A Democracia está a passar por Espanha

Desde o dia 15 de Maio que sucedem-se os acampamentos de rua e agora assembleias em Espanha.  Inspirados pela ocupação da Praça Tahir e também pelo nosso dia 12 de Março os espanhóis saíram à rua mostrando que não vão pagar a crise da burguesia espanhola, que até agora custou qualquer coisa como 20% de desemprego e 10% de cortes salariais. Vamos nós agora inspirar-nos neles, fazer do Rossio a nossa Praça da Liberdade, das assembleias a nossa democracia?

FOTOGALERIA NO PÚBLICO.ES

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a A Democracia está a passar por Espanha

  1. O Exilado diz:

    Vocês vivem em Portugal? Conhecem os portugueses? Começo a pensar que não.

  2. l'outre diz:

    A democracia não se faz nas ruas. A democracia faz-se na reflexão introspectiva de uma urna.

    • subcarvalho diz:

      de l’outre monde…por esse andar ainda tinhamos fotos do defunto de santa comba dão nas paredes!!

      • O Exilado diz:

        E o que as tirou da parede foi um golpe militar…

      • l'outre diz:

        Apenas se chamar democracia ao ‘tempo da outra senhora’. Nós só entrámos numa democracia depois das primeiras eleições livres. Até lá tivemos a ditadura dos ‘governos provisórios’ (e dos fascistas antes dessas).

        A democracia não se faz na rua. Na rua fazem-se outras coisas (umas boas, outras nem por isso), mas nunca verdadeiras democracias onde ‘o povo é quem mais ordena’.

        • Morcego diz:

          L´outre,
          Não sei por que caralho de cartilha você se rege!
          Talvez umas noções de história lhe fizessem jeito. Todas as grandes transformações sociais da história da humanidade fizeram-se na rua. Em que raio de mundo vive?! A democracia não se reduz à colocação do voto numa urna e, para ser verdadeira, e não meramente formal, deve ser participativa.

          A RUA É NOSSA!!

          • l'outre diz:

            Concordo consigo. Muitas das grandes transformações da história se fizeram na rua. Mas nenhuma dessas é verdadeiramente democrática.

            A democracia só pode existir quando somos capazes de pensar e nos expressarmos por nós próprios. Sem qualquer pressão por parte de terceiros. É a isto que eu chamo de ‘reflexão introspectiva de uma urna’. Na rua não há nada disso. Há barulho, há slogans, há emoção, há confusão. Na rua não há espaço para fazer uma verdadeira introspecção individual.

            A rua também é um péssimo auscultador da verdadeira vontade popular. Essa só se faz de forma verdadeiramente livre em ambientes sem as pressões e emoções da rua. Não é por acaso que o acto de votar é individual, secreto e não pode ser realizado na presença de forças armadas seja de que tipo forem.

            Com isto não quero diminuir a importância da rua. A rua é um importante catalisador de mudança. Mas essas mudanças não são verdadeiramente democráticas.

  3. m diz:

    ora Raquel , há quem tenha cojones e há quem não…sabe o que Franco disse quando lhe foram contar que havia um tal de 25 de abril em Portugal ?

  4. José diz:

    Comparar Espanha com o Egipto e concluir que a “Democracia está a passar por Espanha” é absurdo.

  5. zecarapaudecorrida diz:

    Dona Raquel,nós samos mui interessados pelo futebola abem dizer,proque axente gosta de ver os cristianox e seu bébé provetax,purtantox,deixem-nos com futebol e mais frutebole i u canecu.Ah!Big Breders também é conoscu asim como as curridax de fátima,daqela com o sole aus quadradinhos e,u carasas.Eu inté gostu da pulicia pruque aprende os gatunus e os maus e purtantox,aqeles q saem à rua num kerem é trabahar por um prato gurmê de lantilhas.São masé um calões do caralho,pruke esta merda precisa de jente que trabalhe comó presidente da republica e seus amigos devotos do trabalho ardo,como,por exemplos,o dias loureiro-um gaijo q prá qi veio sem tusto e q trepou na vida ardoamente,comó sr.engº isaltino,o grande rendeiro q arrendou terras e cagora vive na beloura ou o caralho-fartou-se de trabalhar q sa fudeu.U k h+á é uns invejosos e calões q não querem o ordenado minimo ou,melhor,que nem querem pagar para trabalhar:Agora,vou ver o frutebole e comer umas batatas fritas do Mcdonald( o do pato-o sobrinho do tio patinas) com molho do continente maeionese gurmete .Keo ser cumo ó belmiro-um gajo q desnvolveu tecnologia de ponta nos contra placados e nas patreleiras do ipermercados,entnetdeu,dona?Cá nossa senhora lhe desvie dos maos caminhos e o catano.

  6. Nuno Castro diz:

    Em Espanha, como em toda a parte, a rua é de todos. Sem pedidos, nem autorizações. E é sempre belo ver que há quem não se esquece disso. E nós, será que ainda nos lembramos?

  7. Universal Hero diz:

    Acampada em frente a consulado de Espanha em Lisboa (R. Salitre, 1) hoje a partir das 19h00. Assembleia Popular no local às 22h30!

  8. xatoo diz:

    convocar ajuntamentos sem um programa democraticamente debatido nem um partido legitimado pela maioria das massas populares que execute esse programa – é de uma irresponsabilidade a toda a prova (isto é, se o designio dos activistas que o defendem pretendem falar efectivamente de emancipação social de um colectivo nacional com objectivos claros, que não sejam os seus próprios umbigos)

Os comentários estão fechados.