Cuidado com os comunistas

Naturalmente, a maioria dos blogues portugueses pertencem à direita. Por isso, nunca me espantou que a ideologia dominante esteja em maioria nos comentários ao que escrevo. Espanta-me, ainda assim, que haja bloggers que dediquem a maior parte do seu tempo a atacar os comunistas e o PCP. É o caso do João Tunes e do Miguel Serras Pereira, no Vias de Facto.

Ainda que seja comunista, tudo o que publico é da minha inteira responsabilidade. Não escrevo como representante do PCP, embora, muitas vezes, as minhas opiniões possam coincidir com as do Partido. Isto a propósito das mentiras que escreveu o Miguel Serras Pereira sobre o meu texto A vitória constrói-se hoje.

Perito na arte da manipulação e da mentira, o Miguel Serras Pereira ironiza perguntando “se tantas movimentações suspeitas não terão sido, pelo menos em parte, orquestradas no país vizinho como uma manobra apostada em tirar visibilidade à manifestação da CGTP”. Dando a volta ao que escrevi, insinua que quero a derrota dos acampamentos espanhóis.

Em primeiro lugar, nunca coloquei em causa que se noticiasse o que se passa no Estado espanhol. Pus em causa a censura sobre o que se passou em Portugal, com a manifestação da CGTP contra o FMI. Algo que, certamente, não indigna Miguel Serras Pereira. Em segundo lugar, apoio a luta que se trava nos acampamentos espanhóis.

O que pretendi foi deixar algumas pistas sobre o que penso e sobre os perigos que existem se a luta for travada de determinadas formas. O Miguel Serras Pereira diz que o caminho é o Maio de 68. Parece-me justo. Afinal, se alguém não quiser a derrota do sistema capitalista só pode deseja-lo. Para o blogger do Vias de Facto, a luta pode ser feita com todos, menos com os comunistas. É que às vezes acho que o Pablo Neruda escreveu este texto para o Miguel Serras Pereira:

Passaram-se alguns anos desde que ingressei no partido… Estou contente… Os comunistas formam uma boa família… Têm a pele curtida e o coração moderado… Por toda parte recebem golpes… Golpes exclusivos para eles… Vivam os espíritas, os monarquistas, os anormais, os criminosos de todas as espécies… Viva a filosofia com muita fumaça e pouco fogo… Viva o cão que ladra e que morde, vivam os astrólogos libidinosos, viva a pornografia, viva o cinismo, viva o camarão, viva todo o mundo, menos os comunistas… Vivam os cintos de castidade, vivam os conservadores que não lavam os pés ideológicos há quinhentos anos… Vivam os piolhos das populações miseráveis, viva a fossa comum gratuita, viva o anarco-capitalismo, viva Rilke, viva André Gide com seu coridonzinho, viva qualquer misticismo… Está tudo bem… Todos são heróicos… Todos os jornais devem sair… Todos podem ser publicados, menos os comunistas… Todos os políticos devem entrar em São Domingos sem algemas… Todos devem celebrar a morte do sanguinário, de Trujillo, menos os que mais duramente o combateram… Viva o carnaval, os últimos dias de carnaval… Há disfarces para todos… Disfarces de idealista cristão, disfarces de extrema esquerda, disfarces de damas beneficentes e de matronas caritativas… Mas cuidado: não deixem entrar os comunistas… Fechem bem a porta… Não se enganem… Eles não têm direito a nada… Preocupemo-nos com o subjetivo, com a essência do homem, com a essência da essência… Assim estaremos todos contentes… Temos liberdade… Que grande coisa é a liberdade!… Eles não a respeitam, não a conhecem… A liberdade para se preocupar com a essência… Com o essencial da essência…

Pablo Neruda

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 respostas a Cuidado com os comunistas

  1. António Fonseca diz:

    “no dia em que “insubmissão” espanhola começou a alastrar e a prometer reduzir as fronteiras nacionais a riscos no papel”. O Miguel Serras Pereira escreveu isto hoje, dia 20 de Maio de 2011 (e de manhã!). O anedotário social-democrata está mais rico. Para o Miguel: “sem engolir é mais barato… no largo do rato”

  2. Augusto diz:

    Se a maioria dos Blogues portugueses é de direita , isso ainda está para provar, a não ser que o Bruno Carvalho só considere de esquerda, quem apoie TOTALMENTE os seus pontos de vista e os do seu partido, o PCP.

