Mais vídeos do holocausto palestiniano

Via Comité Palestina, que também divulgou outra prova de que a prisão de crianças por parte de Israel é uma prática tão verdadeira como sistemática.

Várias centenas de crianças palestinianas são detidas nas prisões israelitas, mas todos os dias várias dezenas delas são presas, sem que haja câmaras para filmar, na rua, no caminho da escola, na Cisjordânia e em Jerusalém-leste. São raptadas por terem lançado uma pedra, para aterrorizá-las, a elas e às suas famílias, para as levar a abandonar as suas terras. É a razão por que é importante agir, no mundo inteiro, e não esquecer essa parte da Palestina sob ocupação.

CAPJPO – EuroPalestine

Adere, partilha e participa no

DEBATE SOBRE O MURO DA VERGONHA QUE CERCA A PALESTINA

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

39 respostas a Mais vídeos do holocausto palestiniano

  1. Vasco diz:

    Ai que ainda aparece aí aquela amiga (como é que ela se chama?) a pregar o sionismo. Até estou com medo…

  2. LM R diz:

    Renato, não posso estar mais de acordo contigo quanto às mostruosidades que Israel pratica sobre os palestinianos. Mas invocar a Shoah a propósito de prisões arbitrárias? Nessa altura, as crianças que levavam só retornavam a casa com o vento.

    • Renato Teixeira diz:

      A invocação é relativa à globalidade da monstruosidade de Israel. Do roubo da água aos buldozzers, do gueto de Gaza ao muro da Cisjordânia, da limpeza étnica à concepção colonialista. Abraço e até terça.

  3. |y| diz:

    Imagens do HOLOCAUSTO Palestiniano. Durante o Holocausto, os Judeus enviaram os seus putos para os campos. O uso de crianças por organizações terroristas Palestinianas é prática comum. Subsidiada até. Antes, era o Saddam que subsidiava as famílias dos “mártires.” Hoje são outros. Recordam-se do caso Karsenty?

    http://pajamasmedia.com/blog/karsenty-strikes-blow-for-freedom-in-al-dura-case-video/

    A criança não é morta. É detida. Logo, o termo Holocausto não é apropriado sequer. É uma manifesta manipulação do Renato.

    holocausto
    (latim holocaustum, -i, do grego holókautos, -on)
    s. m.
    1. Relig. Sacrifício em que a vítima era consumida pelo fogo.
    2. Relig. Vítima oferecida em holocausto.
    3. Fig. Sacrifício; imolação; expiação.
    4. Hist. Homicídio metódico de grande número de pessoas, especialmente judeus e outras minorias étnicas, executado pelos regime nazi durante a Segunda Guerra Mundial. (Geralmente com inicial maiúscula.)

    • Renato Teixeira diz:

      Devia subir ao cimo da montanha. Verá que se vê melhor do que do sítio onde espreita.

    • Pedro diz:

      “O uso de crianças por organizações terroristas Palestinianas é prática comum.”

      Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

      Volta para dentro da tua bolha, sionista!

    • Reginna Sampaio diz:

      Não dá ler alguém justificar a prisão de crianças chega a ser irritante como se diz aqui no Brasil : procure já um psiquiatra !

  4. |y| diz:

    Durante o Holocausto, os Judeus enviaram os seus putos para os campos???????? Estava a tentar ser irónico porque não há pachorra. O hamas etc USAM as crianças de forma sistemática. Elas são instrumentos de guerra. Mártires. Compreendeu, Renato???

    • Renato Teixeira diz:

      Quando o campo israelita usa o Hamas para se moralizar fica quase tudo dito.

    • Pedro diz:

      “O hamas etc USAM as crianças de forma sistemática. Elas são instrumentos de guerra.”

      Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

      Volta para dentro da tua bolha, sionista!

  5. PT diz:

    Queres ver que aqui no nosso cantinho um puto desses que atire uma pedra a alguém(principalmente à polícia) não vai dentro? Claro, mas depois isso é traumatizar a “criança”, se for de uma minoria étnica é logo racismo e brutalidade policial e coisa e tal, etc., etc.
    Como aquele é palestiniano (e coitadinho, não deve ser ensinado a odiar os judeus desde o berço), partimos logo para o Holocausto… como se os inocentes do Hamas, do Hizballah e afins não usassem miúdos daquela idade como bombistas suicidas e como escudos humanos.
    Vergonha nessa cara!!!!

    • Renato Teixeira diz:

      Em qualquer democracia as crianças não são presas.

      • PT diz:

        Isso quer dizer que afinal uma das gajitas que bateu na outra no facebook afinal está numa colónia de férias…
        E pelos visto em Portugal não deve haver o que antigamente se deominava “casas de correcção” ou “reformatórios”, ou então tais sítios deviam servir para endireitar adultos.
        E, para finalizar, na democracia do Hamas, as crianças não são presas, são explodidas.

