O Pedro Correia não se importa de me explicar, como se eu fosse uma criancinha de quatro anos, como é que isto ajuda na luta contra o terrorismo? Não era possível capturá-lo com vida e julgá-lo?

O líder da al-Qaeda, Osama bin Laden, não estava armado quando foi morto no domingo durante uma operação das forças especiais norte-americanas no Paquistão.[…]

“Existia inquietação sobre o facto de bin Laden resistir à operação de captura, e com efeito resistiu (…) Bin Laden foi morto pelo disparo de bala. Não estava armado”, referiu Carney.

Esta noticia só me faz ter menos confiança na preparação das forças de elite norte-americanas. Três ou quatro militares, suponho que no auge da sua juventude e fortemente armados, não são capazes de capturar um homem de 60 anos desarmado sem lhe meterem um balázio na cabeça…

Pois, e o Pai Natal existe e vive na Lapónia, não é?

ADENDA:

Uma filha de Osama bin Laden assegurou que o pai foi capturado vivo pelos soldados norte-americanos antes de ser assassinado, segundo o canal de televisão árabe al-Arabiya, citando uma fonte das forças de segurança paquistanesas.

via subcarvalho, na caixa de comentários.

Será que não há para aí um filmezito que dissipe as duvidas? Ou a operação não foi gravada? Pois, e o Pai Natal existe e vive na Lapónia, não é?

ADENDA 2:Leon Panetta confirma que as ordens recebidas de Obama eram claramente para matar e não simplesmente para prender

via Joana Lopes 

E a pergunta persiste e ganha novo sentido: qual o interesse dos EUA em matar Bin Laden e não capturá-lo?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a O Pedro Correia não se importa de me explicar, como se eu fosse uma criancinha de quatro anos, como é que isto ajuda na luta contra o terrorismo? Não era possível capturá-lo com vida e julgá-lo?

  1. Insurrecto Meditativo diz:

    Acho muito bem. Não, permitam-me reformular: pena que não tenha sido alvo de algumas práticas comuns na era medieval.

    Adeus, Osama, não fazes falta a ninguém!

    Para quando um artigo neste blogue sobre o que se está a passar na Síria? Ah, ok, só quando a NATO intervir. Tinha-me esquecido, desculpem.

  2. niet diz:

    Prezo e valorizo muito a objectividade e independência crítica
    que fundamenta este post. O único caminho revolucionário, claro.
    No assalto à fortaleza do Bin-Laden houve 4 mortos e 18 pessoas
    foram capturadas. Para mais pormenores abalizados, ler o artigo
    de Jeremy Scahill- Sort of like Murder, Inc, na The Nation OnLine,
    de ontem. E, por outro lado, ter a coragem e vontade de ler os
    comentários- centenas- dos leitores do The Guardian. Niet

  3. Rocha diz:

    Insurrecto meditativo? Pensei que tinha lido insurecto Mediaval!

    Para a Síria, rapidamente e em força! Vá lá primeiro o insurrecto que nós vamos a seguir.

  4. xatoo diz:

    lá vem o Niet com as suas tangas mediático-corporativas de “referência pseudo-eruditas”: abre os olhos mula – é que entretanto a Casa Branca face ao insustentável peso do embuste já mudou de tanga: Afinal a batalha final contra Bin-Laden nunca aconteceu:
    http://www.huffingtonpost.com/2011/05/03/white-house-revises-bin-laden-final-moments_n_857073.html
    entretanto acho um piadão como os analistas “de esquerda” continuam a discursar tomando por principio pressupostos errados, como se “Bin-Laden existisse de facto e não fosse uma criação mediática para amedrontar a população e implementar medidas de controlo securitário global contra a dissidência. Continuem assim que a “vossa esquerda” irá longe, estão a mesmo nivel dos telespectadores da Fox News

    • miguel serras pereira diz:

      De inexistência em inexistência, qualquer dia fica o xatoo a braços com a única realidade que admite: o judaísmo internacional.
      Eu explico: Bin Laden foi uma invenção mediática. O Hamas, o Irão, etc. são invenções mediáticas imperialistas, como prova o aval – incompatível com a existência – que dão à invenção mediática de Bin Laden e do 11 de Setembro. Os próprios Estados Unidos também não existem a não ser como ilusão mediática do sionismo. Restam, portanto, Israel e o xatoo. Ou melhor, restariam… porque, hélas, o próprio xatoo, saiba-o ou não, só pode ser uma criatura da Mossad.

      msp

    • Niet diz:

