ANEDÓTICA EST(R)ELA BARBOT, ÚNICA REPRESENTANTE DE PORTUGAL NO FMI: O que é que Almada dizia da nossa burguesia?

Via Helena Borges

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

54 respostas a ANEDÓTICA EST(R)ELA BARBOT, ÚNICA REPRESENTANTE DE PORTUGAL NO FMI: O que é que Almada dizia da nossa burguesia?

  1. Daniel Nicola diz:

    Ó burguesia! Ó ideal com i pequeno
    Ó coito d’impotentes
    a corar ao sol no riacho da Estupidez!
    a ler, aler!
    http://www.luso-poemas.net/modules/newbb/viewtopic.php?topic_id=356&forum=28

  2. DrStrangelove diz:

    É Estela, não “Estrela”.
    Quando à entrevista, explique-nos lá o que tem de anedótico.

    • Renato Teixeira diz:

      A Estela é uma Estrela. Ouviu a entrevista? Sublinho esta passagem: “Um crescimento muito insuficiente, em termos de convergência, horrível”, poderiam ser outras. Já não me ria tanto desde os vídeos humorísticos do Futre.

      • DrStrangelove diz:

        Em substância, a frase é irrefutável.
        Qual é o seu problema com ela?

        • Renato Teixeira diz:

          Estranho amor, a mulher percebe tanto do que fala como eu percebo das estrelícias da Madeira. Não vê isso, não se preocupe. Dificilmente verá o que quer que seja.

          • DrStrangelove diz:

            Renato,
            Como diz o ditado, a ignorância é muito atrevida.
            No teu caso em específico vai ao ponto de te levar a criar um artigo com a intenção de troçar de uma pessoa mas, que na prática, tão somente troça de ti mesmo, tal a vacuidade de argumentos que nele conseguiste condensar.
            Com que então, Estela Barbot não percebe do que fala? Se calhar , o FMI escolhe para conselheiros pessoas ao acaso… Imagino que, para ti, o Eugénio Rosa é que deve saber do que fala…
            Fazer crítica como deve requer argumentos, argumentos esses que devem ser fundamentados. O que fizeste é apenas uma versão peralvilha da crítica de tasca. Crítica com pretensões de sofisticação mas, na essência, muito pobrezinha.

          • Renato Teixeira diz:

            Prova de que o Eugénio Rosa sabe do que fala é precisamente o facto de ele não fazer de cabide unineuronal, citando o Vidal, do FMI.

            Assim de repente, e para não fazerem tão má figura e apenas e só para o período de suspensão democrática, deveriam escolher a Lili Caneças.

          • DrStrangelove diz:

            Renato, continuas a fazer troça de ti mesmo. Poupa-nos a tanta vacuidade…

          • Dr.NormalLove diz:

            O Cv da Sra. é impressionante… e o apelido será certamente irrelevante para compreender a sua evolução… industria quimica como seria óbvio… banca privada, banca pública… passando por cônsul honorária da Guatemala (?). Enfim, fico com o que sei para evitar processos de intenção…
            .
            E para constatar o óbvio temos muitos… mais papagaios dispenso, mesmo que papagais embonecadas… digam algo com substância e dispensem politiquês… até esse dia, na ausência de melhor explicação… não passam de “vaidosos” que gostam de se ouvir falar…

        • Helena Borges diz:

          Em susbtância, “a noite é escura” também é irrefutável. Não, o FMI não deve ter escolhido a tipa ao acaso, foi administradora do Santander e sabe vestir-se para uma entrevista, coisa que, aliás, a gestora do Proder não sabe fazer.

      • João diz:

        É gira, tem um nome fantástico, veste-se bem. Não precisa de mais nada.

    • LAM diz:

      Anedótico é o mínimo a chamar às prestações da senhora, mas isto levando o caso na desportiva. Confrangedor deplorável e assustador se pensarmos que é essa “coisa” a representante de Portugal junto do FMI. Embora e sem dúvida que uma coisa explica a outra.

      • Bolota diz:

        LAM,

        Fiz um esforço dum corno para ouvir até ao fim, mas não fui capaz.

        Mas são estes craneos que de alguma forma nos vão governando…

        Abraços

        • LAM diz:

          Caro Bolota,
          Não perdeste nada que já não tenhas ouvido umas centenas de vezes, com protagonistas tão idiotas como esta senhora, ou com “socialistas” a dourar a pílula. Dantes para ouvir um disco ou uma cassete um gajo ainda tinha que a procurar, meter no aparelho e pôr a tocar; agora basta ligar a tv.

          abraço.

  3. Gentleman diz:

    Acho piada a estes neo-bolcheviques. Gostam muito de opinar, de preferência em estilo snob e pela rama, e menosprezar pessoas com curriculum académico e profissional reconhecido. Bem espremido, o resultado é muito fraquinho.

