Loucura, era o que Hitler tinha de mais humano

O autor confesso do massacre de Oslo tem vindo a ser docemente arrumado no armário dos loucos. Ainda que Breivik tenha passado os últimos anos a produzir um enorme volume de textos de carácter xenófobo, ainda que circulasse com destreza nas redes da extrema-direita europeia e ainda que a sua acção tenha sido meticulosamente preparada ao abrigo de uma vida normal, parece que nada incomodará quem propaga a ideia de que se tratou de um acto tresloucado, perpetrado num país que tal “não merecia”.

no i

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

22 respostas a Loucura, era o que Hitler tinha de mais humano

  1. Jorge diz:

    Se não é louco, será o quê? Génio?

  2. Lurdes diz:

    Hitler sem dúvida! Mas também os seus camaradas Estaline, Lenine, Mao, etc. etc.

  3. rvn diz:

    caríssimo Tiago,
    a propósito de loucuras(!!) eis-me aqui, vivinho da costa e a dar-te aquele abraço que já tardava, digo eu… escusado será perguntar se estás bem, está à vista a execente forma em que te encontras.
    aqui fica o abraço, então

    do

    rvn

  4. Tiago Vasconcelos diz:

    E o que tem a dizer sobre Estaline que, como é sabido, matou mais ainda do que Hitler?
    Era um louco ou um representante do socialismo?

    • Carlos Vidal diz:

      Ai sim?, meu caro historiador.
      Estamos sempre a aprender.
      Lá dizia o outro, “estudar, estudar, estudar”.

      • Tiago Vasconcelos diz:

        O que é que contesta concretamente?
        Não se esqueça de fundamentar.

        • Carlos Vidal diz:

          Eu não contesto nada.
          Eu estou aqui para aprender, apenas.
          De resto, parece-me que a direita não pode olhar para Breivik – vê um dos seus, e vá de atirar sobre Estaline.
          Eu não contesto nada, mas sei que numa luta (de milénios, séculos, ou um século, o de Outubro, em que tudo parecia e PARECE encaminhar-se para uma “grande novidade”), os que ficaram pelo caminho, desde Spartacus e os seus, são um número sem conta. Estaline fez o seu papel – também icomoda muito a direita. (E não, não “incomoda” só os comunistas – porque será? Por exemplo, a mim não me incomoda nada.)

          • Tiago Vasconcelos diz:

            Então parece que tem muito a aprender.
            E a primeira coisa que tem a aprender é a ter vergonha na cara. «Estaline fez o seu papel» — diz o Vidal. Podemos então concluir que para este Vidal tratou-se de um socialista. A franqueza fica bem, mesmo quando ela não esconde a simpatia por um dos maiores criminosos da história da humanidade.

          • Mike diz:

            Não, não fez todo o seu papel, senão estes tiagos “de ” vasconcelos já estavam a servir de estrume à terra há muitos aninhos…

    • Gentleman diz:

      Se considerarmos mortes de não-combatentes, Hitler terá sido responsável por um número superior de mortos. Os historiadores apontam para que Hitler tenha sido responsável por aproximadamente 12 milhões de pessoas, enquanto Estaline por uns 9 milhões.
      Mas, pese embora este reparo, considero o essencial da tua questão pertinente. E, sabendo como os comunistas ficam tremendamente embaraçados quando se lhes fala em Estaline, aposto que ficarás sem resposta…

      • Armando Cerqueira diz:

        Parece-me que a questão em discussão é sobre ‘Herr’ Breivik, e não sobre outros assassinos. Parece-me que algumas pessoas procuram desculpar esse actor e ideólogo da Extrema-Direita norueguesa, quer recorrendo a comparações com Hitlers, Estálines, Maos-Tsé-Tung e quejandos, quer considerando-o louco.

        A menos que o provem cientificamente, tratou-se de um assassínio em massa, perpetrado intencional, conscientemente e ao longo de muito tempo, por um partidário de uma ideologia de extremíssima-direita.

        Sejamos/sejam sérios. Um crime é sempre um crime, e esse é hediondo. Uma tragédia para as vítimas e suas famílias e amigos.

        Não dá para ‘brincarem’ com a tragédia alheia nem para procurarem cobardemente atacar as ideologias que lhes são adversas. Sei de membros do PCP que nunca aceitaram os crimes de Estáline.
        Mas não vejo o Sr Tiago Vasconcelos denunciar e acusar os inúmeros e continuados crimes das potências capitalistas, nos diversos teatros de guerra, as execuções extra-judiciais, o espezinhar continuado dos direitos humanos mediante torturas, etc. Há infelizmente muitos ‘guantanamos’.

