VII CONVENÇÃO DO BE (VII) – PS SEM SÓCRATES: É esta a direita com que o BE quer governar à esquerda?

É impressão minha ou as declarações do José Manuel Pureza e do Francisco Louçã, ao defenderem uma convergência com o PS sem Sócrates, têm algo em comum com o que afirmou o Passos Coelho?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

74 respostas a VII CONVENÇÃO DO BE (VII) – PS SEM SÓCRATES: É esta a direita com que o BE quer governar à esquerda?

  1. Rui F diz:

    Seria sempre preferível para o Renato Teixeira uma aliança com o PCP, o tal que há 2 anos atrás decidiu reunir em Lisboa os comunistas mais caninos e assassinos do mundo num fraterno encontro do Chinês ao Coreano.

    • miguel cunha diz:

      Há dois anos não sei com quem reuniu o PCP em Lisboa, mas há um ano (13 e 14 de março), o PCP reuniu-se com os seguintes 13 partidos: Partido Comunista Sul-Africano, Partido do Trabalho da Bélgica, Partido Comunista do Brasil, Partido Comunista da Boémia e Morávia, Partido Progressista do Povo Trabalhador de Chipre, Partido Comunista de Cuba, Partido Comunista de Espanha, Partido Comunista da Grécia, Partido Comunista da Índia (Marxista), Partido Comunista da Índia, Partido Comunista Libanês e o Partido Comunista da Federação Russa.

      O objectivo dessa reunião foi: “(…) preparar o 12º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários, que se irá realizar na África do Sul (…) com o tema «o aprofundamento da crise sistémica do capitalismo; as tarefas dos comunistas em defesa da soberania e no aprofundamento das alianças sociais, fortalecendo a frente anti-imperialista na luta pela paz, o progresso e o socialismo».

      Pela lista e pelo objectivo reconhecem-se facilmente “os comunistas mais caninos e assassinos do mundo”.

      Do seu comentário reconhece-se também que é possível alguém concentrar numa única pessoa tanta má-fé e estupidez!

    • Rocha diz:

      Ena! A sério tudo isso regado com licor beirão? E houve charters e sponsors…

      Não foi essa a reunião maquiavélica para os comunistas tomarem conta do Sporting? Ou foi para tomarem conta do mundo?

      Epá está descoberto o grande homem por detrás de tudo isto!

    • Rui F diz:

      Não seja por isso camaradas.
      Memória é o que não falta por cá.

      Uma a uma algumas das ditaduras mais caninas do miundo…”

      “…PCP/Congresso: Delegações do PC da China, Coreia do Norte, Laos e Vietname convidadas
      29 de Novembro de 2008, 15:35
      Lisboa, 29 Nov (Lusa) — Perto de 60 delegações de partidos comunistas foram convidadas para o XVIII Congresso Nacional do PCP, que hoje começou em Lisboa, de países como China, Cuba, Laos, Vietname e da República Democrática da Coreia.
      A delegação mais aplaudida, na sessão de abertura, hoje no espaço multiusos/Campo Pequeno, entre as 59 anunciadas, foi a do Partido Comunista de Cuba, de Fidel Castro.
      Neste congresso, estão delegações de partidos comunistas e “irmãos” de Angola (MPLA), Brasil, Cabo Verde, Colômbia, Chile, Hungria, Índia, México, Nepal, Peru, Federação Russa, Ucrânia, entre outros.
      NS.
      Lusa/fim

      http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/22ad05306df2fe46c10d58.html

      • Carlos Carapeto diz:

        Alguns sápatras da direita ainda não compreenderam que a restauração do capitalismo a Leste redundou num tremendo fracasso , vinte anos depois continuam a expargir o mesmo tipo de bába asquerosa anti comunista, como se a realidade não tivesse já provado que centenas de milhões de pessoas viram agravar-se penosamente as suas condições de vida.

        Porque nem nos denominados tigres do Báltico depois de terem recebido milhões de apoios Comunitários o capitalismo teve sucesso. Nenhum deles ainda recuperou os niveis de desenvolvimento de 1991.

        O bicharoco é repugnante, mas queiram quer não os anti comunistas têm que engoli-lo.

        É o capitalismo o unico responsável pela pesada placa de chumbo que se abateu sobre a vida da maioria daqueles povos.

        • Pascoal diz:

          De facto a restauração do capitalismo a Leste redundou num tremendo fracasso que se seguiu ao tremendo fracasso do capitalismo de estado que vigorava nesses países.

