Itália: quatro vitórias

O referendo popular – verdadeiramente popular, foram as pessoas que o impuseram (e isso é completamente diferente das consultas organizadas pelos governos) – em Itália é claríssimo: as pessoas consideram que a água é de e para todos e que não pode ter donos; que a energia nuclear é perigosa e não nos serve; e que os que nos governam não podem ter privilégios que dificultam o seu julgamento em tribunal (principalmente nas suas acções que nos prejudicam e os favorecem).

A direita apelou ao não voto no referendo para impedir que fosse vinculativo. Quase 57% dos eleitores foram votar. Desses eleitores, 95% disse «sí» (que, neste caso, significa «não») às quatro questões do referendo.

Sim, as pessoas juntam-se e exigem um referendo. E nisto votam porque estas acabam por ser as suas questões.

Acompanhar no La Reppublica (por exemplo) o andamento destas vitórias (ainda existem).

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

4 respostas a Itália: quatro vitórias

  1. Diogo diz:

    Um referendo que é urgente fazer-se cá!

  2. Carlos Braga diz:

    Muito boas notícias, vindas de Itália.
    Abraço!

  3. l'outre diz:

    Uma magnífica vitória da democracia.

  4. Pingback: é dar phynança a Dom Ubu! | cinco dias

Os comentários estão fechados.