Da Rua da Palma à Quinta da Marinha, o trotsquismo pós-leninista afinal tem base social. Moreno Vive!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a Da Rua da Palma à Quinta da Marinha, o trotsquismo pós-leninista afinal tem base social. Moreno Vive!

  1. Rui Campos diz:

    Ahah essa da Lili Caneças é que foi boa agora. Pois isto realmente antes era tudo muito revolucionário e agora é vê-los nos partidos da burguesia ou em grandes cargos europeus.

  2. Daniel Nicola diz:

    nem quero imaginar quem seriam os amigos maoístas da lili 😉 e a única curiosidade era ver respondido o que é para ela afinal isso de se ser trotskista, maoísta ou “socialite-ista”

  3. Morgada de V. diz:

    Devias pôr o link para a entrevista, Renato, aquilo é uma mina de frases citáveis. A minha preferida, descoberta no blogue da Ana Cristina Leonardo:

    Obrigado, Lili, foi um prazer.

    Obrigada eu. Não se esqueça de pagar o meu sumo.

  4. João diz:

    Foda-se, então esta é a única gaja (gajo) que era trotskista nos anos 70? Procurem melhor.

    • António Paço diz:

      Renato,
      Faz uma montagem da senhora a vender a Rubra. Assim, chegamos aos cabeleireiros! Imagina, a Caras, com os reis de Espanha, e a a Rubra contra o Pagamento da Dívida, lado a lado!

Os comentários estão fechados.