        • Pedro diz:

          “E, para finalizar, na democracia do Hamas, as crianças não são presas, são explodidas.”

          Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

          Volta para dentro da tua bolha, sionista!

          • PT diz:

            vai chamar sionista à puta que te pariu, grande labrego! porque é que não estás num dos navios da flotilha de ajuda a Gaza?

          • Pedro diz:

            Olha! Excitou-se!? Tendo em conta as tuas palavras até parecia que considerarias um elogio…

            Não penses que vou retirar o qualificativo. Intencional ou não é o que sabes demonstrar. Insustentável defesa do sionismo!

            Mas já me contento por teres considerado “sionista” o insulto. É muito bom!

    • Reginna Sampaio diz:

      Só se for em Israel por aqui no Brasil não se prende criança por atirar pedra não mesmo que a pedra atirada fosse na nossa presidenta

  6. |y| diz:

    Sim, em democracias avançadas e pós-modernas, como a Israelita, as crianças não são presas ou usadas pelo exército como bombistas suicidas. Numa democracia em guerra desde 1048, em que um dos beligerantes usa sistemáticamente crianças como Armas, as crianças suspeitas devem ser detidas e interrogadas por pessoas especializadas na matéria. Sem qualquer dúvida.

    Eu já lhe recomendei uma produção da insuspeita Arte TV sobre os “mártires” xiitas do Hizb’Allah. Você não quer saber.

    Quando o “campo Israelita” (eu não pertenço ao “campo” de ninguém. tenho o meu, obrigado!) bla bla

    Na guerra, o inimigo influencia e pode até determinar as suas acções!! Sim, as acções Israelitas justificam-se à luz da natureza dos regimes que controlam Gaza e a Cisj. E se os grupos Salafistas proliferarem em Gaza, na Cisj e no Libano, as acções do estado Israelita serão ainda mais bem justificadas.

    O que o estado Israelita não pode sequer tentar justificar são os colonatos ilegais e a forma como irrita propositadamente o seu melhor e mais importante aliado. Politicamente, Israel tem agido de forma imbecil. Tem sido o seu pior inimigo.

    Eu espreito de onde me apetecer. Ofereça recomendações aos seus seguidores. Vá tentar manipular outro, Renato.

    • Pedro diz:

      “Numa democracia em guerra desde 1048, em que um dos beligerantes usa sistemáticamente crianças como Armas, as crianças suspeitas devem ser detidas e interrogadas por pessoas especializadas na matéria.”

      Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

      Volta para dentro da tua bolha, sionista!

    • Renato Teixeira diz:

      Acho que confunde a origem do vídeo. Para tanta fobia à manipulação o Y basta-se a si próprio.

    • Pedro diz:

      “Les Scouts d’al-Mahdi (extrait)”

      Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

      Volta para dentro da tua bolha, sionista!

  7. |y| diz:

    O Renato, conimbrense, já se deu ao trabalho de saber o que é o MAHDI?
    Os Escuteiros do Mahdi? Poderá oferecer uma explicação do termo,s.f.f?!?!?!!?
    Não. Isto com o Renato é tudo à banda desenhada. Impressionismo jornalístico.

    • Leilla Khalled diz:

      Não tens por aí uns F16, uns quantos Apaches e mais alguns Drones para dispensar ao pessoal do Hamas? É que assim já eles lutam todos de igual para igual, e tu não incomodas com os bombistas suicidas.

      • PT diz:

        Olha que já tentaram isso tudo e deram-se mal, na altura em que se utilizava MIG21. E eram logo 3 países contra Israel, Egipto, Jordânia e Síria, apoiados pelo Iraque, Kuwait, Arábia Saudita, Argélia e Sudão, não esquecendo a URSS, esses grande paladino da liberdade mundial. E isso foi lutar de igual para igual? Se calhar nessa altura os anti-judeus de todo o mundo até aplaudiram, não? Só que tiveram um bocadito de azar…

  8. Pedro diz:

    Em suma:

    Já era assim antes da criação do Estado de Israel?

    Voltem para dentro da vossa bolha, sionistas!

  9. susana diz:

    quando alardeiam a democracia e o seu berço as pessoas parecem esquecer que já os gregos tinham escravos. a democracia precisa de escravos. algures. quem se recusa a ser escravo está a ser inimigo da democracia. ora, não é tão claro?

  10. Reginna Sampaio diz:

    PARABÉNS Renato Teixeira pois você tem uma paciência enorme . Eu depois de ler essa turma justificar a prisão de crianças te juro perdi a paciência . Quando se chega ao cúmulo da imbecilidade de justificar a prisão de crianças minha paciência realmente se esgota .

  11. Francisco diz:

    Regina,

    Dê uma olhada aqui, por favor:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Child_suicide_bombers_in_the_Israeli%E2%80%93Palestinian_conflict

    http://www.youtube.com/watch?v=PPU4UN03t7E

    Eu não concordo com a prisão de crianças que atiraram pedras às forças israelitas.