      Há sérios sintomas de psicose neuro-depressiva no sr. xatoo, pois, passa a vida a alvejar alvos imaginários…. Eu citei um texto On Line da The Nation – que toda a gente lê- e datado do dia 3, anteontem – que sinalizei num blogue USA. O sr. xatoo tenta passar a mensagem- de hoje, dia 5- do Huffington Post, ignorando, por manipulação crassa e rasteira a sua data de emissão- que me abstenho de qualificar. Sabe-se lá por que carga de necrofilica alucinação, o sr. xatto tentou detectar ” encobrimento ” suspeito da minha parte. Há, é verdade, tinha-me esquecido que o sr. xatoo tem as teorias de Foucault por caução heterodoxa para o seu pensamento…Como dizia P. Mattick, ” aparentemente, oportunismo e realismo são a mesma coisa “, mas, no inverso, o sr. xatoo segue sempre a direcção mais fácil e miserável de tentar menosprezar os interlocutores que tentam afastar-se das suas lobias e pesadelos. Niet

  5. miguel serras pereira diz:

    Rafael Fortes,

    há, para a pergunta: — “Leon Panetta confirma que as ordens recebidas de Obama eram claramente para matar e não simplesmente para prender (…) E a pergunta persiste e ganha novo sentido: qual o interesse dos EUA em matar Bin Laden e não capturá-lo?” — uma resposta óbvia. Já a sugeri num comentário ao excelente post da Joana Lopes aqui referido – cf. http://www.blogger.com/comment.g?blogID=1565842508268911669&postID=856039476089791806 -, sendo que a própria Joana a admite também: a camisa de onze varas que seria para as autoridades americanas terem de julgar Bin Laden ou verem-no reclamado por um tribunal internacional é uma razão poderosa da “ordem para matar”. O modo como esta ordem terá sido executada (sobre o “santo guerreiro mártir” desarmado e talvez já depois de o homem estar fisicamente dominado, etc.) e talvez outros aspectos do mesmo teor será uma das razões – senão a grande razão – para a relutância do governo americano em divulgar as imagens filmadas.

    Enfim, Rafael, já que estamos nisto e quanto às questões de fundo que o seu post levanta, transcrevo uma parte do comentário que deixei no Brumas:

    “Devo dizer que se como operação militar punitiva a liquidação de Bin Laden não me choca, considero uma séria ameaça a hipocrisia (já por ti denunciada) que a apresenta como “fazer justiça” e a hipocrisia dos governos que a aplaudem como uma vitória do direito.

    Mais arrepiantes são ainda as declarações a que te referes no sentido da justificação da tortura nos casos de “suspeitos de terrorismo”. Razão tem o Ricardo Alves num post (http://esquerda-republicana.blogspot.com/2011/05/ossama-bin-laden-1957-2011.html)em que se refere às vitórias de Bin Laden, que perduram e que, como bem mostras, os seus inimigos, em cooperação com os seus aliados, estão a tentar consolidar ao nível da ordem global”.

    Saudações democráticas

    msp

  6. xatoo diz:

    o camarada Niet vem aqui hoje quarta feira dia 4 (logo acolitado pelas Vias da sua sombra) e diz que eu citei uma noticia de dia 5 que é amanhã – Niet tem o poder de produzir oráculos futuristas – e depois quem tenta tirar o barrete a estas luminárias é que trabalha sobre percepções imaginárias…
    mas o que interessa são realidades palpáveis e não os nomes que eles me chamam – e os factos são factos indesmentiveis, como disse o outro
    1. o porta voz da Casa Branca Jay Carney veio comunicar na terça feira que havia fotos do combate e da morte; mas que a fotografia do cadáver de bin-Laden “era horrivel” e por isso não a tinham mostrado logo. Como prova, era o minimo. Mas como era “horrivel” atiraram o cadáver ao mar
    http://br.noticias.yahoo.com/eua-foto-corpo-bin-laden-%C3%A9-horr%C3%ADvel-203202115.html
    2. para os jornais aparecem vindas de algures umas fotos photoshopadas; não colaram.
    3. Hoje de manhã aparece a noticia (que citei) no HuffingtonPost citando o mesmo Jay Carney dizendo que afinal não tinha havido combate nenhum
    4. e agora, dia 4 à tardinha, aparece uma noticia da CNN a dizer que a administração Obama não tenciona mostrar fotos nenhumas (diz que não mostra troféus)
    http://news.blogs.cnn.com/2011/05/04/pakistan-source-some-in-bin-laden-compund-in-custody-being-interrogated/
    5. e há alminhas que não notam nada de estranho neste cozinhado “porque toda a gente lê “The Nation” e lá (como na Time Out ou no Público, que também tem opiniões de “esquerda”) não vem nada disto escrito. Ao menos Niet e MSP, para não fazerem figura de urso, podiam falar pela sua cultura politica própria e não pela de “toda a gente”

  7. Niet diz:

    Oh. sr. xatoo, intriga-me o seu visceral facciosismo. Será
    má consciência ou ignorância pura e simples? Percebeu
    que mesmo a diferença horária jogava a meu favor, ou não?
    Como disse Benny Levy a Foucault, ” No primeiro lance da revolução
    ideológica, sou pela pilhagem, sou pelos excessos. É preciso torcer o
    bastão no outro sentido, e não podemos alterar o Mundo sem partir
    ovos! , ao que o filósofo contra-atacou: É preciso sobretudo quebrar
    o bastão “. Niet

Os comentários estão fechados.