          • Carlos Carapeto diz:

            Vinte anos não foram suficientes para resolver esse tremendo fracasso do capitalismo de Estado de que fala? Se a esse fracasso se sumaram outros mais horriveis. Não era suposto que o capitalismo ía resolver todos os problemas?

            Afinal de que lado está a incompetência?

            Lanço-lhe o mesmo desfio que já fiz aqui a outros iluminados pelo Deus mercado.

            Aponte-me uma área em que houve progressos nesses países.

            A desgraça em que o povo Romeno mergulhou não lhe serve de lição?

            O que conhece daquilo que se passa hoje nesses países? Não escarre contra o vento.

        • Rui F diz:

          Tás enganado Carapeto.

          São tão o mais da esquerda que tu.

          Confrangedor é o Partido Comunista fechar os olhos à desgraça e exploração que é o capitalismo de estado

          • Carlos Carapeto diz:

            O Partido comunista pode fechar os olhos mas V.sa Excia é cego. Porque nem os factos o convencem.

        • Rocha diz:

          O Rui F é o grande marketeiro dos amigos do PS dentro do Bloco.

          Não fale do PS de Sócrates e de Manuel Alegre, não fale da Troika e do FMI que eles apoiam.

          É mais importante neste momento discutir que PCs assistiram ao Congresso do PCP.

          O Rui F, tal como os barões da direita bloquista não está preocupado com o seu posto de trabalho ou a falta dele. Prefere a Troika, o FMI, o PS, até mesmo o Sócrates a um governo de esquerda que inclua o PCP.

          O Rui F quer convencer as criancinhas do perigo do PCP chegar ao poder e criar aqui o regime chinês, norte-coreano, angolano e cubano (todos misturados numa grande caldeirada). O Rui F sabe que o PCP tem um programa próprio, que é um programa de Transição ao Socialismo diferente de qualquer modelo externo.

          Este é o momento certo para deconversar, para desfocar o debate sobre as escolhas de convergência do Bloco.

          O Rui F não se sente afectado pela situação social em que estamos mergulhados e prestes a bater novos recordes de pobreza e miséria.

          Está preparado para apoiar o PS de Sócrates, de Alegre, da Troika e do FMI. Tudo menos convergir com comunistas.

          • Rui F diz:

            Só baboseiras, Rocha.
            Desculpa.

            Nem me vou dar ao trabalho de te responder.

            Diz-me com quem andas…

        • José diz:

          “Porque nem nos denominados tigres do Báltico depois de terem recebido milhões de apoios Comunitários o capitalismo teve sucesso. Nenhum deles ainda recuperou os niveis de desenvolvimento de 1991.”

          O Carapeto atira estas mentirolas para o ar e espera que toda a gente acredite.

          Homem, consulte as estatísticas antes de dizer disparates!

          E se a vida anteriormente era tão boa e agora tão má, porque não se vê qualquer movimento popular para um regresso ao passado?
          O que tolhe os povos tão mal tratados no capitalismo depois de terem experimentado o paraíso?

          • Carlos Carapeto diz:

            Vamos deslindar quem diz mentirolas e quem é intrujão.

            Antes da crise de 2008 as economias Bálticas eram olhadas como exemplos de vanguarda a seguir pelas economias do livre mercado da Europa.

            Mas esse “milagre” durou apenas enquanto existiu património Estatal a alienar, com o fim das privatizações e o inicio da crise essas economias afundaram-se.

            O PIB da Letónia caiu 25% , da Estónia 14% e da Lituânia 16% , as taxas de desemprego têm-se mantido sempre nos dois dígitos. Encerraram milhares de escolas, privatizaram os serviços de saúde, os direitos dos trabalhadores foram cilindradas. Como consequência de tudo isso as desigualdades sociais estão ao mesmo nível dos EUA. O capitalismo gerou um êxodo de propulsões bíblicas na população ativa. Só na minúscula Irlanda têm residência permanente mais de 45 000 Letões.

            Em 2010 a economia da Estónia cresceu uns míseros 3 %, foi pretexto para os pregadores de turno gritarem aos sete ventos o grande êxito. Com a economia de rastos e com as taxas de juros impostas quantas décadas vão precisar para se erguer? Nunca; na medida em que não existe mais nada para privatizar.

            As suas estatísticas não lhe dizem isto? Nem eu preciso das suas estatísticas para nada, bastou-me consultar um site da CIA (sim CIA; não estou enganado) para saber algumas destas coisas e outras que não merece mencionar.

            Quantos aos demais ex países Socialistas apresente os progressos económicos, sociais , tecnológicos ou em qualquer outra área alcançados nos últimos vinte anos?

            Não pode, na medida em que o fracasso foi generalizado. Compare esta situação com nível de desenvolvimento que a Bielorrussia alcançou.

