Eu voto CDU! (é que nem todos podem rir assim…)

A foto é de foto Lisa Soares/Global Imagens (para o JN)

 

A CDU é o projecto político que melhor garante dentro do parlamento e simultaneamente fora dele, a luta pela formação da alternativa de esquerda. Dentro do parlamento, através do seu grupo de deputados de reconhecido trabalho e mérito; na rua e nas empresas, com a sua implantação e organização nacionais, a sua militância e combatividade enraizadas numa cultura de responsabilização democrática de todos. Uma força que germina todos os dias.

A CDU é o único projecto político que pode enfrentar com determinação a ingerência externa da Troika, pois é o único que nunca alimentou ilusões quanto à natureza imperialista e neocolonialista das instâncias transnacionais a que Portugal se ligou, sem referendo: a União Europeia e a NATO. Foi também a única força política que desde sempre alertou para os perigos da adesão ao euro, cujas consequências em perda de soberania monetária e económica agora estamos a enfrentar. Não alimentou ilusões, nem alimentará.

Os partidos da CDU não serão as únicas componentes da base política e social para uma alternativa de esquerda e um seu governo. Mas não conheço outro projecto que melhor os garanta no espaço, no tempo, nas mulheres e nos homens, na sua cultura política que é resultado de uma história de construção paciente.

Por isso é que mais ninguém ri assim. Porque há um braço que se estende.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

16 respostas a Eu voto CDU! (é que nem todos podem rir assim…)

  1. LM r diz:

    Ainda que mal pergunte, ri de quê?

    • Pedro Penilo diz:

      É o riso de quem não o compõe. De quem ri a bom rir. De quem se sente acompanhado na luta. Creio que se vê muito bem na fotografia.

      • LM r diz:

        A minha pergunta era mais tendo em vista o contexto da iminência de mais uma vitória da direita e dos menos de 15% dos partidos de esquerda…

        • Pedro Penilo diz:

          Se isso viesse a acontecer, só surpreenderia a quem acredita nas virtudes deste “regime democrático” (a rebentar pelas costuras). Eu acredito em resultados melhores ou piores, mas, nestas circunstâncias, com a esmagadora manipulação de consciências e bloqueio de alternativas reais, não acredito em milagres. Sócrates e o PS pagarão pelo mal que fizeram. Eu ambiciono mais além do que umas contas de lugares e umas percentagens. Ambiciono mais do que uns porcentos a menos no IVA. As minhas preocupações não se resumem a saber se vai ou não haver ministério da cultura.

          Estou à cinco meses sem trabalho. E há quatro anos a ganhar uma média de 300 euros por mês. Tive de alugar a minha casa por não poder pagar a prestação. Não tenho muitos motivos para rir, dirá… E no entanto, contra todas as evidências em contrário, a alegria, como diria o Manuel Gusmão. Desejo-lhe a si essa descoberta, caro LM r.

  2. A CDU é um projecto político? O PEV não tem as suas própria convicções, ideias, medidas ou projecto de sociedade?

    ( A CDU) “Foi também a única força política que desde sempre alertou para os perigos da adesão ao euro, cujas consequências em perda de soberania monetária e económica agora estamos a enfrentar. Não alimentou ilusões, nem alimentará.” O PEV também comunga desta ideia?

    • Pedro Penilo diz:

      Claro que a CDU é um projecto político! Chama-se “coligação”. E se existe coligação, quer dizer que há ideias e interesses comuns. O PEV comunga destas ideias sobre a NATO, a União Europeia e o euro, sim. Mas esteja atento às iniciativas parlamentares e de massas e verificará que ambos os partidos têm a sua actividade própria e diferenciada.

  3. Vasco diz:

    Há quem diga que o que não aparece na televisão é como se não existisse, mas eu não concordo, sobretudo quando essa mesma televisão (como os jornais, rádios e grandes portais da Internet) estão nas mãos dos grupos económicos – os mesmos que dominam o País, a Europa, o mundo… A ideia de que a CDU é o PCP é falsa e serve precisamente a esses. A CDU é não só composta pelo PCP e pelo PEV como por milhares e milhares de pessoas sem partido que se revêem nas posições destes dois partidos. As listas para as autarquias provam-no!

  4. rizzolati diz:

    Epá que se ri sou eu deste post. Como se houvesse alguma necessidade de dizer em quem vai votar. Como se essa cena giraço-poética não fosse das graçolas mais mediocres que já li neste blogue. Por favor Penilo poupe-nos a tanta espirituosidade.

    • Pedro Penilo diz:

      Boa, Rizzolati, está cheio de pica! Eu também. Leu o post, não leu? E perdeu uns segundos a vir cá comentar, não perdeu? Bem feito!

  5. A verdade é que o Passos Coelho esteve na nossa organização. Ia lá onde ia o C. de F. Com os nossos numeros de centúria e decúria.

    Tinhamos tudo preparado para fazer o nosso 23F.

    O outro é que lixou tudo.

    Quando souberem que o vosso primeiro ministro fez parte dessa conspiração, então é que se vai ver. Mordam-se bem, esquerdistas. Desta vez lixamo-vos bem lixados. Um veterano do nosso campo politico vai ser o vosso primeiro ministro.

  6. José Manuel Faria,
    Julgo que sim, mas pergunte ao PEV. Eu trabalho diariamente com dirigentes do PEV e vejo-os a defender precisamente isso. O PCP também tem programa próprio, mas a plataforma eleitoral em que se apresenta a eleições é a CDU que comunga linhas programáticas gerais.

  7. Justiniano diz:

    E, caro Pedro Penilo, não é verdade que o PCP tenha sido a única força partidária parlamentar, ainda nos anos 90, a opor reservas quanto à extensão da integração europeia e quanto, em especial, à adesão ao euro!!

    • Pedro Penilo diz:

      “Reservas” é uma palavra muito porreira, mas eu não falei em “reservas”. É um argumento que “deixa andar enquanto não doer muito”…

  8. Orlando diz:

    É com esta frontalidade no sorriso que se conhecem as pessoas. Não é porque se arreganha muito os dentes que se provam que as pessoas são boas ou más, mas é sim, pela forma como riem que demonstram a sua sinceridade e simplicidade. Quem não entende que entre aqueles que não estão comprometidos com o sistema, o seu sorriso é sincero e honesto, não poderá nunca ver que os outros, os do sorriso amarelo, os estão constantemente a enganar. Como gosto de pessoas que não tenham sorriso amarelo e que me digam a verdade pelos actos que praticam, é que irei dia 5 de Junho, votar CDU.

  9. Nuno L diz:

    Eu também vou votar na CDU. A coligação do POVO.

Os comentários estão fechados.