  4. DrStrangelove diz:

    Ainda há pouco tempo o Renato Teixeira produziu a seguinte pérola de pensamento:

    «Aquilo [a viagem ao espaço de Gagarin] tentou-se, viu-se, voltou-se, e o que deu? Humanidade? Progresso? Civilização? Nicles. Nada.»

    Não sei o que diria Almada diria sobre a abrangência de pensamento desta luminária, mas a mim restam-me poucas dúvidas que alguém que escreve tal coisa percebe tanto do que fala como eu percebo das estrelícias da Madeira (sic)…

    • Renato Teixeira diz:

      Vá, vá conversar com a Barbot sobre o Gagarin. Vai ver que se surpreende. Por certo o confunde com o Guronsan.

      • a anarca diz:

        eh eh eh eh !
        Afinal
        a
        Estela Barbot

        Numa viagem ao espaço quem sabe que sorte de aventuras podem acontecer? Mas nada melhor que uma experimentada astronauta para contar. Tudo começava com uma simples caixa de aguarelas. Azul para levantar voo, amarela para reclinar o banco, branco para abrir a vigia, rosa para aterrar, laranja para abrir a porta que dava acesso a outras galáxias. Bem, não necessariamente assim, mas parecido… “Transformava a caixa em botões e criava uma espécie de filme de ficção científica”, conta Estela Barbot, empresária e administradora do Banco Santander de Negócios Portugal.

        Talvez por isso tenha alimentado o desejo de cursar física nuclear. Talvez fruto da educação rígida, que diz ter tido, e de uma infância muito isolada, que recorda com um nozinho na garganta, tudo funcionava como passaporte e fuga para uma liberdade maior. “Era uma necessidade minha, de me libertar, de sair.” A sua caixa de aguarelas, com tampa ornada com cowboys, era a passagem secreta para um reino onde não existiam as rédeas que, amiúde, freavam a menina educada que tocava piano e falava francês.
        http://aeiou.expresso.pt/os-brinquedos-preferidos-dos-vip=f501358

    • a anarca diz:

      Drstrangelove,
      Como diz o ditado, a ignorância é muito atrevida (sic).
      Aposto que percebe de estrelícias … 🙂

      Estou-me nas tintas para a Barbot !

  5. Renato aki entre nós que ninguém nos ouve/vê/lê, não axei essa gajah (ela é «plain», claro está, entre feia e qualquer coisa, coitada) assim tão imbecil.

    Just my two cents.

    😉

  6. JL diz:

    Renato,
    Anda muito azedo e o que posso concluir é que não sendo proletário (pelo tempo que aqui dedica) talvez seja mesmo um burguês… espanhol.
    A não ser que o Renato seja um digníssimo representante da Lusitana Nobreza que por aqui anda infiltrado.
    Vá… não leve a mal.
    Ou então leve.
    Mas não se esqueça que neste barco andamos todos.

  7. ana gusmão diz:

    ai o unico comentário que me apraz dizer é AHAHAHAHAHAH. jesus!ela nem portugues fala!

    • Renato Teixeira diz:

      É Português com com sotaque americano. É pré-requisito Ana. Não sabia? Achava que se chegava ao FMI com sotaque alentejano?

  8. Pingback: “As pessoas que estão na macro não entendem bem a micro, e a macro é um conjunto de somatório de indicadores de uma micro que se tem que criar condições para que ela exista.” | cinco dias

  9. ardina diz:

    Não, o Renato é que é bom e percebe imense de economia. Já agora, o que diria o Almada da capa desta pérola de sabedoria do Renato: http://www.livapolo.pt/livro/detalhe/ardinas-da-mentira/63835

    • Renato Teixeira diz:

      A sabedoria da capa. Bom argumento. Leu o resto ou fica-se pelos bonecos com preguiça das legendas?

  10. poispois diz:

    Este renato teixeira ainda vive com estes preconceitos da burguesia. Vocês sabem como é… ele é um proletário do teclado…

  11. l'outre diz:

    Tanto fel…

  12. putchico diz:

