Declaração dos Direitos d@s Trabalhadores/as do sexo na Europa

Déclaration des Droits des TravailleuSEs du sexe en Europe

Cette déclaration a été élaborée et ratifiée par 200 travailleuSEs du sexe et leurs alliés de 30 pays européens à la Conférence Européenne du Travail Sexuel, des Droits de l’Homme, du Travail et de l’Immigration qui s’est tenue du 15 au 17 octobre 2005 à Bruxelles.

Pourquoi avons-nous besoin d’une Déclaration des droits des travailleuSEs du sexe en Europe ?

Documento legivel em português aqui

Ver também:

International Union of Sex Workers

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a Declaração dos Direitos d@s Trabalhadores/as do sexo na Europa

  1. António Fonseca diz:

    Isto o melhor era voltar ao fascismo c uma prostitução limpinha. Olha o melhor mesmo era fazer o mesmo c o trabalho infantil: é legalizar essa merda e a pequenada poder sindicalizar-se.

  2. Maria Lopes da Silva diz:

    Ó Sérgio Vitorino, explique-me lá a diferença entre uma criança trabalha para ganhar dinheiro, uma mulher ou um homem prostituírem-se para ganharem dinheiro, e já agora, uma criança que prostitui-se para ganhar dinheiro?

  3. Sérgio Vitorino diz:

    Maria, assombra-me que não a conheça. A diferença de capacidade de consciência, análise e recusa de situações de abuso entre uma criança e uma pessoa adulta consciente e informada?

    • Maria Lopes da Silva diz:

      De facto um assombro, uma mulher ou um homem prostituirem-se não é um abuso, são escolhas conscientes e informadas. Assombra-me sim.

      • Inês Meneses diz:

        A Maria acha que só a sua consciência e as suas escolhas é que são válidas, é? Mesmo quando são os próprios a reivindicar respeito e reconhecimento? Tem mandato de quem, Deus?

  4. Inês Meneses diz:

    (bem-hajas pelo post, Sérgio, como se nota há um longo caminho até as pessoas perceberem que a sua forma de vender o tempo não é melhor que a das outras)

Os comentários estão fechados.