    Ser militante de um partido politico, é um dever de cidadania, e isso sé deve merecer elogios.

    Ser militante de um partido , e não ter NENHUM sentido critico, isso já é preocupante.

    • Bruno Carvalho diz:

      Não considero só de esquerda quem apoie totalmente os meus pontos de vista e os do partido em que milito. Isso é uma invenção da sua cabeça. Sobre os blogues serem de direita é um facto, infelizmente.

    • Bolota diz:

      Augusto,

      Então prove-o, já que o Bruno diz que a mior parte dos Blogues são de direita.

      Bruno, esta inquietação tem alguma logica, a direita começa a perceber que o chão lhe foge debaixo dos pés. Ontem no corredor do Poder na RTP1, João Oliveira levantou a questão que em tempos idos o PCP ter levantado os inconvinientes da entrada na Europa e na moeda unica e agora ser reconhecido que afinal se tinha razão a avaliar a situação nde nos encontramos.

      A direita, depois de bater palmas agora defende os produtos nacionais e maior produção agricola. Augusto a isto chamasse CINISMO , MENTIRA , baralhar para voltar a dar

      • LM r diz:

        Fantástico. A afirmação inicial (discutível) não carece de confirmação. Já quem a coloca em dúvida tem de provar não sei o quê.

  3. Pingback: A luta é de quem luta | cinco dias

  4. Chalana diz:

    Camarada:

    Esse Miguel Serras Pereira diz-se, publicamente, “amigo de Israel”. Isso diz tudo!

  5. Justiniano diz:

    Naturalmente!!?? Pertencem!!??
    Mas que raio é isto, caro Bruno Carvalho!!?? Quem escreve assim, mesmo depois da lei da boa razão ter mandado esquecer a glosa de acúrcio, clama para que lhe arremessem com a ideologia dominante, mesmo que afogados na mais profunda inequidade das circunstancias dominantes, em tomos banhados a chumbo!! Esta será, porventura, a razão para os ditos comentários!!

  6. miguel serras pereira diz:

    O Miguel Serras Pereira citou quase na íntegra o post do BC que comentou. O BC não faz o mesmo e lá saberá porquê. A única coisa que cita é aleivosamente deturpada – sobre o Maio de 68. O que eu escrevi, sobre o modo como BC considera que o Maio 68 foi uma derrota, reza o seguinte:

    Não há “vitória final” fora dos trabalhos e dos dias de cada dia, nem vitórias quotidianas que possam conseguir-se sem a multiplicação de “derrotas” como Maio de 68. Ou seja, de intervenções autónomas e auto-organizadas dos cidadãos que reivindicam a extensão das suas capacidades políticas e do seu direito a mudar e decidir desde já, recusando-se a alienar a direcção do movimento em benefício de partidos ou estados-maiores compostos de representantes cuja representatividade é inversamente proporcional ao (contra)poder político da grande maioria das mulheres e dos homens comuns que somos nós.

    O Chalana, pegando num post meu, em que comento outro do Nuno Ramos de Almeida que se referia aos “falsos amigos de Israel” como sendo aqueles que apoiavam as medidas antidemocráticas, pró-apartheid, etc., vem dizer que eu sou “amigo de Israel”. Sou tão amigo de Israel como de Portugal, da Palestina, da Venezuela, dos EUA ou da Coreia do Norte – quer dizer, favorável às liberdades de direitos dos seus povos e inimigo dos governos ou para-governos (tipo Hamas) que os cerceiam aos seus próprios cidadãos ou aos outros (cuja cidadania negam – como o governo israelita faz cada vez mais em relação aos palestinianos).

    msp

  7. Pingback: A luta é de quem luta, não é de quem a apanhar | cinco dias

Os comentários estão fechados.