Afinal o que a JS, o presidente da Associação Académica de Coimbra e diversas personalidades “democráticas” da nossa praça queriam era mandar a CDU das escadas abaixo.

 

Pintura da Juventude do “S”, a agremiação a que pertence o presidente da AAC, comandante das tropas no terreno da provocação à CDU.

Via Paulo Raimundo Raimundo

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Afinal o que a JS, o presidente da Associação Académica de Coimbra e diversas personalidades “democráticas” da nossa praça queriam era mandar a CDU das escadas abaixo.

  1. Helena Borges diz:

    S de hipocrisia e de outras coisas ainda mais feias.

  2. Leo diz:

    São tiros nos pés uns atrás dos outros desta triste troika nacional.

    No debate com os cabeças de lista por Coimbra da Antena 1 nesta quarta-feira, o do CDS dizia que não comentava a pintura mas que o incomodava muito mais os out-doors. Afinal, o CDS também tem out-doors…

    Hoje o Passos Coelho veio dizer que lamentava os incidentes nos comícios fossem de que partido fossem. Alguém o ouviu sobre a tentativa de boicote ao Comício de Coimbra da CDU? Eu nada ouvi.

    Como também nada ouvi da liderança do PS. Mas todos ouvimos a “indignação” do militante do PS, líder da AAC, que afinal também pintou a escadaria…

  3. Eduardo Barroco de Melo diz:

    Não sou militante do PS nem comandante no terreno de qualquer oposição ao que a CDU fez nas escadas. Apenas respondi quando os órgãos de comunicação me perguntaram qual era a minha opinião.
    Nunca pintei a escadaria nem a pintaria. Nem é por antes ter sido feito que concordo, seja quem for que a pinte. Não me parece que seja correcto, muito menos com a candidatura a Património da Humanidade. Mas são opiniões, cada um tem a sua. Tentar colar o facto de ser militante da JS (sem nunca ter aí desenvolvido actividade política) é uma guerra suja. Ao contrário de outras pessoas, penso pela minha cabeça apenas.
    Como diriam noutros tempos “Camarada, se pensas que pensas, pensas muito mal…” e o resto já sabem.

    • Pedro Penilo diz:

      É, portanto, um “inimputável”. Critica a acção da CDU, ocultando o facto de a pintura das escadas ser algo de banal até aqui. Critica, agora, a CDU, mas antes esteve calado. Pode criticar a CDU, mas está a salvo de críticas à sua organização, a JS, que por azar também pratica a pintura de escadas. Porque é que está a salvo, porquê? Porque não desenvolve “aí” actividade política…??? Um dia acordou, e era militante da JS. Se eu não o tivesse escrito no post, o Eduardo Barroco de Melo provavelmente nem se lembrava…

      O que me leva a pensar: porque será que EBM está na JS, se nela não “desenvolve”? Que raio de sentido de responsabilidade é esse ser membro de uma organização política e não ser pelas suas (dela) acções responsabilizado (nem a ela responsabilizar)? Porque está EBM na JS? Será porque pertencer à JS, desta forma “etérea”, é proveitoso? Só benefícios – nada de custos! Deve ser de facto muitíssimo proveitoso…

      Mas a comunicação social não lhe arrancou a “opinião” com waterboarding. Ela fluiu, porque o vento estava de feição. Agora, veio uma rabanada de vento em direcção à sua cara – já se sabe o que é que acontece nestes casos…

Os comentários estão fechados.