A 13 de Maio… questão: porque é que esta gente trabalha árdua e visivelmente para um futuro governo PS / CDS?? O que pretendem??

                                                             (Aqui)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a A 13 de Maio… questão: porque é que esta gente trabalha árdua e visivelmente para um futuro governo PS / CDS?? O que pretendem??

  1. Camarro diz:

    A puta CDS vai com o PS ou com o PSD, tanto faz. Só não fazem um menage a trois porque será necessário haver alternância da mesma merda. Ora, quando houver descontentamento com um eventual governo PS/CDS estará sempre o PSD de reserva e assim tudo continuará na mesma. Será isto?

  2. Pingback: Como compatibilizar a coisa (em baixo mostrada) com este parágrafo? | cinco dias

  3. Carlos Vidal diz:

    Tendo visto ontem, muito de relance, o “debate” Portas-Passos, tendo testemunhado a fúria e ódio de Portas contra Passos (por nada e porque sim), percebeu-se que a união com “futuro” a 5 de Junho é… exactamente a promovida pela sondagem: PS-CDS.

    • Bolota diz:

      Cá p´ra eu que percebo tanto disto como de um lagar d´azeite, vai ser assim:

      O voto util vai funcionar .
      Por isso, o CDS e o BE, partidos sem identidade propria e que vivem á babuja do PS e PSD, vão descer, para que este subam.
      O PCP do alto dos seus 7,4 % regressa á sua posição de sempre e por direito proprio, ser a 3ª força politica. Apesar dum bispo de merda qualquer que em Fatima e depois de mais um milagre…apela ao combate ao comunismo.
      Este enrabado era pouco.

      Abraços

      • Carlos Vidal diz:

        Meu caro, não ouvi essa.
        É indecente.
        Mas, meu caro, inspire-se melhor, leia Sade, experimente um anticlericalismo mais estético.

        • Bolota diz:

          Quanto a estética, se o mago da economia de seu nome Catroga pode escorregar um PINTENHO, o Bolota que não é nada, pode mandar ás malvas as questões de esteica, não pode??

          Um tal cardeal canadiano, braço direito do papa em fatima deixou tambem ele escapar o seu PINTELHO.

        • Carlos Carapeto diz:

          Há é? Um papalvo qualquer que atravessou o Atlântico, para vir pregar a uns (bons) milhares de alienados, dizendo que o outro com a ajuda de Deus tombou a cortina de ferro e libertou os povos do comunismo. Deve ser acariciado com luvas de seda?

          E os que estão a ser esmagados por a grossa placa de chumbo imposta por aqueles com quem essa clerical figura repasta, vão ficar calados pacientemente à espera de milagres?

          Deus não tem tempo para fazer milagres, delega essa tarefa para os seus assistentes. Esses sacanas estão sempre ao lado dos opressores.

          • Carlos Vidal diz:

            Ora, ora, meus caros, estava brincando.
            Mas, enfim, já vi que o Divino Marquês não é aqui muito apreciado.

            E quanto à sondagem?
            Acreditais vós na coisa??
            (E o que eu quis dizer foi que a sondagem era uma fraude de 13 de Maio – e, já agora, quanto à igreja e a Fátima: não sou praticante e não me confundam com o catolicíssimo Carvalho da Silva, figura que me tem desiludido bastas vezes nestes últimos meses.)

    • Bruno Peixe diz:

      Amigo Carlos,

      Confesso que não percebo essa. Toda a fúria contra lacaios do capital como o Passos é pouca. Assim como toda a raiva do Passos contra o Portas é bem vinda.
      Um debate entre o CDS e o PSD é como um Sporting-Porto: tudo o que podemos desejar é que haja muitos vermelhos, muitos amarelos, muitas lesões e muitos jogos de castigo para todos.

      Abraços platónicos (i.e. referentes ao discípulo de Sócrates),
      Bruno.

      • Carlos Vidal diz:

        Ó Bruno, isto é simples: há uma hipótese de governo à direita que está a ser levado ao colo pela imprensa do costume: PS-CDS.
        Em primeiro lugar (e maldita sondagem! Ou maldita fraude?).

        Em segundo lugar, estabeleces uma hierarquia do menos mau?
        Passos é preferével a Portas? E, entretanto (aprofundando a coisa) Sócrates é preferível a Passos?

        Mas será que a rejeição dos três por IGUAL (sem distinções) é difícil??

        • Bruno Peixe diz:

          Não concordo com a tua análise. Parece-me que está a ser levada ao colo a hipótese de uma maioria de direita, cujos termos combinados são o PS, PSD e CDS, sendo que a que tem sido mais favorecida, do ponto de vista mediático, até é a do PSD-CDS. Penso que por uma questão de ser a mais provável.
          Quanto às comparações entre os três do auto-proclamado arco da governação, não tenho dúvidas: de um ponto de vista político são todos piores, como diria Estaline.
          Já tu, meu caro, não me parece que os rejeitas por igual, a julgar pelo que tens repetidamente afirmado: que o PS é o inimigo nº1.
          Quanto à sondagem, parece-me que traz, do ponto de vista eleitoral (ou seja, da política pequena) notícias boas e más. Boas porque o PSD deixa de estar à frente das sondagens, o que é uma excelente novidade. Más porque o PS é o partido com mais intenções de voto.
          Um abraço.