    Ora então os vermelhitos aqui do sitio acham que a senhora Estela é uma acéfala e é hilariante com o seu discurso que para vocês vermelhitos deve ser completamente desfazado da realidade do mundo dos sonhos onde vivem ,eu não tendo nenhuma orientação politica definida porque para mim não interessa se sou de B ou de C ,eu sou pela gestão,e a gestão não tem cor politica.Tem cabeça.
    Para os vermelhitos que se riem desta senhora talvez achem mais piada ás politicas deste cómico documentario http://artureduardo.blogspot.com/2010/04/documentario-o-imperio-demoniaco-de.html e deste livro de anedotas o qual podem aproveitar e fazer o download, e já agora não se esqueçam do que fizeram no século passado (só para avivar a memória) http://blog.anatolli.com.br/2010/09/29/a-essencia-do-comunismo-2/
    Sendo eu um leigo nisto (mas não um acéfalo para ignorar o conteúdo dos sites acima indicados),diga-me lá que entidade ou que cérebro inteligente é que convidava para vir sanear as contas publicas e meter as finanças na ordem (é claro que eu sei que vai ser violento o apertão que o fmi nos vai impor) … talvez algum dos comunistas que passam por mim ao volante dos seus carros de 150.000€ e que vão a pensar: tss tss,coitadinhos dos trabalhadores.Como eu tenho tanta pena deles enquanto conduzo o meu simplório carro.
    ACORDEM senhores, estamos em 2011 e não em 1800 e trocópasso.E quer queiramos ou não a economia mundial é global´,a não ser que queiram transformar este cantinho numa nova “cuba”. Em caso afirmativo ,sempre podem tirar umas férias e visitar a ilha e aproveitar e ficar por lá a viver o maravilhoso sonho socialista em que vive o povo cubano.
    Um abraço a todos e um brinde à inteligência e à lucidez mental.

    • Carlos Carapeto diz:

      Óh Putchicoesperto, em vez de dar sugestões aos outros porque não se atreve Vossa Excelência em passar umas feriazitas nos bairros pobres de Manila, nas periferias de Mombai, Luanda, Lima, Bogotá, Rio de Janeiro e tantos outros “paraísos” miseráveis, criados por o capitalismo.

      Cuba além de ser um excelente destino de férias é um lugar bastante seguro e tem um povo muito culto, sabia?

      Mas com que autoridade se atreve a censurar os vermelhos, vermelhitos e tudo que fareja de esquerda? Ignora que o capitalismo até hoje ainda não conseguiu resolver nenhum dos problema que criticava aos Comunistas, nos países onde foi reintroduzido? Contrariamente agravou os que existiam e criou outros.
      A não ser numa ou noutra situação pontual, passados vinte anos o capitalismo não foi capaz de oferecer qualquer tipo de progresso a esses povos.

      Portanto discursos verrinosos anti esquerda do género daquele que nos pretende contemplar, são uma manifesta falta de respeito aos milhões de trabalhadores que viram as suas vidas mergulharem na miséria, na exclusão, e na exploração desumana da sua força de trabalho.
      Porque negar ao ser humano os direitos sociais, económicos e culturais para que possa viver condignamente, também é outra forma atroz de ditadura. Conquanto este tipo de tirania cada vez está a ser imposto com maior violência por a burguesia/capitalista dominante.

      Por esse facto considero de uma falta de dignidade extrema os simpatizantes do deus mercado, terem o descaramento de criticar um sistema politico que já provou (está a provar) ser mais justo na distribuição da riqueza produzida, mais eficaz no desenvolvimento humano, menos gerador de assimetrias sociais e mais harmonioso nas relações entre os povos. O inverso do capitalismo portanto.

      • DrStrangelove diz:

        Cuba além de ser um excelente destino de férias é um lugar bastante seguro e tem um povo muito culto, sabia?

        O estertor do comunismo:
        Havana quer salvar o socialismo com um pouco de capitalismo (in Público de hoje)

        «Raúl Castro admitiu que Cuba teria de mudar ou cair no abismo. Num país que tem criado funcionários, não empresários, o Partido Comunista Cubano começa hoje a discutir reformas económicas de efeito imprevisível.»

  13. Carlos Carapeto diz:

    Mas não foram sapientes muito mais “competentes” que a Sra que mergulharam o país neste caos?

    O nazismo/financeiro confidou-a para a representar na GAU da Lusitânia simplesmente por ter a certeza que é uma excelente Sturmabteilungen do FMI.

    A realidade resume-se a isto apenas. O nazismo moderno está a conseguir com a finança o que Hitler não conseguiu com a Wehrmacht. E que tente opor-se-lhe apanha com umas bombas de D U (urânio empobrecido) por os cornos.

    O resto é tudo paleio xoxo.

  14. putchico diz:

