AVALIAÇÃO DE ALUNOS – NOVAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS

QUESTÃO PROPOSTA:
6 + 7 =

RESULTADO APRESENTADO PELO ALUNO:
6 + 7 = 18

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DO PROFESSOR

ANÁLISE:

– A grafia do número 6 está absolutamente correcta; O mesmo se pode concluir quanto ao número 7;
– O sinal operacional + indica-nos, correctamente, que se trata de uma adição;
– Quanto ao resultado, verifica-se que o primeiro algarismo (1) está correctamente escrito e corresponde de facto ao primeiro algarismo da soma pedida.
– O segundo algarismo pode muito bem ser entendido como um três escrito simetricamente – repare-se na simetria, considerando-se um eixo vertical!
– Assim, o aluno enriqueceu o exercício recorrendo a outros
conhecimentos. A sua intenção era, portanto, boa.

AVALIAÇÃO:
Do conjunto de considerações tecidas nesta análise, podemos concluir que:

– A atitude do aluno foi positiva: ele tentou!
– Os procedimentos estão correctamente encadeados: os elementos estão dispostos pela ordem precisa.
– Nos conceitos, só se enganou (?) num dos seis elementos que formam o exercício, o que é perfeitamente negligenciável.
– Na verdade, o aluno acrescentou uma mais-valia ao exercício ao trazer para a proposta de resolução outros conceitos estudados – as simetrias -realçando as conexões matemáticas que sempre coexistem em qualquer
exercício…
– Em consequência, podemos atribuir-lhe um ‘EXCELENTE’ e afirmar que o aluno ‘PROGRIDE ADEQUADAMENTE’.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 respostas a AVALIAÇÃO DE ALUNOS – NOVAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS

  1. Alex. diz:

    Se o objectivo é ser engraçada, então, para alguns talvez tenha sido…
    Por curiosidade – sabe o que é um Plano Individual de Trabalho? É qualquer coisa que está no extremo oposto daquilo que refere, não deixando de ser irónico; é um plano que visa a recuperação de conteúdos perdidos pelo aluno, quando impossibilitado de assistir às aulas devido a questões de saúde ou, muito simplesmente, de situações que decorram de processos disciplinares e respectivo afastamento temporário da escola; nestes planos, o aluno, tem direito a uma plano individual de trabalho, que pode incluir aulas extraordinárias, que visa facultar-lhe os conteúdos aos quais não teve acesso; como vê, uma situação plena de justiça e que vai ao encontro do que procura transmitir…
    Acresce dizer que esta é uma situação real; quanto à que refere, notória falta de conhecimento da realidade e desvalorização de quem todos dias trabalha nas escolas.

  2. Raquel Varela diz:

    Caro Alex,
    Já dei aulas. O objectivo não é ser engraçada, é desmascarar com humor a gigantesca fraude de um sistema que promove falsos resultados.
    Saudações
    http://www.revistarubra.org/?page_id=171

    • joão viegas diz:

      “O objectivo não é ser engraçada, é desmascarar com humor ”

      – A resposta denota uma atitude positiva, você tentou responder à pergunta.

      – “O objectivo” traduz uma correcta compreensão da objecção feita no comentario.

      – A identificação do “objectivo” com a ideia de “ser engraçada” foi efectuada correctamente e traduz boas capacidades de leitura.

      – As palavras “desmascarar com humor” mostram que também identificou com rigor a outra resposta possivel.

      – A separação das duas proposições, com uma virgula, demonstra que você pressentiu que elas se encontram numa relação problematica entre si do ponto de vista logico e que juntas poderiam chocar com o principio da não-contradição.

      – E’ certo que, no seu conjunto, a frase deixa a sensação de que você ainda não assimilou completamente que uma virgula não exprime oposição, antes implica que as duas ideias são afirmadas ao mesmo tempo, o que se traduz pela impressão que você esta a dizer uma coisa e o contrario. Mas esta pequena falha é perfeitamente negligenciavel.

      – No total, você mostra estar perfeitamente à altura e, embora com uma ligeira carência no que toca à eficacia geral da resposta (mas quem não tem insuficiências não frequenta a escola), o seu desempenho deve ser considerado como globalmente positivo.

      18 valores (sobre 20).

    • Alex diz:

      Nesse ponto estamos de acordo – estou dentro do actual sistema e sei bem o que ele produz; importa então perceber o que leva a estes resultados; há fatias de culpa para muitos, mas creia que a maior é, sem dúvida, para o Ministério da Educação que cria e possibilita a existência desses mecanismos.

      • Raquel Varela diz:

        Alex,
        Eu estou convencida que a situação só não é pior justamente porque os professores não aplicam todas as indicações que o Ministério dá. Na minha família todas as gerações, passadas e futuras, andaram, andam e andarão na escola pública. O mesmo não se passa com os filhos da esquerda livre, tolerante e democrática, que andam em colégios privados onde o respeito é um valor democrático, a exigência um bem a favor do progresso. Recuso aceitar que só há duas escolas: a fascista e a massificação da estupidez e da fraude. No meio há muitas escolas e escolas onde a democracia convive com a inteligência e a cordialidade entre os seres humanos.
        Saudações

  3. JMJ diz:

    Falta à Raquel o inevitável, “No meu tempo, havia respeito…” que sempre acompanha um discurso autoritário, normalmente associado a piadinhas como a que aqui reproduz.

  4. ricardosantos diz:

    Então sempre houve provas ?então os professores comandados pelas avoilas e companhia que lhe chupam o dinheiro não estiveram em greve? pois é nem eles nem os outros já abriram os olhos.

  5. Rogério Maia diz:

    Bela tendência ortográfica a do João Viegas

    “E’, comentario, possivel, problematica, logico, negligenciavel, eficacia ”

    Rrio

    • joão viegas diz:

      Ola,

      Teclado francês. Impossibilidade de colocar os acentos tonicos (a não ser perdendo horas à procura). Não é tendência, é mesmo estrutura.

  6. Cecília Costa diz:

    Tive de confirmar que estava no “5 dias”.

Os comentários estão fechados.