            Habitue-se a fazer uso da honestidade quando pretende discutir coisas sérias que digam respeito à sorte de milhões de seres humanos que viram as suas vidas arruinadas de um dia para o outro.

            Por favor não use a intrujice corriqueira para fazer valer os seus interesses políticos. Se se está burrifando para o descalabro social que desabou sobre aqueles povos é uma coisa, agora tentar negá-lo é outra. E isso não o permito a ninguém . Disponho de factos, e números para provar essa negra realidade.

            Não julguem alguns que disputo olimpíadas para saber quem vive mais mal que quem? Interessa-me denunciar as situações de quem de um momento para o outro foi empurrado para a miséria extrema.

            Por outro lado ainda tem o descaramento de perguntar as razões porque esses povos votam nas forças que controlam o poder atualmente? As razões são as mesmas que levaram a maioria dos Alemães a elegeram Hitler, ou 48% dos Chilenos deram o voto a Pinochet depois de quase duas décadas de terror. “Legitimaram” durante 40 anos Mubarak com maiorias superiores a 90%, ou Ben Ali, Bouteflika. Talvez com a mesma consciência e alienação politica que um camponês miserável do interior Norte vota em Paulo Portas? Ou a quase generalidade dos Africanos votam nos corruptos que os hão-de roubar.

            Mas a sua preparação politica á assim tão fuleira que não sabe que quem controla a informação controla a opinião publica?

          • Rui F diz:

            Carapeto

            já vimos que és ás em estatisticas. Trás lá uma que mostre o grau de satisfação e saudosismo dessa gente

    • Bolota diz:

      Parente F,

      De facto este PC é intragavel…deve ser por isso que o BE pede a todas as alminhas uma coligação.
      O cagaço da perda de votos é tal que já não se importam de se coligar com o PS, mas claro, sem Socrates como se o PS sen Socrates fosse um PS diferente. Por muito que te custe, são bacorada atras de bacocada.

      Só mais um reparo: se o BE aparece uma dezenas largas depois do PC quem vem desunir a esquerda o que já cá estava ou quem apareceu depois??? É que as tangas de sempre começam a não funcionar e o resultados vão ser…

      Abraços

  2. Rocha diz:

    A direita reformista (sem reformas) do Bloco grita: ó mãe o PCP bateu-me! O Gil Garcia quer nos dar uma injecção atrás da orelha! Avô Alegre (Avô Cantigas) salva-nos destes rufias!

  3. Antonino da Silva diz:

    acho que é só sua impressão renato. aliás, estes posts de desenhinhos e ideias estapafúrdias vão se tornar um clássico.

    • Renato Teixeira diz:

      É um elogio merecido. Estou sempre a contribuir para esclarecimentos à esquerda. Obrigado.

  4. Nuno diz:

    … deve ser impressão tua Renato! Já sabes, se numa discussão há uma pessoa marxista, é essa que está errada! (as discussões com o a minha família maçon acabam sempre assim, seguindo-se de gargalhada geral… se conhecesses pedreiros livres como eu já estavas habituado…).

    Abraço!

  5. Pedro Penilo diz:

    Ora eu cá acho que a pergunta do Renato está muito bem formulada e merecia uma resposta. Ou Louçã acha que uma hipotética saída de Sócrates significaria o fim do PS, tal como é desde sempre, um executor da política de direita – hipótese remota que nos obrigaria a questionar as qualidades de análise política de Louçã – ou então o coordenador do Bloco acha que o problema é a personalidade de Sócrates, mas nada tem a opor à política de direita do PS. Há uma terceira hipótese: verificando as fortes hipóteses de um regresso do voto de 2009 à casa-mãe do PS, Louçã – que ainda há pouco tempo se tinha encontrado com o PCP – volta-se agora para o PS dos PEC’s, do FMI e do execrável “mal menor” que a sua ala direita se farta de vender.

    • Renato Teixeira diz:

      Exactamente. Não se entende esta insistência em não largar o PS da mão. A esquerda nada tem a ganhar enquanto alimentar a ideia que o PS pode fazer parte da solução. E o BE sabe bem disso. Por isso começou por alertar os eleitores, na primeira vez que foi a votos, que a diferença entre PS e o PSD é uma letra, não um programa.

      • LAM diz:

        Não é o PS, Renato. São as centenas de milhar de pessoas que estão no, ou com, o PS.

      • LAM diz:

        …e só pode haver solução quando grande parte dessas pessoas se desacreditarem do PS.