        Os princípios, Sr Vasconcelos, têm de ser defendidos em todas as circunstâncias e em relação a todos os indivíduos. E o seu capitalismo tão amado é responsável por milhões de mortes e estropiamentos.

        Armando Cerqueira

        • Tiago Vasconcelos diz:

          Está enganado. Denuncio e repudio atentados aos direitos humanos, venham de que quadrante político vierem.
          Se faz tanta questão que eu diga que Breivik é um louco de extrema-direita, eu afirmo-o convictamente: Breivik é um louco de extrema-direita.
          Na verdade, estou bastante à vontade, tanto para criticar os crimes da extrema-direita, como os da extrema-esquerda. Venho do quadrante político que, por comparação, menos atentados aos direitos humanos tem no seu curriculum: a democracia liberal. É por isso que me faz uma certa espécie ver esta obsessão por Breivik vinda de pessoas que têm imensos telhados de vidro… Desde o final da Segunda Grande Guerra a extrema esquerda marxista foi responsável por mais mortos, por mais atentados aos direitos humanos do que a extrema-direita. Mais crimes, mesmo até descontando Estaline. Daí que reconheça pouca autoridade moral aos comunistas para fazerem tanto alarido sobre um atentado terrorista de extrema-direita. Da mesma forma que não reconheço autoridade moral a um fascista para fazer alarido sobre os crimes do comunismo. Estão ambos no mesmo patamar.

          • Tiago Vasconcelos diz:

            Peço desculpa, pensei que o seu comentário era em resposta ao meu.

          • Mike diz:

            Não vens de coisa liberal nenhuma. És fascista, da extrema-direita que apoia e comete atentados como o de oslo, e isto cheira-se bem ao longe… vê lá que eu daqui já estou a sentir nauseas…

          • Tiago Vasconcelos diz:

            Miguelinho, um tique frequente dos fanáticos da tua área política é apelidarem de “fascista” tudo o que esteja à direita do PCP… Nada de novo, portanto. Os democratas liberais há décadas que estão habituados a estes delírios provenientes de membros das franjas autoritárias do espectro político.

      • Carlos Vidal diz:

        Caro Armando Cerqueira, basta ir ao “Blasfémias”.
        Sobre Breivik, uma semana de silêncio.
        Há dias, acordaram. Para quê?
        Para disparar sobre Estaline, Mao, ETA, FARC, etc.

        O que é que merece essa gentalha blogueira??

        • Tiago Vasconcelos diz:

          Refere-se a isto?
          Irrefutável, não lhe parece?

          • Carlos Vidal diz:

            Termino.
            Esse texto é tão irrefutável quanto aquele “chefe de família” (digamos assim) que sova a mulher quando o seu clube perde.
            (O gajo, o “chefe de família”, perdeu no campo, mas “ganhou” em casa. Entretanto, Ulrike Meinhof é igual a Breivik?? Acha mesmo?? Ou está a desculpar a “blasfema” por ser tarada??)

          • Tiago Vasconcelos diz:

            Claro que Breivik é diferente da RAF.
            Ao colocar bombas que mataram anónimos inocentes e ao matar a tiro jovens que nada tinham feito senão pertencerem ao partido trabalhista, Breivik manifestou um comportamento selvático próprio de um louco.
            Ao invés, a RAF era mais criteriosa na escolha dos alvos que, na maioria, eram polícias, militares e capitalistas.
            Porém, embora exista uma diferença quantitativa e qualitativa entre os dois tipos de terrorismo, não deixam de ser terrorismo. E, além disso, a RAF era um colectivo, Breivik era um indivíduo.
            Breivik fez o que fez porque agiu só. Teria muita dificuldade se quisesse recrutar cúmplices, mesmo na área política em que se movia.

      • Mike diz:

        E o benfica também ganha tudo e goleia…

        Vá para a puta que o pariu com esses números falsificados…

        • Gentleman diz:

          Como o Tiago está muito relaxado nos critérios de moderação ao ponto de deixar passar vários comentários boçais, vou aproveitar para dizer a este Mike: falsificados, o caralho…

        • Frederico diz:

          este Mike encarna aquilo que tecnicamente se designa de porco estalinista.
          uma espécie de suíno em vias de extinção mas que se encontra em número ainda apreciável em alguns habitats na blogosfera…

Os comentários estão fechados.