          • Carlos Vidal diz:

            Vamos lá tentar ser claros: as hipóteses combinatórias à direita são as únicas acarinhadas pela imprensa, mas há uma muito viável (vendo os seus protagonistas e a respectiva sede de poder de cada um deles) que parece recolher poucas (por enquanto) simpatias. Logo, é preciso reforçá-la – e como eu penso que esta sondagem não tem nenhuma sustentação, que, em suma, é uma fraude, ela serve para tentar consolidar a hipótese PS-CDS, para que não fique desfavorecida em relação à outras direitistas.

            Outro ponto.
            Tem sido minha intenção ou programa desde que cheguei a esta casa (e não apenas desde aí) rejeitar por igual (sem em nenhum ver qq “mal menor”) os partidos ou zonas PS, PSD e CDS. Mas, lá está a aparente contradição, rejeitar o PS em primeiro lugar. Porquê?
            Nenhum partido/governo(s) mais destruiu serviços públicos, escolas, desactivação de serviços hospitalares, a destruição do próprio tecido cultural (à excepção de Carrilho), nenhum partido mais destruiu e privatizou (é celebre a frase de Penedos: “quando privatizo, abro uma garrafa de champanhe”), não há memória de tanto crime político e económico, logo da parte daquele que se afirma (em períodos eleitorais apenas!!) como o garante do “Estado Social”. Porra, é de mais.
            E o que é que isto implica?
            Uma coisa grave: nunca se atacou o PS por aí, como aquele que desmantela serviços públicos mais do que outros, e por isso duas consequências:
            – É o partido há mais tempo no poder.
            – É o partido que mais prejudica a ou as esquerdas socialistas, na medida em que faz sempre funcionar e daí obtém resultados, o chamado “Voto Útil”. E este voto útil não incomoda o PSD ou o CDS, incomoda-nos, esvazia-nos ciclicamente o nosso campo. É um processo de chantagem por parte daquele que nada tem a ver connosco, mas que no nosso “campo” vem (querer) jogar.
            O PSD não o faz, faz a sua vida, longe como até gostamos que o faça, ou seja: PSDs longe da minha porta. Mas o PS vem aqui chantagear, e tem conseguido bons resultados.
            Logo, a luta contra o PS deve ser dupla:
            – contra um partido liberal
            – contra um pardido que chantegeia camaradas nossos e daí obtem proveito.
            Percebido, camarada?
            Grande abraço (e temos de retomar trabalhos).
            CV

  4. Carlos Carapeto diz:

    MCS; meu camarada de profissão (ele seguiu noutros afazeres , eu continuei com os fios) por quem nutria uma enorme admiração, também me tem desiludido bastante nos ultimos tempos.

    • Carlos Vidal diz:

      Sim, sim, fica-lhe muito mal (é péssimo, sob qualquer critério) dizer de um grande político operário: “não tenho com ele nenhuma relação”. Meu caro Carapeto, diga a MCS que pode ter relações pessoais e/ou institucionais com quem quiser, mas escusa de pôr isso na LAPELA.

  5. Carlos Carapeto diz:

    Deixem-se de acreditar nos milagres de Fátima. Vão consultar a cigana (comunicação social) que essa não falha. Já está tudo escrito (decidido) nas mãos dos eleitores. A direita no seu conjunto vai ficar com 85%, a esquerda tem que contentar-se com uns míseros 15%.

    No dia seguinte às eleições as pessoas vêm para rua lamentar-se que os políticos são todos iguais, os sindicatos não fazem nada, que são uns ladrões só querem é tacho.

    Meus Amigos eu costumo ir distribuir informação sindical junto dos Centros de Emprego, é lamentável ouvir pessoas que vivem no desespero, a opinião que têm da política, dos políticos, e dos sindicatos.

    Este povo quer é porrada.

    • Carlos Vidal diz:

      É como diz aquele filósofo pessimista (Maquiavel) que muito aprecio: o povo adora ser “governado”.

    • Bolota diz:

      Deixe-me emendar…este povo quer é levar porrada e nos cornos acrescento eu.

      Um governo que levou o pais à bancarrota correr o risco de ser reeleito, é a prova provada que os eleitores NÃO prestam. se não prestam PORRADA nos cornos

      • Carlos Vidal diz:

        Ora cá está, meu caro. Quando eu, há pouco, em estética falava, não era para suavizar nada, nem agora me passaria pela cabeça suavizar aquilo que é dito aqui, por si, dos eleitores portugueses.
        O que eu quis (quero dizer) é que, por vezes, a estética, no dizer e pensar, podem ser muito eficazes.
        Repare neste naco de prosa, de um escritor francês, agora quase interditado e escondido:

        “O verdadeiro desconhecido de todas as sociedades possíveis e impossíveis… Disto é que ninguém fala, não é ‘político’!… É o Tabu colossal!… A questão ‘última’ proibida! Mas, em pé, de gatas, deitado, do avesso, o Homem nunca teve, no ar ou na terra, senão um só tirano: ele próprio!… Nunca terá outros… Se calhar é uma pena aliás… Talvez se domesticasse, tornado-se enfim social.”

        Nem vou dizer quem escreveu isto. Também não gostava lá muito, digamos assim, de “eleitores”.

Os comentários estão fechados.