O assento é seu, seu, seu

E do Greens/EFA. Vítima da “caça ao independente” promovida por Francisco Louçã, Rui Tavares garante que não beneficiará o aparelho partidário que o ostracizou. Não abdicará do seu, seu, seu assento.

No post anterior, o António Figueira remete-nos para um pentelho engraçado: sobre a mudança de grupo parlamentar, Rui Tavares diz que contactou Daniel Cohn-Bendit na segunda-feira, mas Daniel Cohn-Bendit diz que foi contactado antes. Se, no prazo de três dias, Cohn-Bendit não esclarecer a confusão que criou e não pedir perdão, Tavares salta para o S&D (Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas)? O segundo salto para “desbloquear a esquerda portuguesa”?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a O assento é seu, seu, seu

  1. Rocha diz:

    Muito bem Helena, eu também acho que isto merecia um post. E essa do Paulo Pedroso vem mesmo a calhar, é que anda aí muito lobo com pele de cordeiro que anda para aí a dizer agora e só agora… que votou no Rui Tavares. Estão há espera dele no PS, para bom entendedor…

    • Helena Borges diz:

      É uma maravilha, há “um espaço político à espera de protagonistas” e protagonistas à espera de um espaço político! Fazem pandã.

  2. Proponho uma adivinha:
    Nas próximas eleições Rui Tavares vai voltar a concorrer, advinhem em que listas…

    Saúde e Fraternidade

    • Helena Borges diz:

      Eu apontaria mais para umas legislativas – pois, de cavalo para burro – do que para umas europeias. A meia dúzia de assentos do PS é muito cobiçada.

  3. miguel diz:

    Duas semanas ou dois meses?

    “Há muito tempo que discutíamos com ele e diferentes pessoas, eu próprio discuti com ele, era algo que se estava a preparar. (…) Digamos que se preparava desde há uns dois meses.” (http://correiopreto.blogspot.com/2011/06/daniel-cohntraditorio-bendit.html)

  4. Carlos Vidal diz:

    Bravo, um post fatal.
    E ainda tiveste tempo (e estômago) para mostrar a cara e o “texto” abjecto do esperançado necrófilo, aquele ser estranho que vem dançar nestas alturas de dificuldades para outros (para todos menos para Tavares, claro).
    Talvez ainda ache mais desprezível o necrófilo (sempre o achei, por acaso).

    • Helena Borges diz:

      Diz que necrotiza à esquerda. Partilhar a twittada do Pedroso é dar um miminho às cheerleaders do Tavares. Não estão sós.

  5. Um partido anti-imperialista como o BE não pode colocar-se do mesmo lado dos que atacam os povos para se apropriarem das suas riquezas. O regime de Khadafi será criticável (qual não é?), mas a alternativa NATO ou USA é bem mais mortífera que o regime a depor, como se viu no Afeganistão e no Iraque.

    É lamentável que o meu voto europeu tenha servido para dar um aval à NATO para atacar a Líbia e matar mais civis que Khadafi improváveis revoltosos (só na Líbia é que se vêem revoltosos na posse de armas). Afinal, contra todas as minhas expectativas, o meu voto foi traído. Por isso, o meu voto de há dias foi para uma formação em que já não votava desde a década de 80, mas que confio não se meterá na cama com os novos Rumsfelds.

    Vá lá, Rui, apesar do meu respeito prévio, vá, que aqui produz demasiados estragos!

    Vão com calma, gente! Perderam 8 deputados, como os tinham ganho há pouco. São flutuações conjunturais. Não entrem em pânico. Não tomem a nuvem por Juno!

    • Rocha diz:

      Soubesse o Bloco dar-lhe ouvidos e estaria bem melhor.

      A verdade é que há lá vários apoiantes da NATO, do PEC para a Grécia e até socratistas envergonhados. Haverá certamente muito a dizer e debater internamente no Bloco, mas as opções são claras ou vai para esquerda ou para a direita…

    • Helena Borges diz:

      Mas… Afinal, os votos não fugiram todos com a recusa ao encontro com a troika! Quem diria?

      Há gente boa no e próxima do BE, mas vai ver-se à rasca para evitar o desequilíbrio à direita. Força!

  6. Abilio Rosa diz:

    Como é que é possível um troca-tintas como esse tal «independente» Rui Tavares não «devolver» o mandato ao eleitorado do BE pelo quual foi eleito?
    Que pouca vergonha é esta?
    Onde está essa treta da «etica republicana» dessa «esquerda da esquerda» ou lá como se chama essa salsalhada?
    Esse Rui Tavares se tivesse tomates – e principalmente vergonha na cara! – demitia-se imediatamente.
    É verdade que o Prof. Dr. Loução Teixeira da Cunha não é flôr que se cheire, mas o homem não disse nada que atingisse a honra do dito lingrinhas.
    Bem faz o nosso glorioso PCP em não recrutar esses pavões de «independentes» cujo objectivo de vida é mamar à custa dos contribuintes e enganar o eleitorado!
    E já não falo do comentário miserável desse naif Pedroso que aplaude a garotice do Sr. Rui Tavares (um historiador da carochinha) e que ainda sugere que «há um espaço politico à espera de protogonistas»!
    Espaço de chulos e de oportunistas, queria ele dizer, certamente!….

    • João diz:

      Pois, a diferença é que no PCP os pavões que vão saindo não são independentes, são mesmo militantes, gajos do comité central, da comissão política… modere-se home!

  7. Álvaro diz:

    Há elogios que são acusações

  8. José diz:

    Não deixa de ser curioso o ódio que Rui Tavares concita aqui, o blog que ele fundou/iniciou.
    Suponho que Freud explicaria muito do que aqui se escreveu nos últimos tempos sobre RT.

    • António Figueira diz:

      Acho que supõe mal, José – e digo isto com tanto mais à vontade quanto também “fundei/iniciei” este blog, como V. diz. Primeiro, acho que aqui ninguém “odeia” o RT – eu acho-o mesmo um tipo “genial” (no sentido inglês da palavra), que gosto de encontrar quando vou para os copos – e, segundo, os blogs não funcionam assim (pelo menos este, não estou a ver ninguém repetir aqui aquele episódio triste das pessoas do Jugular, que quiseram apagar o registo do tempo em que cá andaram).

      • José diz:

        Tó, acredito que queiras defender a tua “dama” e, sim, sei que também fundaste/iniciaste este blog.
        Tenta – é difícil, eu sei – fazer uma leitura crítica dos posts e comentários que nos últimos dias têm saído aqui no 5 dias.
        Verificarás que alguns dos teus colegas têm – ou parecem ter – uma obsessão pelo RT. Negativa, está fácil de ver.
        Não o conheço, mas gosto de o ler, mesmo quando não concordo com ele, o que acontece com frequência.
        Evidentemente, como já comentei por aqui, o RT deveria abandonar o cargo de deputado europeu, em coerência com o seu “abandono” do BE.

Os comentários estão fechados.