    Veja aqui:
    http://www.guardian.co.uk/world/2010/mar/14/palestinian-children-rights-violated-israel

    Perdoe-me, mas quem parece ser imbecil é a Senhora. Esta não é uma situação a preto-branco. Há muitas crianças inocentes nas prisões Israelitas. Mas também há muitas crianças que são usadas pelos grupos terroristas Palestinianos. As crianças que são presas não são culpadas. São manipuladas. Há dois aspectos a considerar neste drama. Quem não o faz é imbecil ou simplesmente parcial ou miope.

    Tichau
    Francisco

  12. Francisco diz:

    Susana,

    Grande confusão nesta sua cabeça, minha cara.
    Escravos, onde?
    Em Gaza e na Cisjordânia? Sim, minha cara, em Gaza e na Cisjordânia, a trabalhar para os nepotistas do Hamas e da Fatah. Escravos Palestinianos no Libano, enclausurados em campos. Sabe que eles, palestinos exilados no libano, andam à porrada com os senhores do Hezbola e são tratados abaixo de cão pelos xiitas libanesas??
    Informe-se, pelo menos.

  13. Reginna Sampaio diz:

    Das pedras de David aos tanques de Golias
    Por José Saramago

    “… Intoxicados pela ideia messiânica de um Grande Israel que realize finalmente os sonhos expansionistas do sionismo mais radical; contaminados pela monstruosa e enraizada “certeza” de que neste catastrófico e absurdo mundo existe um povo eleito por Deus e que, portanto, estão automaticamente justificadas e autorizadas, em nome também dos horrores do passado e dos medos de hoje, todas as acções próprias resulatantes de um racismo obsessivo, psicológica e patologicamente exclusivista; educados e treinados na ideia de que quaisquer sofrimentos que tenham infligido, inflijam ou venham a infligir aos outros, e em particular aos palestinos, sempre ficarão abaixo dos que sofreram no Holocausto, os judeus arranham interminavelmente a sua própria ferida para que não deixe de sangrar, para torná-la incurável, e mostram-na ao mundo como se tratasse de uma bandeira.
    Israel fez suas as terríveis palavras de Jeová no Deuteronómio: “Minha é a vingança, e eu lhes darei o pago”. Israel quer que nos sintamos culpados, todos nós, directa ou indirectamente, dos horrores do Holocausto, Israel quer que renunciemos ao mais elementar juízo crítico e nos transformemos em dócil eco da sua vontade, Israel quer que reconheçamos de jure o que para eles é já um exercício de facto: a impunidade absoluta.
    Do ponto de vista dos judeus, Israel não poderá nunca ser submetido a julgamento, uma vez que foi torturado, gaseado e queimado em Auschwitz. Pergunto-me se esses judeus que morreram nos campos de concentração nazis, esses que foram trucidados nos pogromes, esses que apodreceram nos guetos, pergunto-me se essa imensa multidão de infelizes não sentiria vergonha pelos actos infames que os seus descendentes vêm cometendo. Pergunto-me se o facto de terem sofrido tanto não seria a melhor causa para não fazerem sofrer os outros. … “

  14. Francisco diz:

    Regina,

    Eu falo-lhe de história política e você responde-me com um texto de um escritor que pouco ou nada sabia da história da região. A falta de paciência é o melhor caminho para a ignorância. É fácil acusar. Compreender dá mais trabalho e requer aquele inevitável atributo da compreensão: a paciência. Que lhe falta, claramente.

    O principal aspecto do texto de Saramago é este: os judeus teriam que continuar a ser exterminados para terem razão. Não houve muftis nazis nem radicais nacionalistas árabes. Os judeus não foram expulsos do norte de áfrica. É isto que vocês pensam. Israel é o culpado e pronto? ETC ETC O Saramago exclui do seu campo de visão muitos aspectos vitais. Ignora-os. Tal como você? Porquê? O que é que a leva a si e ao Saramago a optar pela mais elementar ignorância? O que a leva a optar pela mera acusação? Porque é que exclui da sua consideração o mufti, a história política da região etc. Saramago pode ter sido um excelente escritor (eu nunca gostei mas…) mas nunca estudou aquela região do mundo. No que toca a este assunto, era um verdadeiro ignorante. Um simplório afligido por uma aterradora “falta de paciência.”

    • Atma diz:

      ó Francisco, a história política que tu sabes é a que te ensinaram os teus.
      será que tu sabes que o estado terrorista de Israel, não lhe interessa a paz,
      quer a guerra permanente, (acha que) depende do regime de guerra, alimenta
      e promove o inimigo externo?
      será que os teus mentores te disseram isso?
      ou és só um paspalho subalterno classe b?

Os comentários estão fechados.