    Quanto aos sapientes que mergulharam o país no caos estamos completamente de acordo,eles nunca souberam nem nunca viram saber gerir coisa alguma a não ser os seu próprios interesses e é por isso que eu digo à muito tempo que “já que importamos quase tudo o que consumimos,importemos também os políticos ” porque os “santos cá da casa não fazem milagres (nem eu nunca esperei que fizessem).Por isso,infelizmente ,o que eu dizia veio a concretizar-se da pior maneira (a vinda do fmi), mas a qual é opção preferível (e creio que única) à continuidade da farsa governativa com trapalhadas atrás de trapalhadas que temos tido nos últimos anos, sem duvida que prefiro o fmi a meter as finanças na ordem que este logro de governo de faz de conta e do que há-de vir . Eu na minha opinião,tivemos a hipótese de pôr no governo ,não a fada madrinha porque não acredito nem em contos de fadas nem no pai natal, mas sim a pessoa que de todos os políticos da actualidade portuguesa seria a mais capaz ,que é a senhora Manuela Ferreira Leite,mas ,não fazendo esse voto de confiança ao psd ,que claro, também traria um bando de abutres danadinhos de subir ao poder,mas que seria a opção mais viável (ou a menos má ) entre todas as outras ,mas os portugueses preferiram alguém com muito mais carisma a ler os telepontos e agora temos o fmi à perna,mas ao menos quem vier vai ter que andar na linha.Eu sei que o fmi serve de fantoche às grandes corporações económicas mundiais ao infiltrar dissimuladamente os seus assassinos económicos nos países em que tem interesses estratégicos,mas ,sejamos honestos,quais os interesses destes senhores no nosso país,vir dominar a industria corticeira?roubar o nosso bacalhau seco? vêm pôr ordem nas guerras das promoções entre o continente e o pingo doce? Não.Para mim,neste momento da realidade portuguesa ,vêm mesmo por “caridade”devido à governação e decência politica ter batido tão fundo,mesmo com um homem no leme,este barco nunca esteve tão à deriva,e não nos esqueçamos que os nosso erros governativos contagiam o resto da Europa,logo não é de estranhar que os países que têm sido a nossa segurança social como a Alemanha ,nos venham exigir que se acabe com a brincadeira das contas publicas portuguesas. Durante os últimos anos esse senhor que se diz ser engenheiro nunca se preocupou em pôr o “monstro” a fazer dieta,apenas se preocupou em que nunca faltasse “comida” ao monstro das contas publicas e ao seu apetite cada vez mais voraz ,pec atrás de pec para arranjar cada vez mais comida indo ao bolso dos portugueses .Neste momento já estamos no ponto de não retorno,e agora vão fazer dieta estrema o “monstro” e mais ainda os portugueses.

  15. José diz:

    “um sistema politico que já provou (está a provar) ser mais justo na distribuição da riqueza produzida, mais eficaz no desenvolvimento humano, menos gerador de assimetrias sociais e mais harmonioso nas relações entre os povos.”
    Pois… e logo que puderam, Alemães de Leste, Polacos, Checos, Russos, etc, deram com os pés nesses paraísos e entraram de cabeça no inferno capitalista, de onde nunca mais quiseram sair…
    “e mais harmonioso nas relações entre os povos”
    Exactamente, como os húngaros puderam testemunhar em 56 e os checos em 68…
    Estas narrativas deveriam ser actualizadas, tirar as lentes estalinistas e, sem perder a vertente de esquerda, assimilar e perceber os fracassos concretos do comunismo.

    • Carlos Carapeto diz:

      Mostra ser muito fraquinho em história? E a invasão da Guatemala? E a invasão da Nicarágua? E a invasão da Republica Dominicana? E as guerras e guerrinhas, intervenções militares por tudo onde foi sitio e haviam riquezas a saquear. E as ingerência politicas por toda a América Latina? E o derrube de Mossadeq no Irão? E o golpe que derrubou Sukarno quantos mortos provocou? E o Chile de Allende? E o Vietnam e os crimes lá cometidos? E a Líbia hoje. Sim hoje; justifique esta agressão?

      Vá estudar história. Ou para si existem invasões justas e outras injustas?

      Quanto à Alemanha de Leste ignora que quando das comemorações do 20ª aniversário da queda do muro foi feita uma sondagem e a maioria dos cidadãos responderam que viviam melhor no tempo da RDA. De certeza que já estão fartos de tanta fartura? E devemos ter em atenção as campanhas maciças de propaganda contra o anterior sistema.

      Tem conhecimento dos resultados das sondagens recentes efectuadas na Roménia e na Bulgária.? Se for cardíaco aconselho-o a não saber.

      Sobre a Polónia e a Republica Checa talvez ignore que hoje as economias desses países estão na quase totalidade em mãos de empresas Alemãs? Portanto não são mais que regiões autónomas com um governo próprio. Não me venha com a patranha de dizer que as condições sociais desses povos melhoraram que eu provo-lhe com factos que é mentira. O tão propalado excedente comercial Alemão deve-se em parte à exploração de mão de obra altamente qualificada desses países. Sabia?

      Sobre a Rússia uma situação que conheço bem. Desafio-o que me indique um dado, apenas um, como o país progrediu. O descalabro tem sido de tal ordem que ainda não atingiram os níveis de desenvolvimento de 1991.

