Parece que ainda existem jornalistas

É frequente, também, ler na imprensa, diária e semanal, jornalistas a dar lições de ética profissional por causa de notícias polémicas de natureza política. Esses candidatos a “deontólogos”, no entanto, nunca revelam ao leitor se votaram, em quem votaram ou em quem pensam votar, se são ou não são militantes de algum partido, se alguma vez se envolveram em qualquer forma de participação política ou cívica, se convivem pessoalmente com algum político. Não são transparentes. A sua lição moral soa sempre, por isso, a falso.

Pedro Tadeu, no DN de hoje

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Parece que ainda existem jornalistas

  1. Carlos Vidal diz:

    Isto assenta muito bem numa personagem (meio pessoa – meio vómito) que eu cá sei.
    E o que é mais grave é que não só não são transparentes esses deontólogos de pacotilha (uns merdas, claro), como ainda se dedicam a tentar excluir colegas de profissão dos seus lugares de trabalho, ou seja, trabalham para colocar inimigos políticos no desemprego. Quer dizer, não é só a deontologia oca que deve ser combatida, é o instinto persecutório de cão de fila.

  2. um elogio à lucidez. e uma manifestação de coragem, também.

  3. Vasco diz:

    Parabéns. Em primeiro lugar pela opção política. Em segundo pela coragem de a assumir – e não é fácil assumir esta, ao contrário de outras.

  4. Álvaro diz:

    Seria bom que o Marcelino do DN, que agora comenta na RTP, dissesse onde vota.
    Ou talvez não seja preciso : está mais que à vista.

Os comentários estão fechados.