        • Rocha diz:

          E ao alimentar a ilusão de um PS de esquerda que não existe nem existirá, o Bloco contribui para quê, se não manter a venda nos olhos dessas pessoas e fazer coro com o discurso do “inevitável” da Troika e do FMI?

          • LAM diz:

            O que é que eu disse que vc não percebeu?
            Pare lá com a treta de alimentar ilusões de PS de esquerda. O importante não é o aparelho, o partido, são as pessoas que ainda andam por lá. Assim como ainda andam por outros partidos.
            Quer ampliar o campo da esquerda como? senta-se num canto e espera que os actuais BEs ou PCs procriem, é?

          • Rocha diz:

            Se o importante são as pessoas e não o aparelho, então concorda comigo quando digo que a esquerda anti-FMI deve opor tanto ao PS com Sócrates como ao PS sem Sócrates que continuará a ser um dos (principais) partido do FMI. Como com concorda que o Manuel Alegre que apoia o FMI, assim como outros aparelhistas da cidadania, merece uma revisão auto-crítica por parte do Bloco. É que sendo o Bloco consequente com oposição ao FMI não pode continuar de braço dado com quem o apoia.

            Se queremos juntar forças com quem quer uma alternativa de esquerda, entre os apoiantes do PS, o único caminho é chamá-los à ruptura com esse cadáver moral da ex-esquerda portuguesa.

            Uma ruptura do Bloco com as ilusões sobre o PS (sem Sócrates e alegrista), seria benéfico para todo o espaço à esquerda do PS e para uma convergência das forças de esquerda do parlamento e extra-parlamentar.

          • LAM diz:

            Não Rocha, não concordo.
            Recuso-me a empurrar de uma penada todo o PS para a direita, apesar de saber que por trás do Sócrates outros Sócrates há. Como alguém já postou neste blog, o que temos de combater é o que o Sócrates representa e não andar a catar cromos à unha. E é, e tem sido, e espero que continue a ser esse o grande combate do Bloco. Porque de braço dado com o pior PS andavam, há uns anos, os que clamavam, às vezes pateticamente, por “maiorias de esquerda”.
            O Manel Alegre, apesar de eu não ter votado nele, não foi uma candidatura invulgar, atendendo ao cargo que se propunha (e este pormenor é de forma pouco séria esquecido), quando comparada com outros candidatos, 30 vezes piores, que beneficiaram de apoio de partidos de esquerda. Por esse lado não há nada aí que reclame por qualquer tipo de auto-crítica de quem entendeu dar-lhe apoio. Seria possível arranjar outro candidato que melhor interpretasse o desígnio de ampliação e maior mobilização à esquerda? Talvez, pessoalmente estou convencido que isso poderia ter sido possível. Uma coisa é certa, a abdicação da luta, a guetização da esquerda, o refúgio na seita é que não são soluções.

          • Rocha diz:

            Sabe que o problema do Alegre não é ser uma candidatura invulgar, o problema é ser uma candidatura de quem nunca rompeu com Sócrates, a receita do FMI-UE-Troika e com esse partido que não tem mais nada para oferece que não neoliberalismo que é o PS.

            No momento em que vivemos já não se pode hesitar em lutar contra esta gente, já não se pode lançar a confusão apoiando quem branqueia o PS, isto se queremos dar força aos milhares à rasca e da CGTP que lutam nas ruas e nas empresas, isto se queremos afirmar uma alternativa de esquerda e não dar uma nova vida a um novo Sócrates.

            Quanto a apoios a candidatos piores (para mim não tanto piores mas mais iguais) posso afirmar que o PCP aprendeu com erros do passado. Tipos como o Soares, o Eanes e o Sampaio jamais serão apoiados pelo PCP. A candidatura de Francisco Lopes foi exactamente uma resposta, vinda ala esquerda do partido, contra as ilusões de aqueles (tb dentro do PCP) enchem balões chamando-lhes “ala esquerda do PS”. A maioria do PCP soube aprender e responder às reivindicações legítimas dos que lutam na rua e nas empresas. Os que fizeram a crise não a podem resolver. É preciso uma alternativa de esquerda, é preciso romper com o passado neoliberal, é preciso romper com os partidos do FMI-UE, a Troika PS-PSD-CDS.

            Haverá uma grande polarização social nos próximos anos, as políticas do FMI sancionadas pela UE não resolvem nada mas antes aprofundam a crise, levando o nosso país a um estado moribundo. A crise da Argentina de 2001 devia ser revista obrigatoriamente por toda a esquerda. A questão da alternativa de esquerda coloca-se de forma tão intensa como em 74. O PS é inegavelmente parte do FMI, parte da crise, parte do neoliberalismo e parte do problema. Só saindo do âmbito dos que nos impuseram este sofrimento, esta bancarrota nacional é que podemos encontrar a solução. O PS é o cimento que segura este regime da democracia “novembrista”. Mas o que precisamos é de outra democracia, a do povo, dos trabalhadores, do caminho para o Socialismo (como estava na nossa Constituição), do anti-imperialismo.

