Bobby Sands: a vida depois da morte, 30 anos depois!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Bobby Sands: a vida depois da morte, 30 anos depois!

  1. Rocha diz:

    Liberdade para Euskal Herria! Democracia e Direitos Humanos para os bascos! Independência e Socialismo! Abaixo a monarquia neo-franquista PPSOE!

    Assim se celebra o revolucionário Bobby Sands na luta!

    • Renato Teixeira diz:

      Na Irlanda, no País Basco e um pouco por todo o lado. Em Portugal, pelo menos desde a integração, que também já se voltava a lutar pela independência. 😉

      • Não faria mal nenhum que para os lados do Rocha, quem quer que seja, começasse a haver uma noção menos romântica e mais realista do absoluto nojo que sempre representou a ETA e do quanto sempre esteve afastada das ideias e dos anseios da esmagadora maioria dos bascos. A única opressão sobre a sociedade basca é a do extremismo e da violência, tudo baseado numa causa artificial e muito pouco antiga.

        • Rocha diz:

          Já passou muito tempo desde que em 1936 o franquismo acabou com a democracia à bomba continuado pelo mão do neo-franquismo borbónico de 1978. Já chega de fascismo!

          Nojo merece em Euskal Herria e em todo o resto do mundo ataques à liberdade e à democracia como fazem os neo-franquistas do PPSOE (partido único bicéfalo) que você apoia.

          Você é que o antigo e o artificial, o bolorento e o falangista, o povo de Euskal Herria quer apenas o que é seu por direito, Paz e Auto-determinação , Liberdade e Democracia. Goste ou não goste.

          • Por muito divertido que seja o seu exercício de adjectivação, confrange um pouco que ao fim de três coloridos parágrafos não reste senão o vazio e a ignorância. Na única altura em que diz realmente alguma coisa, afirma que o País Basco quer a auto-determinação.

            Se em vez de andar a brincar aos radicais adolescentes perdesse o mesmo tempo a informar-se, não cometeria erros tão grosseiros e saberia fazer distinções entre “independência”, “autonomia” e “ETA”, em vez de colocar tudo no mesmo saco.

            E saberia com certeza que a maioria dos bascos não quer a independência e que, mesmo dentro dos independentistas, o apoio à ETA foi sempre residual. E se tivesse vivido no País Basco – veja lá, como eu – saberia de onde surge o medo e saberia que verdadeiro sentido dão os bascos à Liberdade.

            Faça-lhes um favor e não projecte sobre aquele povo valente as paranóias e os complexos que são seus. Mas admito que, mesmo tratando-se de um assunto sério, a sua histeria foi cómica. Eskerrik asko etortzeagatik.

          • Rocha diz:

            Oraingoan bai!!
            Zorionak Bildu!!

  2. subcarvalho diz:

    Um grande filme sobre o acontecimento que passou há uns dias na rtp2
    http://www.imdb.com/title/tt0986233/

    • Renato Teixeira diz:

      indeed! O tipo que faz de Bobby é genial e o dialogo com o Padre é um dos momentos mais bem esgalhados que já vi no cinema. Muito bom.

Os comentários estão fechados.