      Portanto não venha para aqui largar bitates e palrear sobre aquilo que não sabe. É uma situação que conheço bem. E neste aspecto prefiro usar as tais lentes Estalinista que usar entrolhos que só permitem ver o dono. Tentou a sorte bocejando aldrabices porque ignorava que da minha casa se contacta com a Rússia mais que uma vez por semana. Já lá estive várias vezes e espero voltar brevemente. Portanto não se meta onde não é chamado para não voltar a fazer figura de palerma. Na medida em que é um ignorante sobre o desastre, económico, social, e tecnológico que a Rússia está mergulhada. Aquele país hoje não é mais que uma colónia fornecedora de matérias primas. Foi este o resultado que a reintrodução do capitalismo produziu.

      Quanto a eleições ignora que Mubarak e Bem Alli venciam sempre com maiorias absolutas? Que José Eduardo dos Santos também ganha sempre? Nazarbaiev, Aliev, Karimov idem , idem. Ou que Berlosconi, também vence eleições graças à informação que controla?

      Até nisso mostra ser fraquinho. Porque não sabe que quem controla a informação controla a opinião publica?
      É o que faz as pessoas deixarem-se emprenhar pelos ouvidos.

      Quanto a fracassos quer maiores que aqueles que o capitalismo tem sofrido? Não foram capazes de resolver um único problema deixado por os Comunistas.

      • DrStrangelove diz:

        O governo Nazi também conseguiu resultados económicos apreciáveis na Alemanha dos anos 1930. Isso não o torna um modelo recomendável de regime.
        Por cá também há muitos saudosos dos tempos de Salazar (até o elegeram o maior Português de sempre). Mas isso não é mais do que ventilar um desânimo natural. Faz parte da natureza humana. É uma posição emocional, não o fruto de reflexão racional. Na realidade, poucos são os que por cá querem verdadeiramente o regresso a esse regime. E a prova disso é que a extrema-direita em Portugal sempre teve votações residuais. Algo idêntico se passa nos países do antigo bloco Soviético. Há muitos saudosistas mas, embora tendo nas suas mãos o poder de regressar ao antigo regime através do voto, não o usam nesse sentido.

        A simpatia por regimes desse tipo só advém da ignorância. Aqui vão alguns esclarecimentos para todos os simpatizantes do regime social-fascista da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas:

        – Em 1921-23 deu-se a primeira grande fome na URSS. Estima-se que tenham morrido cerca de 5 milhões de pessoas.

        – Em 1932, as autoridades Soviéticas confiscaram colheitas em zonas da Ucrânia e da Rússia maioritariamente habitadas por ucranianos. Provocou uma fome generalizada. No pico da fome, enquanto confiscava colheitas dos camponeses, a URSS exportou 1.70 milhões de toneladas de grão em 1932 e 1.84 milhões de toneladas em 1933. As autoridades Soviéticas proibiram a população de viajar para fora das zonas de fome, sob o pretexto que as pessoas que viajassem espalhariam “agitação anti-kolkhoz”. O governo Soviético admitiu a existência da fome apenas na era Gorbatchov. Estima-se que mais de 10 milhões de pessoas tenham morrido de fome durante este período.

        – A última grande fome na URSS deu-se em 1946. Houve outros períodos de crise alimentar que, todavia, não resultaram em mortes em massa como os três casos acima referidos. Apenas resultaram em privações para a população.

        O grande salto económico da URSS deu-se durante os anos de Estaline. E isso foi conseguido, em grande parte, à custa da utilização de mão de obra escrava. O sistema do Gulag usava prisioneiros políticos e prisioneiros de delito comum para trabalharem como escravos para o Estado. Durante anos, entre 15 a 20 milhões de cidadãos, muitos dos quais não tinham cometido qualquer delito de opinião ou legal, eram enviados para os campos. A economia soviética precisava de crescer e, para isso, o regime optou pelo esclavagismo. As condições de trabalho era horríveis. Os prisioneiros eram forçados a trabalhar em condições desumanas. Apesar do clima brutal, quase nunca eles tinham roupa e alimentação adequadas, ou recebiam tratamento médico. A URSS usou, em 70 anos, mais escravos do que as potências coloniais europeias durante 4 séculos na África e na América. Eu vou repetir: A URSS usou, em 70 anos, mais escravos do que as potências coloniais europeias durante 4 séculos na África e na América. Eu vou repetir: A URSS usou, em 70 anos, mais escravos do que as potências coloniais europeias durante 4 séculos na África e na América. Esta é a grande vergonha histórica que os comunistas transportarão consigo para sempre.

        Toda a economia russa sofreu um choque tremendo com a (abrupta) transição para o capitalismo. Parte da sua indústria sucumbiu face à nova concorrência. O darwinismo capitalista tornou-o inevitável já que tratava-se de indústria obsoleta, tanto nos métodos de fabrico, como na qualidade dos seus produtos. O seu colapso só poderia ter sido evitado à custa de medidas fortemente protecionistas. Mas o governo de Ieltsin preferiu seguir uma (controversa) terapia de choque. A transição abriu também caminho para que uma nova elite ambiciosa e de poucos escrúpulos, os novos russos, emergisse. A Rússia permanece sendo uma sociedade minada pela corrupção, o que não é novo. Já nos tempos da URSS, a prática de subornos era corrente nas mais diversas actividades, chegando médicos a receberem subornos para passarem pessoas à frente nas listas de espera.