        • Antónimo diz:

          sim, isso será mesmo feito com o be agarrado como lapa ao PS, aos alegres, aos antónios costas. esses eleitores vendo que o be lhes dá o mesmo estão mesmo dispostos a deixar o original

  6. maradona diz:

    quem é a gaja que está a falar com o almeida santos? parece a lia gama, mas não sei. eu nunca sei quem é ninguém, tal é o meu conhecimento da historia portuguesa. é sempre muito engraçado quando morrem historicos do PS: são sempre uma novidade histórica para mim. o octávio pato, que o meu pai detestava porque tinha as mãos pequenas…. olha, foda-se, perdi-me no raciocinio, ia dizer uma merda sobre o PCP, e foi-se. a minha obra está cheia destes momentos.

    • Renato Teixeira diz:

      O que tem o seu charme é que são os gajos que normalmente assinam com pseudónimos os interessados em sabre o nome deste e daquele. Maradona, para se fazer obra é preciso obrar. Até ver o que tem é um blogue de autor ocasionalmente simpático, capaz de seduzir jugulentas (o Galamba também gosta?) e com as caixa de comentários mais sabujas desde a troca de mimos entre jacobinos e girondinos.

  7. Augusto diz:

    A Esquerda é PLURAL, coisa que parece esquecer o Ricardo Teixeira.

    Há muita gente que vota no PS, e é convictamente de Esquerda, é claro que isso é algo impossivel de compreender pelo o Ricardo Teixeira, que possivelmente vê Portugal, com os olhos de quem vive no distrito de Lisboa.

    Restringir a esquerda aos votantes do BE e do PCP , é não só um erro, como revela o mais puro sectarismo, pois atira muita gente, que pode ser aliada da esquerda, para os braços da direita. É um caminho complicado, com escolhos, com avanços e recuos, mas é assim que a esquerda poderá constituir-se como alternativa.

    E que partido permitiria com toda a liberdade, a 1 mês de eleições legislativas, que um seu militante, que se considera a voz da ” ala esquerda” do BE, afirmasse com todo o desplante, que o partido vai perder deputados.

    È nisto que reside a força, e já agora na minha opinião a fraqueza do BE , permitir o pluralismo de opiniões, mesmo quando, como neste caso, elas roçam a provocação.

    • Renato Teixeira diz:

      Ora enfim concordamos com algo. É por essas e por outras que um tal de Closer não apita mais provocações por aqui.

      Não percebo como se seduz a base de um PS descontente, fazendo alianças com o PS que os deixou insatisfeitos.

  8. Bruno Julião diz:

    Não sei se um dia acontecerá o receio do Renato: acompanhei o Congresso do BE e, como habitualmente, as maiores críticas de Louçã foram para o PS. Sobre este INCRÍVELMENTE PERIGOSO programa do PSD, muito pouco, muito pouco… – uma vez mais, esclarecedor…

    • Renato Teixeira diz:

      Bruno, imaginava-te com mais perspicácia do que o João Tiago Silveira. http://5dias.net/2011/05/08/convencao-do-be-viii-a-resposta-do-ps-ao-governo-de-esquerda-foi-peremptoria-e-nao-veio-da-boca-do-socrates-o-ps-quer-governar-com-o-psd-com-o-cds-ou-com-ambos/ Antes de te renderes ao Sócrates e ao PS percebias muito mais de política do que tens revelado recentemente. 😉

      • Bruno Julião diz:

