Triste Europa, ridiculos media

Perante a noticia de uma multiplicação por 8 da extrema-direita xenófoba finlandesa, o Público pela pena de Cláudia Carvalho preocupa-se com o facto de termos dificuldades em receber uma esmola do país nórdico. O facto de uma democracia considerada como das mais progressistas da Europa passar a ter como 3ª força parlamentar, ombro a ombro com os partidos do “sistema”, uma força anti-democrática nem sequer é motivo de reflexão ou explanação.

Parece que cada vez mais, os media deixam de ter noção do ridiculo em que caem…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

21 respostas a Triste Europa, ridiculos media

  1. !!! diz:

    Pôrra, pá! Quatro meses de ausência é muito! Habituaste-nos a uma presença e a um ritmo e depois deixaste-nos desamparados. Notou-se. Por exemplo, contava contigo para nos falares do Congresso do Partido Cubano e das transformações sociais nesse país. Bem vindo de novo, a esta modesta trincheira do combate progressista.

    • Rafael Fortes diz:

      obrigado e desde já as minhas desculpas a ti e a todos os leitores do 5 dias pela ausência. esta foi motivada pelo meu despedimento e consequente mudança de país, de casa, etc…

  2. Gentleman diz:

    > O facto de uma democracia considerada como das mais progressistas da Europa passar a ter como 3ª força parlamentar, ombro a ombro com os partidos do “sistema”, uma força anti-democrática

    Durante a maior parte dos os últimos 35 anos Portugal também teve um partido anti-democrático como 3ª força parlamentar.

    • Rafael Fortes diz:

      apesar de concordar parcialmente consigo, creio que o CDS não está ao nivel da extrema direita radical finlandesa

      • Gentleman diz:

        Durante a maior parte dos últimos 35 anos, o CDS não foi a 3ª força parlamentar. Foi a 4ª…

        • Rafael Fortes diz:

          entao não percebo o seu comentário…
          o que queria dizer, então?

          • José diz:

            O que o gentelman queria dizer é que, durante muitos anos, o PCP foi a 3ª força parlamentar e que um partido comunista – este ou outro qualquer – tem, como fim último, a extinção da democracia parlamentar.

          • Rocha diz:

            O fascista Gentleman agora tem a companhia do José, epá como o anticomunismo está na moda! Cuidado que o 25 de Abril é só daqui a uns dias e voltem para a vossa toca salazarenta.

            O Rafael ainda não percebeu como à boleia do anticomunismo há muitos fascistas que nos querem dar lições de democracia. Eu percebo a sua perplexidade.

          • DrStrangelove diz:

            Qual é o partido que, ao longo da sua história, apoiou e foi apoiado (incluindo financeiramente) apenas por países onde não havia eleições livres, liberdade de associação, liberdade de religião, liberdade de emigração?
            Qual foi?

            P.S. Rocha, concretamente isso de “fascista” designa todos os que estão à direita do PCP, não é?

          • Rafael Fortes diz:

            está a falar das ligações perigosas do PS de Soares à Coreia do Norte, não?

          • José diz:

            Os argumentos do Rocha querem fazer jus ao nome.

  3. Tiago Resende diz:

    Vamos a ver se percebo este post… O partido “Verdadeiros finlandeses” é anti-democrático, xenófobo e todos os outros adjectivos que lhe queiras impingir. Mas o PCC (cubano ou chinês, tanto faz) é um partido que pugna pela democracia e pelas liberdades individuais?

  4. Leo diz:

    “uma democracia considerada como das mais progressistas da Europa” ????? Mas quem é que a considerou uma das mais progressistas da Europa? E porque carga de água é que é considerada progressista? Já se esqueceu do papel da Finlândia no desmembramento da Jugoslávia e na guerra do Afeganistão e Iraque, por exemplo?

    • Rafael Fortes diz:

      nao acha que a questao central é saber pq um partido de extrema direita tem uma representação parlamentar tao significativa?

      • Leo diz:

        Vejo que não me respondeu. Eu não considero que a Finlândia seja considerada uma das mais progressistas democracias da Europa. E infelizmente a expressão da extrema-direita por lá nem é muito diferente da expressão da extrema-direita na Holanda, França, Áustria, Hungria por exemplo. É bom que olhemos para os países nórdicos como eles são de facto e não como nos têm vendido.

        • Rafael Fortes diz:

          seja uma democracia progressista ou conservadora, não me parece ser essa a principal questão. E se me diz -embora não tenha essa percepção- que nos países nórdicos a extrema direita atinge votações de 20% talvez fosse uma razão maior para preocupação…

  5. Rafael Fortes diz:

    Obrigado, José, mas com cavalheiros como o Gentleman eu preciso que me exliquem tudo…

  6. DrStrangelove diz:

    O conceito que os comunistas têm de democracia foi sempre muito peculiar. Por isso, quando neste blogue lemos a palavra democracia temos que interpreta-la de uma forma completamente diferente da habitual. O que estamos a ler é novilíngua orwelliana.

Os comentários estão fechados.