M19 | dia 5 – “Não devemos nada, não tememos nada!”

Tocar o céu, sonhar. Transformar inevitáveis, transtornar. Rasgar as fronteiras da censura, gritar. Tornar visível o que já ninguém consegue esconder, saber nomear. Conseguir o impossível, vencer. Se os votos não nos devolverem a vida, saberemos conquistar o que queremos na rua. Acção directa todo o dia, fazer. Manifestação no próximo Sábado, arruadas todos os dias. Logísticas e Manifestos, pensar. Lutar contra o silêncio mas também calar discos riscados. Dizer com todas as letras que não só não devemos nada como chegou a hora de ir cobrar o que nos devem. Agora, dormir. Amanhã, voltar a acordar. Speakers corner sempre que se queira e Assembleia Popular daqui a pouco, às 19h.
Se já cá estás, continua. Se ainda não chegaste, vem!

No Estado Espanhol, o PP regressa ao poder mas as Puertas del Sol continuam ocupadas. Depois do fantoche Aznar e da fraude do Zapatero, Rajoy prepara-se para assumir o turno da ditadura financeira de nuestros hermanos. As pessoas, ao permanecerem na praça para além da hora do sufrágio, estão a dizer bem alto que não estão ali só para assistir ao render da guarda. Os indignados não se resignaram e vão fazer a luta toda. O que vier terá que ceder e o que ainda não se foi já se está a despedir. Deste lado da fronteira não se guarda nenhuma saudade, nem se confia aos que foram aos Açores fazer a guerra em Bagdad uma única esperança. A luta continua.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

6 Responses to M19 | dia 5 – “Não devemos nada, não tememos nada!”

  1. Pingback: Eleitores espanhóis punem socialistas « O Insurgente

Os comentários estão fechados.