        Apesar da atribulada transição, a economia da Rússia tem vindo a reerguer-se. Vladmir Putin pode ser um filho da puta, mas desde 1999 que a economia russa tem vindo a crescer a um ritmo superior a 5%, e a produção industrial cresceu 75%. Ainda vai ser preciso mais uma geração ou duas para a Rússia atingir um nível equiparável ao dos países desenvolvidos. Mas chegará lá.

        E depois há a liberdade. Bem sei que os comunistas menosprezam a liberdade de expressão, de associação e de emigração, apelidando-as de liberdades burguesas. Mas felizmente há muitos que ainda lhes dão valor e para quem essas liberdades são conquistas civilizacionais. A Rússia de Putin ainda tem um claro déficit democrático mas, ainda assim, temos que reconhecer que está muitíssimo melhor do que nos tempos da URSS.

        Muito mais haveria para escrever, mas deixemos isso para uma próxima oportunidade…

  16. Carlos Carapeto diz:

    O que eu quis dizer é que esses sapientes são os autores da nossa ruína e essa tal “Senhora” pertence-lhes, faz parte do mesmo gang.

    Além disso acho muito interessante a sua análise, deliro com as essas botadas sobre o passado e as previsões para o futuro.

    Está redondamente enganado, ou então pretende iludir o pagode.
    Tire o cavalinho da chuva ao tentar atribuir as culpas somente ao quase engenheiro.
    São responsáveis todos aqueles que passaram por o governo nas ultimas três décadas e meia.
    Soares trocou os sectores estratégicos da nossa economia pela entrada na CEE , cedendo em tudo. Aí é que começou logo o descalabro, com a desarticulação do sector metalúrgico e metalomecânico em beneficio das multinacionais e dos grandes grupos empresariais Portugueses (Melos e Cia) como foi o caso da Lisnave, Sorefame, CUF. Soares negociou com o grupo Melo o encerramento da Lisnave mandando milhares de trabalhadores com menos de 40 anos de idade para a reforma antecipada com direito ao salário completo (ou quase) à custa da Segurança Social.

    Depois existiu um alivio apenas suportado pela avalanche de fundos de apoio , mas mesmo esses foram aplicados onde não deviam e foram parar às mãos erradas.

    De seguida veio o Cavaco que não fez melhor. Esse destruiu as pescas e o que restava da agricultura.

    Foi esse “Senhor” que introduziu a lei do poisio na agricultura, criou um Ministério do Mar para mandar abater milhares de embarcações de pesca.

    O grande problema do nosso país não reside apenas no consumo. A decadência da nossa economia foi mais provocada pela destruição do sector produtivo.

    Esta rapaziada toda sem excepção fizeram de Portugal um país de mulheres a dias, empregados de mesa e de balcão. Canalizaram os recursos (humanos e financeiros) para as áreas do turismo e serviços, e o resultado está à vista.

    Portugal tinha 25 fábricas de concentrado de tomate hoje restam apenas três. Tinha talvez uma centena ou mais de fábricas de conserva de peixe, actualmente se estiverem 10 a funcionar é muito, mesmo assim têm que importar pescado. Os descasques de arroz encerraram quase todos.
    A fábrica de açúcar de Coruche também já encerrou. A produção de leite, carnes, frutas, cereais, azeite, afundou-se tudo. Existem centenas de hectares de pomares de citrinos no Algarve ao abandono. A região de Faro tinha mais de 2000 hectares de estufas, actualmente não chegam a trezentos.

    Portugal tem mais de dois milhões de hectares de terrenos agrícolas abandonados. Como se isso não bastasse, agora estão a destruir as melhores terras com aptidão para a produção de cereais, com a plantação de olival extensivo. Entretanto estamos dependentes dos Espanhóis para o fornecimento de produtos agrícolas.

    Isto foi na área da agricultura. Na industria a razia foi idêntica.

    A Siderurgia Nacional foi vendida aos Espanhóis, mandaram parar o alto forno cheio de minério sem fazer a descarga, solidificou lá dentro e como consequência disso Portugal ficou com uma torre de sucata a servir de museu. Este acto criminoso devia ser considerado como sabotagem económica.

    A Fundição de Oeiras, as fábricas Hipólito, a Oliva, a Tramagal, a Rabor, a fábrica de máquinas ferramentas Ferreirinha, as fábricas de cabos eléctricos e de material eléctrico .As fábricas de vidro da Marinha Grande que não eram poucas , muitas fecharam por falta de apoios por não conseguirem fazer frente à concorrência estrangeira, ou foram vendidas às multinacionais com a comparticipação de fundos do Estado para encerrarem de seguida.