        Uma vez mais, foges ao assunto que coloco com essas observações. Quero lá saber do João Tiago Silveira. Continuo a estar na política para unir, com pessoas de esquerda e o BE tem-me desiludido e, por isso mesmo, é difícil não fazer algumas observações sobre o BE de hoje.
        No comentário observei um facto que objectivamente não podes negar… podes é talvez dizer que estás contente com o inimigo que escolheram… Louçã é obcecado por votos do eleitorado do PS (só por isso apoiou Alegre) e os seus soundbytes (“Sócrates é o Sr. Troika”, caladinho sobre PPC que desde sempre defendia a “solução externa” que era difícil de evitar, talvez não impossível, é verdade) e atitudes estratégicas revelam esse objectivo númerico (e não programático, note-se) exclusivo: não se expõe, quando não defende as pessoas contra as medidas mais penalizadoras da troika, fugindo a reuniões (agora vem critícar – assim tb eu sou um partido político…). Já sei que achas que é uma espécie de dever ideológico não reunir…; evita criticar o PSD (ainda mais grave, com este programa absolutamente incrível, sem precedentes, do PPC…), concentrando-se no PS; quando o fizer, vai ser para dizer que é igual ao do PS, o que é obviamente Mentira, apesar de ser necessário um PS muito mais progressista.
        E pronto, agora, deseja uma coligação com o PCP, e com mais ninguém, afastando-se daquilo que muitos procuraram no BE quando nasceu ou porventura, admito que me tenha enganado, assumindo a sua verdadeira vocação exclusivamente comunista… Ou então é só uma provocação minha.

        Deixo-te só uma nota, não tão pessoal, como a tua: a meu ver, de vez em quando, é bom teres aqui comments de pessoas que não são radicais de esquerda…mas se achas que essa gente, como eu, não percebe suficientemente de política, peço desculpa pelo tempo que lhe tomo… 😉

        • Renato Teixeira diz:

          Oh Bruno, o tempo também te está a tirar a boa disposição. Nestas caixas de comentários o que não faltam são radicais de direita. Sabes bem que sempre considerei a tua opinião e sempre te tive como um gajo que esteve na luta com honestidade. Os teus comentários nunca são por isso uma perda de tempo. Desculpar-me-às que mude de ideias quanto à segunda premissa quando te vejo a insistir neste delírio para o qual o Sócrates conduziu o país. É que não sobra mesmo nada de esquerda a este PS.

          Não estou a fugir ao assunto. O BE perdeu a esperança neste PS mas mantém a ilusão de que há outro. Claro que esta convenção, com as sondagens a pique, teria que servir para limpar cagadas como a que aconteceu com o Alegre.

          Abraço.

          • Bruno Julião diz:

            Juro que estou sempre bem disposto. Não posso é por smileys a toda a hora 🙂
            A esquerda TODA (PS incluído, claro) tem de mudar para conseguir estar unida.
            Abraço

  9. Abilio Rosa diz:

    Preparem-se para mais uma «pirueta» do Bloco de Esquerda.
    E depois digam que o tio Abílio é estalinista e coisa e tal!

    • Antónimo diz:

      Estalinista não digo, mas sectário e apostado em tomar para as comissões de moradores para a CDU e deixar o Governo para o PS-PS-CDS lá isso digo. Junte-se aliás, aliás ao rui f, que noutro partido faz a mesma triste figura.

      • Rui F diz:

        Antónimo

        Por achar (ter a fezada) que uma aliança única BE+PC prejudica a Esquerda, sou sectário?

        Então sou sectário.

        • Antónimo diz:

          Não. Você é sectário por ser sectário. Basta lê-lo de uma ponta à outra. Não precisamos de falar desta aliança. Não há nenhuma intervenção sua em que não ataque o PCP, aliás, está-se marimbando para quem ganhe as eleições desde que não sejam os comunistas. Mal lhe cheira a entendimento do seu BE com estes desata logo aos gritos que vai votar no Portas (no Paulo). Mas também treslê resultado,s manifesta iliteracia numérica, citando e interpretando de forma intelectualmente desonesta (quando não factualmente errada) os valores eleitorais, não entende minimamente os comportamentos sociológicos dos eleitores nos partidos à esquerda. É o tipo de comentador completamente embirrento com quem não se pode discutir e com quem não se aprende absolutamente nada de útil a não ser que há quem pense que por ser ululante a cegueira tem mais força. Acho que fui claro.

          • Rui F diz:

            Antónimo

            a ver se me explico de vez: CADA MACACO NO SEU GALHO!

            Entendimentos – ALARGADOS e nunca ver a politica pelo funil – só depois das eleições.
            Louçã esteve muito bem: Já começamos a falar…

          • Rui F diz:

            Entre ser sectário e dizer baboseiras como você venha o diabo…

            Quer dizer que por eu não querer nenhuma aliança BE-PCP sem PS (ainda por cima pré eleitoral) sou adepto do Paulo Portas?
            Trate-se!
            Sectário é você que só vê a esquerda pelo funil.

          • Antónimo diz:

            Continuações… É mais fácil ver a baboseira no olho do outro do que vê-la derramada na nossa prosa diária e torrencialmente monomaníaca, berrada e ininterrupta, lá dizia Cristo. Viva a Comissão de Moradores lá da sua casa, onde será presidente, viva, viva!

