A versão moderna do povo em armas

Três estruturas de apoio ao funcionamento das portagens na Via do Infante (A22), no Algarve, foram incendiadas na madrugada do 25 de Abril. Boliqueime, Loulé e Olhão foram as localidades visadas e a acção terá decorrido entre as 3h e as 6h, tudo indica que foi concertada e ocorreu em simultâneo. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária que até ao momento não apresentou nenhuma pista palpável sobre o grupo que levou a cabo esta operação. Assim, a intenção do governo de instalar portagens na A22 tem a justa resposta por parte dos habitantes que ao contrário de qualquer abaixo-assinado, petição ou vigília parecem ter descoberto a maneira de travar, no terreno, a aplicação deste imposto. Com o preço da gasolina acima de 1,50€ não é de espantar que este tipo de reacções comece a fazer escola também nos postos de abastecimento, nas grandes superfícies ou mesmo nos locais de consumo que a crise, o PEC, o governo e o FMI querem tirar à maioria das pessoas.

A expressão do desespero, da revolta e da resistência ainda só agora começou.

Publicado também na Rubra

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

19 Responses to A versão moderna do povo em armas

  1. Pingback: Portagens na A22 declaradas ilegais | cinco dias

Os comentários estão fechados.