THE IMF MILF: “As pessoas que estão na macro não entendem bem a micro e a macro é um conjunto de somatório de indicadores de uma micro que se tem que criar condições para que ela exista.”

Teresa de Arriaga

Estela Barbot

Lili Caneças

A Quinta da Marinha tomou conta do FMI, que por sua vez tomou conta de Portugal. Em anexo, outros eixos programáticos de grande fôlego, seleccionados deste sketch verdadeiramente futriano:

“Uma postura séria de uma pessoa que quer que as coisas se resolvam.”

“Tratei com multinacionais”

“Já não é de agora que nós não estamos a ser bem vistos.”

“Em termos de convergência [os últimos 10 anos] foi horrível”

“Não podemos continuar a não ter sentido de Estado”

“A minha linguagem vai ser sempre empresarial para melhor entendimento das pessoas.”

“Temos um problema estrutural da economia”

“Esquecemos-nos de aproveitar o que é bom”

“O estado social está num enorme risco”

“Nós todos, eu acho, que dignos e cidadãs, se preocupa com os desempregados”

“Tenho muita pena que as coisas tenham chegado a este ponto”

“Temos que ser muito dignos e dar a informação”

“Tem que se ter muito cuidado na maneira como se divulga a informação. Muitas vezes as coisas ficam fora de controle da maneira como o processo é feito.”

“Os portugueses têm que estar informados dos sacrifícios que têm que fazer.”

Não é a distribuir o pouco que temos que vamos lá.”

“Não é um sinal indigno pedir ajuda.”

“Vivemos num mundo um bocadinho hipócrita.”

“O papel da banca tem sido proactivo no mundo.”

“É nos momentos bons que se devem fazer as grandes reformas”

“Temos que ser criteriosos. Basta.”

“Não interessa nada ter contratos colectivos”

“Não podemos querer só direitos, direitos, direitos.”

“Deus queira que ninguém pense que isso [sair do euro] é uma solução. (…) Espero que isso não aconteça nunca.”

“Há organizações importantes como a OMC, que trata do comércio.”

“Não vejo outra solução para o país que não fazer privatizações”

“Têm que ser aplicadas urgentemente [as receitas neo-liberais].”

“Quando aumentaram os salários deram um sinal errado às pessoas.”

Excertos de Estela Barbot, única representante portuguesa no FMI.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a THE IMF MILF: “As pessoas que estão na macro não entendem bem a micro e a macro é um conjunto de somatório de indicadores de uma micro que se tem que criar condições para que ela exista.”

  1. a anarca diz:

    Seu malvado 🙂
    há um ditado espanhol que diz :
    macacos de seda macacos ficam :)))

  2. Boots diz:

    Esta sra. é profissional da prostituição… empresarial, para que assim sejamos claros e toda a gente perceba.

  3. ana gusmão diz:

    falta aí um dos meus preferidos “eu desde muito nova que trato com o estrangeiro porque sempre trabalhei com produtos químicos!”

  4. psd da boa-fé diz:

    O Futre anda a fazer escola.

    • Renato Teixeira diz:

      Engana-se Boa Fé. O Cultucide é que anda. E a Barbot, claro. O Futre é um aprendiz de feiticeira neste campeonato.

  5. Grumbler diz:

    A pergunta a colocar ao Renato.. mas será mesmo uma M que tu LF ? 😀

  6. Grumbler diz:

    E a bem da verdade ela tem mais uma postura de cougar que de MILF 😉 😀

  7. mesquita alves diz:

    Caríssimos,
    Não se deve fazer críticas generalistas. Esta senhora, foi +/- minha contemporanea.
    Devem ir à raiz do problema. Quem a nomeou?

Os comentários estão fechados.