          • Rui F diz:

            Isso é no teu partido, o tal que abocanhava todas as comissões e mais alguma!
            Sou mesmo sectário pá!
            Com o PCP a mandar ná…

      • A.Silva diz:

        Ora ai está uma boa proposta, juntar o abilio rosa e o rui f, são tão parecidos…

  10. Rui F diz:

    O Ricardo Teixeira não é só especialista em fazer bonecos no adobe.
    È igualmente especialista em não ouvir até ao fim, especialmente os discursos do Louçã, e particularmente o que fechou a convenção.

    Eu que não sou propriamente fã do Louçã, achei o discurso e a coerência excepcionais.

    Com estes posts o que “ganha” é atirar lenha para a fogueira, meter algumas cabecinhas de “atum” de alguns PC’s ao barulho e atiçar os FER.
    È a receita do Ricardo Teixeira: uns bonecos, umas cornetas e atacar a legitimidade duma tendência largamente maioritária.

    Quem vem aqui para descobrir algo novo, numa lógica de esquerda não sectária e não reaccionária, desengane-se.

  11. ricardosantos diz:

    na checoslovaquia não de fato não foi chumbo foi ferro e fogo

  12. Miguel Lopes diz:

    “declarações do José Manuel Pureza e do Francisco Louçã, ao defenderem uma convergência com o PS sem Sócrates”

    Fonte.

    • Renato Teixeira diz:

      Todos os jornais e telejornais do dia, inclusive em abordagem directa aos intervenientes. http://195.245.168.15/noticias/?headline=46&visual=9&tm=9&t=Louca-admite-coligacao-com-PS-para-governo-sem-Socrates.rtp&article=439966

      Mas também podes experimentar uma busca simples no google: http://www.google.pt/#sclient=psy&hl=pt-PT&source=hp&q=lou%C3%A7%C3%A3+defende+coliga%C3%A7%C3%A3o+com+PS+sem+s%C3%B3crates&aq=f&aqi=&aql=&oq=&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.&fp=e4b131207e45c050

      Julgo ter igualmente ouvido elementos da Moção C a acusarem a maioria de querer isso mesmo e de o ter dito claramente.

      Mas claro, tudo não deve passar de uma grande cabala, mas desta vez o BE ainda não se lembrou de o desmentir oficialmente.

      • Miguel Lopes diz:

        Em lado nenhum vi essa afirmação. Já vi todos os vídeos: a entrevista ao Louçã; as duas intervenções na Convenção, e não vejo lá nada disso.
        Preciso do discurso directo donde se extraiu essa afirmação.

        • Renato Teixeira diz:

          Miguel como São Tomé. Devias acreditar mais na honestidade do Pureza que desde o primeiro dia da sua militância no BE assumiu que defende essa unidade. De resto com uma frontalidade de se lhe tirar o chapéu pois chegou a recusar ser candidato se não o pudesse defender.

          Com tanto citador a mal citar já deveria ter chegado um desmentido, não?

          • Miguel Lopes diz:

            Mas do Pureza já sabemos com que contar. Do Louçã nem por isso. Preciso do discurso directo para ter a certeza, e obviamente que a inexistência de desmentido não chega para aferir a veracidade do que quer que seja.

          • Renato Teixeira diz:

            É curioso responderem na primeira pessoa a uma posta do 5dias e nem pio sobre esta verdadeira cabala.

          • Rocha diz:

            Retirado do Vermelhos.net:

            «Louçã clarificou à comunicação social que o governo de esquerda que tem defendido inclui o PS, mas sem José Sócrates. “Um Governo de esquerda que junte todos aqueles que querem salvar a economia do país”, afirmou, lembrando que é o PS que escolhe os seus dirigentes, e que o “engenheiro Sócrates quer governar este país durante 10 anos, só que a partir de dia 5 de Junho quer fazê-lo em coligação com o PSD e, porventura, em coligação com o CDS”.»

            Ao ser questionado o que é um governo de esquerda, Louçã podia dizer que se trata de juntar forças de esquerda “sem PS” mas disse “sem Sócrates”.

  13. Carlos Carapeto diz:

    Só quem é de direita tem “legitimidade” em diabolizar o BE, obviamente que não lhe pode agradar um discurso anti capitalista tão exacerbado. Qualquer agente económico interessado em aumentar a produção da riqueza nacional (deles) se assusta ao ouvir aquela “lenga, lenga” verrinosa.

    Mas eu como trabalhador assusta-me por não ter compreendido ainda qual o tipo de sociedade que o BE tem para oferecer ao povo Português, trabalhadores em particular.

