Quem diz o que quer, ouve o que não quer

Permita-me o Jerónimo de Sousa, hoje é o meu dia de lembrar um provérbio.

Ana Gomes diz isto: em síntese, que Paulo Portas deve ficar fora do próximo Governo por falta de “idoneidade política” (que tribunal nenhum confirmou até agora) e “pessoal” (invocando “dizer aquilo que muitos sabem e calam”).

As alegadas faltas de idoneidade dizem-me pouco: primeiro, porque não procuro substituir-me à justiça da República, que respeito, e que é a única que pode pronunciar interditos como os que ela defende, e depois porque me estou nas tintas para o que quer que Paulo Portas guarde no closet dele e “muitos” possam saber.

À parte isso, não posso também deixar de me perguntar como é que Ana Gomes conviveu alegremente com o seu Secretário-Geral e nosso Primeiro-Ministro durante tantos anos sem nunca ter tido semelhantes arrobos de consciência “cidadã”.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Quem diz o que quer, ouve o que não quer

  1. MBO diz:

    Desaconselho fortemente a que ainda não arrefecida a dupla Sócrates/Vara, Ana Gomes saque da dupla Ferro/ Pedroso.
    Desaconselho vivamente:
    http://supraciliar.blogspot.com/2011/06/casa-pia-pessoalmente-desaconselho.html

  2. xatoo diz:

    grande pândego, “a justiça da república”…

  3. Leo diz:

    A gaja foi sempre uma desbocada tonta, insensata e rasca. E assim continua: rasca, ordinária, tonta, insensata e desbocada.

Os comentários estão fechados.