    Este banditismo económico foi consentido por todos aqueles que hoje se querem esquivar às responsabilidades e se acusam mutuamente uns aos outros.

    E essa Senhora (Manuela F. Leite) que aponta como salvadora da honra nacional é outra pulha do mesmo bando que contribuiu para a ruína, porque também fez parte desses governos.

    Nenhum desses canalhas do PS, PSD, CDS, têm hoje competência para resolver os problemas que eles próprios criaram. Se tivessem competência não tinham mergulhado o país nesta situação.

    Portanto interpreto naquilo que escreve como uma forma de branquear as responsabilidades de alguns dos culpados pela nossa desgraça.

    Não há inocentes, mas infelizmente ficam todos impunes à justiça, quer dos tribunais quer do povo. Nem são julgados por os crimes cometidos e o povo volta a elege-los novamente.

  17. o fmi são todos homens que exercem penso eu! é claro que é melhor termos como representante uma mulher cheirosa e de boas carnes. antes assim que qualquer matarroano de cuecas amarelas à frente e castanhas atrás. haja decência e bom gosto!esperemos que ela tenha habilidade para lhes sacar o dinheiro de graça e não aos juros de que se fala para aí. felicidades para a tia.

  18. a anarca diz:

    a Borboto é cônsul geral honorária da Guatemala (bizarro ) ?!

  19. putchico diz:

