David entende-se contra Golias?

Hamas

Fatah

O Hamas e a Fatah, as duas principais forças políticas e militares na Palestina, assinaram um acordo que para além da libertação reciproca dos presos políticos e da rejeição de verbas dos EUA, constitui um governo de unidade nacional até às eleições. Israel, de imediato, disse que tal acordo põe em causa o processo de paz, como se este estivesse em vigor. Tal declaração, de quem alternadamente tentou influenciar a política de um e de outro grupo, justifica-se também pela cada vez maior abertura da fronteira de Gaza com o Egipto e é um péssimo prenúncio. Os anos de ocupação israelita ensinaram os palestinianos que quando Telavive não concorda adensam-se as nuvens de nova intervenção em larga escala. Desconfio, por regra, de governos de unidade nacional, mas quer pela reacção de Israel quer pela intensidade do genocídio em marcha, já não será mau se este acordo começar, para variar, por servir os interesses dos palestinianos. O que terá dito a FPLP? E o Hezbollah libanês? E o novo Egipto? E a resistência jordana? E os rebeldes sírios?

Vídeo roubado ao Octávio Raposo

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

8 respostas a David entende-se contra Golias?

  1. José diz:

    “O que terá dito a FPLP? E o Hezbollah libanês? E o novo Egipto? E a resistência jordana? E os rebeldes sírios?”
    A FPLP compreende-se, mas que têm a ver o Hezbollah libanês, o Egipto, a Jordânia e os rebeldes sírios a ver com a política interna palestiniana? Porque não perguntar a opinião das Farc, do PT, do partido québécois, da ETA, do IRA, da resistência chechena, dos ulémas sauditas, da Falange libanesa, do Amal libanês, dos hassídicos, do PCP, do BEe tutti quanti???

    • Renato Teixeira diz:

      Porque são esses os grupos com maior ligação à causa palestiniana. No caso dos rebeldes sírios seria importante saber o que pensam disso e do colonialismo israelita. Para o bem e para o mal serão eles o futuro da Síria e este não é um actor secundário relativamente ao colonialismo israelita.

    • Carlos Carapeto diz:

      E o têm a ver os EUA,a Dinamarca, o Canadá , a Austrália e toda essa chusma de lorpas, e a p… que os p… a todos a ver com a Palestina, a Líbia o Médio Oriente, a Ásia, a África para meterem o nariz onde não devem , massacrando inocentes?

      • José diz:

        Sim , a Dinamarca é conhecida pelos seus massacres de inocentes.
        Claro que terão passado mais de mil anos desde o último, mas ainda agora se fala deles.
        Este Carapeto é genial!

  2. José diz:

    E, só por curiosidade, quem é o David e o Golias, neste caso, em que os dois jogadores são o Hamas e a Fatah?

  3. José diz:

    🙂 Sabe, nestes casos de simbologia, os olhos de um vêem monstros onde outros fitam príncipes e vice versa.

Os comentários estão fechados.