A acampada da Fernanda Câncio e da Helena Matos é já no sábado!

Faço minhas as palavras do Dédé. Acabou a acampada no Rossio e vamos ter a acampada do Belmiro de Azevedo, na Avenida da Liberdade. Um mega-piquenique que ocupa a principal avenida de Lisboa e que, há dias, provoca graves transtornos ao tráfego daquela zona da cidade. Mas não se preocupem. À boa maneira de António Costa e Sá Fernandes, de certeza que há negócio e tudo decorrerá dentro da legalidade. Os acampados da Avenida da Liberdade não vão ser agredidos e detidos pela polícia. E ainda vão ouvir Tony Carreira. O piquenique tem o patrocínio da Sonae, da Câmara Municipal de Lisboa, da Confederação Portuguesa de Agricultores e vai ser transmitido pela RTP. Só não terá direito às prosas da Fernanda Câncio e da Helena Matos.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Responses to A acampada da Fernanda Câncio e da Helena Matos é já no sábado!

  1. Acampada que é acampada tem que ter a f. a passear e a fotografar o lixo! Se não é só uma espécie de imitação…

  2. Manuel Monteiro diz:

    Essas gajas deviam era acampar no Intendente…

    Manuel Monteiro

  3. A.Silva diz:

    Será que o belmiro ainda vai poder declarar o patrocínio como mecenato cultural e receber algum através dos impostos?… sim porque no fundo o tony é cultura, além do evento contar com o apoio de insignes organizações ligadas à agricultura, que também é uma outra forma de cultura.
    Prás câncias e prós matos desde que se “pague”, o espaço público pode ser conspurcado à vontade.

  4. Daniel Nicola diz:

    ehehehe 😉 nada como acordar com uma boa gargalhada. título certeiro para desanuviar das “Negras tormentas (que) agitan los aires”

  5. Raquel Varela diz:

    Morri a rir com o título!

  6. João Torgal diz:

    Não há muito mais a dizer, só faltou acrescentares a caridadezinha. Só agora é que percebi porque é que, quando fui ver o concerto do Zé Mário ao S. Jorge, me deparei com um trãnsito estúpido na Avenida da Liberdade, às 22h. De facto, é tudo nojento

  7. Alves diz:

    Isso de provocar “graves transtornos ao tráfico” é de facto um problema do caraças. O pessoal ter de apanhar o metro para ir para o Rossio, com este calor, no meio das outras pessoas, quando podia ir dentro pó-pó com ar condicionado.

    Já era tempo era da parte central da Av. da Liberdade ser totalmente vedada ao trânsito 365 dias por ano. Só assim se tornava aquele ar mais respirável, as esplanadas e a rua mais agradável para se estar, a zona com mais condições para viver.

    • Irene Sá diz:

      O problema é quando não vivemos em zonas servidas por metro ou por outros transportes públicos com horários que não nos obriguem a movimentos pendulares superiores a 3 horas, ou quando temos horários de trabalho incompatíveis com os períodos de funcionamento dos transportes públicos, ou quando, ironicamente, nos sai mais barato andar na nossa privada lata velha.
      O problema, Alves, é que os autocarros do continente só vão até ao supermercado (mas esses têm ar condicionado) e parece que não tarda nada privatizam o metro, carris e as linhas de comboio suburbanas.
      Seria realmente muito bonito ver a avenida da liberdade fechada a trânsito, os hotéis e as lojas de luxo resplandeceriam, mais esplanadas a preços exorbitantes, … mas antes de arremessar contra esses malvados automobilistas seria bom conhecer como se arranjam com os transportes esse pobres suburbanos.

  8. Carlos Sousa diz:

    Olha que entre o Tony Carreira da avenida da liberdade e entre “os homens da luta” do rossio, deve haver uma grande diferença…

  9. am diz:

    ai se fosse uma manif…

  10. Pedro Lérias diz:

    Fui e adorei. Muito, muito engraçado, extraordinariamente pedagógico. Vocês deviam estar contentes, no futuro quando houver uma manif e quiserem invocar os problemas de trânsito já têm uma arma de arremesso.
    O que me fascina aqui e noutros lados é o ódio ao Belmiro. Em Portugal odeia-se a iniciativa privada. Há ali pormenores a acertar mas foi uma fantástica iniciativa, vi milhares e milhares de pessoas que em vez de estarem enfiados em Shoppings do … Belmiro estavam a passear na rua a descer a avenida da liberdade e ganharem-lhe o gosto.
    Foi fantástico.
    Ah, e há o pequeno pormenor de ter sido autorizada por quem nos representa democraticamente. Eu sei que é chato, mas a malta do Rossio não tem qualquer legitimidade democrática para decidir seja o que for para toda a população (os que lá estão podem decidir o que quiserem entre eles, só não esperem que a malta preste muita atenção) e o António Costa e Sá Fernandes, a quem eu não gramo mesmo nada – os dois, têm. A vida em democracia é muito chata…

Os comentários estão fechados.