A Liberdade e a Libertária

Numa das mesas da Amadora, aproximou-se uma mulher com cerca de 70 anos. Para que todos ouvissem, disse: “Que todos saibam que sou capaz de ser a única Liberdade em Portugal”. Talvez. Mas antes do voto da Liberdade, e na mesma mesa, havia votado a Libertária.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to A Liberdade e a Libertária

  1. Helena Borges diz:

    A Libertina abstém-se, está na praia.

  2. Torquemada diz:

    Nada de original. Rezam as crónicas que na vila de Constância residia uma senhora igualmente de provecta idade (provavelmente já falecida), cujo progenitor, arreigado republicado, lhe tinha dado o nome Liberdade da Pátria Livre.

    • Sara diz:

      Sou Constanciense e confirmo. A senhora em questão já faleceu. Por alturas dos anos 70 estaria nos seus 40. Chamava-se, de facto, Liberdade da Pátria Livre.

  3. MBO diz:

    Já saiu a primeira projecção de resultados.
    Altamente inesperados
    http://supraciliar.blogspot.com/2011/06/sondagem-unipessoal-para-05-06-2011.html

  4. jose diz:

    Os menos lúcidos gostam do voto gostam : “Quando você quiser que alguém faça o que você deseja,faça-o pensar que a ideia foi dele”
    Os portugueses sentem-se tão úteis a votar ai que tolinhos, isto mudará mas não é com votos, nem com violência, talvez com consciência de cada um. ui ui tínhamos panos para mangas; olhem lá e também foram à missa de domingo? é que assim melhores portugueses seriam como gosta o nosso presidente da república.

Os comentários estão fechados.