    Tenho plena consciência que todos têm culpa no cartório embora uns muito mais do que outros, e ninguém me venha dizer que os 6 anos de governação sócrates não foi a pior coisinha que aconteceu a Portugal nos últimos 30 anos.Também não podemos regredir muito nas culpas porque senão vamos chegar à conclusão de que o culpado nº 1 é o D. Afonso Henriques, e fiquem chocados ou não,para mim é o mesmo,porque um país que nasceu por um filho que bate na mãe não podia dar grande coisa,e eu aposto que se nada disto tivesse acontecido e se existisse uma “ibéria” forte e unificada (sim,porque eu tenho a consciência que a própria Espanha tem graves problemas na sua “tentativa” de unificação), seriamos certamente uma das principais potencias europeias . O problema da regressão da culpa é um pouco subjectivo (sem ser minha pretensão tirar as culpas a alguém) pois eu dou-vos o exemplo desta espécie de anedota que diz (pegando na situação actual) : Após os erros governativos e a destruição económica em que nos colocou não serem mais comportáveis , actual 1º ministro demite-se e ao passar o testemunho ao seu sucessor ,entrega-lhe duas cartas e diz-lhe para só abrir as cartas em caso de extrema necessidade,o seu sucessor,após umas quantas burradas governativas e uns pés na argola,começa a ter uma elevada contestação ,e não dando mais para aguentar a situação decide abrir a primeira carta que dizia o seguinte : põe as culpas em mim.E lá continuou a sua governação,mas passado outro tanto tempo lá volta a contestação e ele todo lampeiro foi abrir a segunda carta que dizia: senta-te e escreve duas cartas. Ora com isto eu quero dizer que todos os que passarão por lá deram a sua “contribuição para a sopa”,mas a verdade é que ainda está para vir uma pessoa que tenha capacidade para reverter o declínio português ,e menos ainda podemos ter esperanças no horizonte (não menos do que a governação sócrates ).Por isso,mais uma vez digo que face ás actuais escolhas politicas que temos (e falo da esquerda à direita),sinto-me mais tranquilo por saber que venha quem vier vai ter a supervisão do fmi.Quanto à senhora Manuela Ferreira Leite frisei bem e volto a dizer que nunca esperaria que fosse a salvadora da pátria e que a credibilidade que lhe atribuo não atribuo ao próprio psd que também tem uma claque cheinha de boys para distribuir pelos cargos do costume (e,não sejamos hipócritas, o psd e todos os outros partidos,todos) (dizendo isto com esta simplicidade não pensem vocês que o digo com algum tipo de conformismo ,pois não o faço,nem o mesmo para mim é concebível,mas eu também sou só um em 10 milhões de portugueses,e devido a essa posição não consigo mudar nada sozinho),mas (na minha óptica) sem duvida que ela foi a cabeça mais inteligente que tivemos a hipótese de pôr no poder.
    Assino por baixo do que diz o senhor Carlos Carapeto quando diz que esta gentalha transformou Portugal num país de mulheres a dias, empregados de mesa e de balcão e até lhe lembro mais um,vigilantes de empresas de segurança privada (que é o único escape para os homens com mais de 50 e poucos anos que trabalharam uma vida inteira na mesma empresa e agora vêm-se sem emprego)e também lamento consigo que esta corja politica fica toda impune à justiça,tanto dos tribunais como do povo(lhe garanto que não é com o meu aval),e também achei de mestre (com muita sinceridade) o trocadilho que fez com o “óh Putchicoesperto”.Não posso é concordar com a defesa dos regimes de esquerda(nem de direita) e apontar as falhas de outros países ou regimes para poder desculpar as dos regimes de esquerda,e olhando para os resultados produzidos pelos dois chegamos à mesma conclusão,ambos são bastante imperfeitos,se a direita falha, a esquerda não lhe fica atrás(no meu ver antes pelo contrario) ,mas uma coisa salta logo à vista e não dá para esconder nem para desculpabilizar,que é o numero de mortes provocados pelos dois,em que a esquerda consegue ser o campeão irrefutável ,e mais dramático ainda que como bem sabe boa parte dessas mortes foram intencionalmente à fome (o que para mim não é concebível de alguma maneira e não acredito que para si o seja). Ora,logo chegamos à conclusão (que isto é que lhe quero fazer ver) que estamos à procura do mesmo ,não acredito é que cheguemos lá enquanto estivermos ligados de alguma maneira a uma ala politica ,como já disse em cima não sou de esquerda nem de direita nem de raio que parta,sou sim pela capacidade das pessoas, e se há uma mente brilhante num partido de esquerda(assim como num de direita ou de centro ou de norte ou de sul),eu sou o primeiro a tirar-lhe o chapéu.Agora eu desafio-o é a ter um pensamento livre de doutrinas politicas como eu,ou quanto tempo vai levar a entender que a doutrina que defende também não foi,não é,nem nunca (assim como as suas opositoras) será perfeita .
    Visto isto ,e acreditando que é ou são pessoas integras e capazes, eu desafio-o(os) a formar um movimento cívico (ou partido,a ideia é não ter qualquer conexão a uma ala partidária seja ela esquerda centro ou direita) completamente isento de “credos” políticos com coragem de chamar a si as mentes mais brilhantes e a dar reconhecimento e consistência ás melhores ideias independentemente de onde elas vierem e talvez tenhamos algo mais próximo da “perfeição”. Eu fico chocado ao ver pessoas com a bagagem como a sua, e a irem ainda no engodo dos ideais políticos,o amor à camisola é ou deveria ser coisa do passado,argumento esfarrapado. Desprendam-se,libertem-se,nasçam de novo.
    Temos de ter consciência que hoje não produzimos a pensar exclusivamente no consumo próprio,hoje o mercado é global independentemente do regime do país A B ou C,e que quem não o quer ver,transforma-se numa ilha (isolada)(e os senhores sabem-no muito melhor que eu),temos é que humanizar essa globalização,e essa pode ser então a “nossa” luta (de quem é contra a globalização perpetrada pelas grandes corporações internacionais mas que também não consegue viver sem ela). Ao contrario de criticar a senhora Estela(que foi isso que me levou a escrever aqui,a facilidade com que se critica os outros ,e muitas vezes até contra mim falo,sim, por vezes também tenho de bater na boca) ou de quem quer que seja, eu gostava ,com toda a sinceridade(poderei mesmo facultar-vos o meu e-mail), de saber as vossas medidas para sair desta espiral descendente em que nos encontramos ,e se essas medidas forem realmente graciosas e realizáveis,pergunto-vos eu… onde é que andaram estes anos todos? Eu relembro a todos os que aqui escrevem uma frase que certamente sabem melhor que eu que diz qualquer coisa do género de que “quem se julga inteligente demais para ir para a politica sujeita-se a ser governado pelos outros”.
    Racionalizemos.

  20. helena diz:

    Há por aqui muita ignorância sobre a estrutura orgânica do FMI.
    A senhora tem o seu valor e por ter esse valor é que foi referenciada como conselheira da instituição. E é com base na sua experiência no domínio empresarial que a Instituição, anualmente consulta os conselheiros, ou caso necessite, para a formulação de pareceres.
    Sobre governance, macroeconomia, e outros temas, o FMI tem outros consultores que consulta nos mesmos trâmites e tem os seus funcionários, que têm formação e reais competências sobre o assunto.
    Julgo que o erro da Estela Barbot foi o excesso de protagonismo dela e os excessos da comunicação social, que se aproveitaram desta sua nomeação para intervir na esfera pública fora do âmbito (se bem que por vezes interveio e bem como empresária, que era o que lhe competia) para a qual o FMI a nomeou usando o título de conselheira do FMI.
    Entretanto, como se exige a um conselheiro do FMI, o bom senso prevaleceu e corrigiu a trajectória.

  21. Carlos diz:

    Incrível como invita responder as perguntas, e muda o tema de conversa envez de responder como deve ser…

Os comentários estão fechados.