A batalha da História

imagem retirada daqui

Daqui a uns anos, haverá sempre um José Manuel Fernandes ou uma Helena Matos, que utilizará esta capa do Expresso (05.02.2011) para negar a presença do FMI em Portugal, atribuindo a culpa de todos os males desta época aos trabalhadores, aos sindicatos e aos comunistas. O resto da discussão fica para mais tarde.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a A batalha da História

  1. António diz:

    Não diga isso. Quem, ao longo da história, tem tido a obsessão de alterar a verdade dos factos tem sido sempre o Partido Comunista. Só para dar um exemplo, em Portugal após a conturbada época de 74/75 andam a vender ao país a luta contínua pela liberdade e democracia. Como se alguma vez na história de todos os PC’s se pudessem associar estes termos…

  2. Sassmine diz:

    de facto, António, se há coisa de que podemos ter a certeza é de que nenhum PC alguma vez lutou pela nossa liberdade e pela democracia. eram, aliás, amigos do Silva Pais e levavam-lhe marmitas à António Maria Cardoso.

  3. menvp diz:

    «A VERDADE INCONVENIENTE é que não existiam, na economia portuguesa, razões substantivas quer em termos do sector financeiro, quer em termos de dívida (mais baixa do que a da Itália), quer em termos de défice (mais baixo do que o de vários países da UE) que justificassem a dimensão dos fortíssimos ataques especulativos de que foi vítima, ao contrário da Irlanda ou da Grécia…»

    1- Os ‘ataques’ dos corruptos poderão custar milhares (ou milhões)… todavia, o cidadão poderá fazer alguma coisa…
    2- Os ‘ataques’ dos especuladores custam milhares de milhões… e… o cidadão está de mãos atadas – não pode fazer nada!

    Resumindo e concluindo: é urgente uma nova alínea na Constituição: o Estado só poderá pedir dinheiro emprestado nos mercados… mediante uma autorização obtida através da realização de um REFERENDO.

  4. ricardosantos diz:

    MAIS UMA CENSURA VIVA A LIBERDADE

Os comentários estão fechados.