Acabou-se a brincadeira: A Escola da Fontinha foi despejada e 7 pessoas detidas

A Escola do Alto da Fontinha, que tinha sido ocupada no mês passado, foi hoje de madrugada despejada e sete pessoas foram detidas. O movimento ES.COL.A da Fontinha, que estava a recuperar o edifício e a desenvolver uma série de actividades para a população local, marcou uma assembleia para hoje às 18h30, no Largo da Fontinha.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Acabou-se a brincadeira: A Escola da Fontinha foi despejada e 7 pessoas detidas

  1. poispois diz:

    Foi o “Parque Escolar” que os mandou lá…

  2. Pingback: “Acho mal saírem daqui, trabalharam tanto e fazem uma coisa destas. Vêm de metralhadoras e pistolas e levam os rapazes presos” | cinco dias

  3. subcarvalho diz:

    Segue acta da assembleia de ontem:

    …vieram mais de 100
    10 de Maio, 18h30, Largo da Fontinha, Porto

    O dia que começara com repressão acabou em democracia. Numa assembleia com mais de 100 pessoas, entre as quais um número emocionante de vizinhos não menos emocionantes nas suas palavras de apoio, começou por se falar do despejo matinal, partilhando experiências de quem o viveu.

    Mas a parte mais importante, a que realmente chamara ali tanta gente, era a de decidir o que fazer a seguir. As propostas foram muitas: tentativa de legalização da situação de uma eventual nova ocupação do espaço, a sua reocupação nos mesmos moldes, a participação na Assembleia Municipal da próxima segunda-feira, uma campanha o mais alargada possível de denúncia, uma queixa judicial, a necessidade de angariar apoios de “notáveis”, o pedido de cedência doutros espaços para as actividades, uma assembleia extraordinária da Assembleia de Freguesia.
    Aceitou-se a proposta de, nesse fim de tarde, falar apenas de três dessas ideias: a da participação na Assembleia Municipal do Porto, a da via da queixa judicial (contra o despejo, contra a actuação particular da polícia… está tudo ainda em aberto) e a da reocupação do espaço.

    A próxima Assembleia Municipal do Porto realizar-se-á na segunda-feira, dia 16 de Maio, pelas 21h00. Decidiu-se que algumas pessoas deveriam participar na própria Assembleia Municipal e que todas as outras deveriam ter uma presença visível no exterior do município. As pessoas que vão participar na assembleia ficaram de se coordenar nesse sentido e as que vão apoiar a partir de fora marcaram encontro de conversa e trabalho (pintar faixas, decidir palavras de ordem, ver a possibilidade de levar algumas actividades da Es.Col.A para a porta da Câmara, etc.) para a próxima quinta-feira, 12 de Maio, no Largo da Fontinha, a partir das 18h30.

    Há uma pessoa a tratar da questão legal relacionada com a eventual queixa que se possa apresentar. Todas as pessoas interessadas trocaram contactos e ficaram de se coordenar.

    Dada a vontade geral de que o espaço da Es.Col.A seja reaberto, ficou marcada uma assembleia para discutir esse ponto em particular. Será na terça-feira, 17 de Maio, às 18h30, no Largo da Fontinha.

    Mas a assembleia estava longe de acabar, que a democracia tem destes truques que lhe permitem ser real e a vontade das pessoas presentes não era ser vencida pelo medo da força bruta. As actividades da Es.Col.A. não acabariam por causa dum despejo. Apesar de não ser possível garantir que todas as actividades se mantêm (não estavam presentes pessoas que coordenam algumas dessas actividades), ficou a ideia de contactar toda a gente que as desenvolva para saber da sua disponibilidade, ao mesmo tempo que se garantia que algumas se realizariam sem qualquer dúvida.

    Entre estas, ficaram o Hacklaviva – 5ª-feira, 12 de Maio, 18h00; o Jantar da Fontinha, transformado em merenda autogestionada (naquela do traz comida se quiseres comer) – 6ª-feira 13, às 19h30; e actividades ao ar livre – 2ª-feira, dia 6, às 18h30.

    Assim, as próximas datas são:

    — 12 de Maio, 5ª-feira, largo da fontinha: 18h00 – hacklaviva; 18h30 – reunião para preparar participação na Assembleia Municipal
    — 13 de Maio, 6ª-feira, 19h30 – merenda autogestionada no largo da Fontinha.
    — 16 de Maio, 2ª-feira, 18h30 – actividades ao ar livre no largo da Fontinha.
    — 16 de Maio, 2ª-feira, 21h30 – participação na Assembleia Municipal (dentro e fora). Na Câmara Municipal do Porto.
    — 17 de Maio, 3ª-feira, 18h30 – Assembleia da Fontinha sobre a questão da reocupação. No largo da Fontinha.

  4. subcarvalho diz:

    Assine a Petição aqui:
    http://www.petitiononline.com/escolafo/petition.html

    Era uma vez uma antiga escola primária no Porto, que estava abandonada há cinco anos. Um grupo de pessoas decidiu ocupá-la, reabilitá-la, recuperar o acervo abandonado da biblioteca e desenvolver, em conjunto com a população, um projecto educativo com as crianças do bairro (aulas de inglês, história e geografia; ateliês de xadrez, guitarra, ioga e cicloficina).

    Como todas as histórias, esta também tem um carrasco. O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, não apreciou a ousadia e tratou de mandar despejar os ocupantes e acabar com essa esquerdice de desenvolver projectos sociais e educativos com as populações, de devolver os espaços públicos às pessoas. E, por isso, hoje, 10 de maio, de manhã, os ocupas foram despejados e alguns deles detidos para identificação.

    Mais informação aqui:
    http://escoladafontinha.blogspot.com/

Os comentários estão fechados.