Ou a revolução é do povo ou não será revolução

O Conselho de Segurança da ONU já obteve consenso para condenar a violência na Síria o que, a olhar para a história, é um forte presságio de que uma intervenção militar da NATO na região está em marcha. Na Líbia, onde essa estratégia foi utilizada pela última vez, o resultado salta à vistademasiado tempo.

Seria interessante saber se a oposição mantém o que disse um dos seus líderes, Ravdan Ziade, há um mês, em Moscovo: “No que respeita ao derrube do regime, apoiamo-nos, antes de tudo, no povo sírio. (…) A oposição síria é contra a ingerência externa na solução da crise na Síria”.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

5 respostas a Ou a revolução é do povo ou não será revolução

  1. Luís Teixeira Neves diz:

    E porque é que só o regime (ditatorial) pode fazer negócios com o Império e o povo (revolucionário) não?!

  2. subcarvalho diz:

    Ora…deixa-me lá pensar um bocadinho…ai que pergunta tão difícil…ai, já sei: porque se o povo é revolucionário, não faz negócios com o império!

  3. Luís Teixeira Neves diz:

    Preconceitos…

Os comentários estão fechados.