A hipocrisia do subsídio de desemprego para os recibos verdes

A frase do ponto 4.1 do «Memorando da Troika é esta: «Apresentação de uma proposta para alargar a elegibilidade para receber o subsídio de desemprego para categorias claramente definidas de trabalhadores independentes que prestam serviços a uma única empresa numa base regular».
Ou seja, estender o subsídio de desemprego aos falsos recibos verdes.
Uma verdadeira hipocrisia, pois. Porque se são falsos não deviam existir. Em vez deles, tinham de ser estabelecidos os normais contratos de trabalho a termo certo ou incerto.
Não é a primeira vez que o Governo faz isso: em vez de combater os falsos recibos verdes, legitima-os. E pelo que se percebe agora – «prestam serviços a uma única empresa numa base regular» – é muito fácil perceber se um recibo verde é falso ou não. Basta vontade política.
E ainda há quem fique contente com isto.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

Uma resposta a A hipocrisia do subsídio de desemprego para os recibos verdes

  1. Maria da PURIFICAÇÃO diz:

    Enquanto não se modificam as realidades deste tipo, ao menos alguma de proteção social para estes trabalhadores.
    Já agora para quando está determinda a entrada em vigor do subsidio de desemprego para estes trabalhadores?

Os comentários estão fechados.