    Porque até este momento sempre têm trabalhado à peça, oferecendo o formato mais procurado no mercado.

    Ora isso é muito perigoso. Vejam as alianças que têm feito e os apoios que têm tido ? Hoje já estão dispostos a aliar-se ao PS sem Sócrates, talvez um dia porque não, se fôr conveniente com o PSD sem o Coelho.

    O PCP não consegue mudar. Raramente se adapta a alianças de conveniência.

    Portanto já compreende-mos as razões porque o PCP é uma grande merda. Não consegue mudar . No entanto é o unico partido que sempre tem defendido claramente os direitos de quem trabalha. E assim sendo é dever de qualquer trabalhador defende-lo também. Porque é nosso, pertence-nos. Ninguém melhor que os comunistas até hoje fez mais por nós.

    • Rui F diz:

      Discutível.

      Os anarquistas, os anarco-sindicalistas, são verbos de encher?

      Essa porra da mania das grandezas do PCP etc e tal…

      • Carlos Carapeto diz:

        Outro que também tem a mania que é engraçadinho.

        Trabalho feito onde está? Onde andava essa gente no tempo da ditadura? O avô de alguém também foi anarco-sindicalista, só que acabou em deputado do PPD.

        Tenho muito respeito por um grande Anarquista de nome António Gonçalves Correia, que tive o previlégio de conhecer.

        Só que esse foi coerente até ao fim da vida. Deixou muito trabalho feito.

  14. Miguel Lopes diz:

    Mais uma vez Renato, mais uma vez..
    O bife era muito grande e não desconfiaste. As declarações de Francisco Louçã não permitem a inferência que a RTP fez: “Francisco Louçã diz que o Bloco de Esquerda está disponível para integrar um Governo de esquerda com o PS, mas sem José Sócrates”. Ver (http://www.rtp.pt/noticias/index.php?t=BE-admite-como-possivel-coligacao-com-PS-sem-Socrates.rtp&headline=20&visual=9&article=439931&tm=9). É até bastante grosseiro, é uma canalhice…

    • Renato Teixeira diz:

      Tanto canalha então que para aí há a caluniar o BE. O curioso, é que os canalhas confrontaram o Louçã e vários outros dirigentes do BE sobre o assunto, questionaram até o cabeça de lista da moção C, fizeram título disso em todos, repito, todos os meios de comunicação, e do BE não chega uma frase, um desmentido, um acerto de verbo. Louçã respondeu para quem queria ouvir: “todos os que queiram”, e por isso mesmo não há desmentido. Se houver, serei o primeiro a publicar. Não havendo, e depois de vermos o BE a desmentir bloggers no Esquerda.net, quem devia desconfiar do bife e já agora, da canalhice grosseira, és tu.

  15. Miguel Lopes diz:

    Eish…Ó Renato, não cauciones a mentira e a canalhice, nem juntes mais mentiras. É feio.
    O Louçã nunca diz na entrevista “todos os que queiram”, ele diz “este governo de esquerda é com quem aceitar este compromisso”.

    • Renato Teixeira diz:

      Feio é lamuriar sem inteligência. Onde está o desmentido? O que move tanto canalha diferente e tanto canalha que até milita no BE? Porque não deixou o BE claro que não quer nada com o PS? Essas perguntas não achas tu feio ficarem sem resposta.

      Pela tua lógica nada distingue a Moção maioritária da Moção C.

      • Miguel Lopes diz:

        A inexistência de desmentido pode levantar questões, certo, mas não transforma em verdadeiro aquilo que é falso. E essa notícia é mais que falsa, é artificiosa.

        “Pela tua lógica nada distingue a Moção maioritária da Moção C.”

        Há várias questões que distinguem a Moção C da Moção A, uma delas é suspensão dos pagamentos da dívida pública. Se a única distinção entre as moções fosse a acusação de que a Moção A quer uma aliança com o PS, isso seria um insulto à própria Moção C (cujos delegados ajudei a eleger).

        Abraço

        • Renato Teixeira diz:

          Mas as questões que isso levanta interessam-te muito pouco, lamentavelmente.

          • Miguel Lopes diz:

            Ao contrário. Exactamente por interessarem bastante essas questões, se torna necessário evitar as mentiras para as poder discutir. Isso fez o André Pestana na Convenção: em vez de tomar a notícia como verdadeira, pediu à Moção A que a viesse desmentir.

          • Renato Teixeira diz:

            E que resposta obteve? Porque não está no esquerda.net?

  16. Pingback: NOVA CAMPANHA INFAME? Afinal o governo de esquerda é sem Sócrates ou sem o PS? | cinco dias

Os comentários estão fechados.