trabalhar no privado, outro que se zanga com o facto de eu aceitar ganhar menos no público do que no privado (e imagino o que ele me chamaria se eu fosse ganhar mais…)… Sério, gabo-te a pachorra – mas eu não a tenho nas doses abundantes que Nosso Senhor te concedeu: para mim o assunto acabou, quem percebe, percebe, quem não percebe, percebesse. Abraço, AF

      • john holmes diz:

        Não gosto de me repetir mas como ainda não publicaste o meu comentário: http://5dias.net/2010/05/06/acerca-da-recente-nomeacao-parlamentar-para-o-conselho-superior-da-seguranca-interna/
        Reitero que não é boa forma de argumentar arranjar precedentes casuísticos porque vais caír em contradição! Muito mais interessante era veres uns posts que o Vidal fez há uns tempos sobre ‘amiguismos’ e protecção dos mesmos. Se queres um precedente para esta defesa do Figueira, és capaz de encontrar algo aí.

  23. john holmes diz:

    Já agora, leva lá também esta: http://5dias.net/2010/05/06/acerca-da-recente-nomeacao-parlamentar-para-o-conselho-superior-da-seguranca-interna/
    Assim, no teu próximo comentário já podes dizer “Ah, mas esse caso era diferente porque [adicionar todos e quaisquer motivos que diferenciem prévia afirmação de Nuno Ramos de Almeida do caso do António Figueira]

  24. Carlos Pimentel diz:

    Não António, o assunto não terminou. Mantenha a calma, eu percebo que esteja nervoso.

  25. Pingback: A capitulação do jornalista ao capital at Aspirina B

  26. António Fonseca diz:

    António Figueira “quem percebe, percebe, quem não percebe, percebesse”. Nem mais.

  27. anónimo diz:

    Esta é a última oportunidade para os idealistas acordarem e enfrentarem a realidade: a canalhice também vem do sítio onde se diz ser virgem. Serão sempre os canalhas, homogeneamente distribuídos por todo o tipo de ideologias, a perverter qualquer outro ponto de equilíbrio que não seja o capitalismo. O capitalismo preenche todos os vácuos.

  28. Não entendo o porquê de tanto barulho.
    Hoje o PCP é um partido da pequena burguesia.
    Quando na nossa família (gente pobre) há um membro que toma partido dos ricos, ele deixou de nos pertencer.
    O que fez esse partido nos últimos anos (culpar o partido de esquerda mais votado no nosso país como sendo o responsável por todos os males) levando ao colo para o poder a miséria que lá temos hoje, o mínimo que estes senhores deviam fazer era respeitar aqueles que ontem lutaram pelos mais desfavorecidos.

Os comentários estão fechados.