E o trabalho, pá?

Numa posta à Eduardo Sá de esquerda, comentada pela Laurinda Alves do socialismo democrático, devo dizer que entre um e o outro sobra pouco mais que uma ponte de tédio. Para azar do Neves ele tem bastante mais razão do que o Oliveira mas ainda assim esquece um poderosos elemento de análise: o trabalho. Ao BE e ao Oliveira falta compreender que foi o PS o seu coveiro e ao BE e ao Neves sobra o relativismo pós-moderno que encontra sempre razões para o conforto da distância crítica. A esperança que ambos depositam no BE, um à direita e o outro à deriva do vento, produz a dicotomia que o Francisco e o Nuno explicam com bastante mais paciência e que representa, em última análise, o colapso eleitoral do BE. A sua passagem das esquinas da desobediência para os corredores do poder, transformou-o num partido de estrelas de televisão e de académicos de renome, em suma, uma base social de costas voltadas para o sujeito histórico e incapaz de produzir o debate que permitiria começar de novo. Ao contrário do que diz a Sassmine, que no entanto compreende melhor a noção de antagonismo, para além de líricos sobram letras e poetas.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

8 respostas a E o trabalho, pá?

  1. Augusto diz:

    Ignorar a historia ou tentar falsificá-la, é um método pouco correcto mas vindo de quem vem….

    Certamente que ao publicar um cartaz dos tempos da Republica de Weimar, esquece o que eram na mesma época, os cartazes do Partido Comunista Alemão.

    Aliás muito mais que lutarem em conjunto contra o nazismo, os comunistas alemães e os sociais-democratas entretinham-se a lutar entre si, com os resultados conhecidos.

    Sobre os resultados do Bloco de Esquerda, e sobre o seu futuro, as pitonisas, gostam demasiado de fazer previsões, esquecem-se é que a realidade está em constante mutação, e que o que se passou ontem, pode ser o inverso do que se vai passar dentro de seis meses ou um ano.

    E há uma pergunta que ninguem faz, se o BE perdeu , quase 250.000 votos, o PS quase 500.000, porque é que o PCP não só não conseguiu atrair eleitores, como ainda teve menos 4.000 votos que nas ultimas eleições?

    Consolidou eleitorado é certo, mas não cresceu nada, e isso tambem não é nada positivo.

    • Bolota diz:

      Simples, porque algum eleitorado destes partidos é de direita…dai a subida o CDS

    • António Figueira diz:

      Acalma-te, Augusto: não faças contas de diminuir antes de saberes os votos da emigração (eu sei que a tua vontade é grande, mas, por uma vez, pensa um bocadinho, que diabo).

  2. armenio diz:

    viva o stalin e a sua grande massa social
    viva

  3. a anarca diz:

    Preocupante não é uma perca de eleitorado no BE
    (há um eleitorado que ora vota BE ora vota CDS )
    Preocupante é um PS inacreditável conseguir 28%

    estes 28% é que me assustam…

  4. Pingback: Adeus Negri | cinco dias

Os comentários estão fechados.