A Prá-kys-tão no seu melhor!

Via Laura Dias
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

9 respostas a A Prá-kys-tão no seu melhor!

  1. Leitor Costumeiro diz:

    Cuidado com a radicalização da luta.

  2. Leitor Costumeiro diz:

    Sim, andam a afixar papeis com o mesmo tipo de mensagens pelo país todo.
    O FMI fica mesmo chateado.
    É melhor que nada, não é!?
    Infelizmente também é igual a nada.
    Nem umas labaredasitas para amostra, é triste.

  3. Miclas diz:

    Pena é os mesmos meninos das Repúblicas não terem qualquer problema em pintar diariamente paredes com 700 anos de história com a sua luta e afins. É a 50 metros da minha casa e todos os dias vejo novas reinvidicações escritas em letras garrafais nas escadas de Minerva, edifícios das Faculdades, Porta Férrea, Arquivo da UC, etc.
    Pessoas que não têm inteligência sequer para saber respeitar o seu património histórico, nunca merecerão a minha consideração nem serão companheiros por muito justas que sejam as suas posições. Apenas uma nota pela foto, o FMI nem é mto culpado…

    • Renato Teixeira diz:

      O insuspeito Marinho Pinto, na altura professor nas Letras e hoje bastonário da Ordem dos Advogados, foi categórico sobre qual dos dois direitos é superior quando o conflito se faz entre património e liberdade de expressão. De resto, para apagar cada uma das mensagens, as reitorias recorrem a tinta sobre tinta, e reconhecerá que as telas brancas ficam bem pior do que as mensagens.

      Quanto à nota tem toda a razão. A culpa da degradação da casa tem nome e entre eles contam-se os sucessivos executivos autárquicos, o IPPAR, e os proprietários do Palácio da Nau. Todos gostam de o meter no cartão postal mas nenhum arregaça as mangas recuperar património. A tinta que se tem gasto a censurar gratiffis já dava para metade do orçamento das obras da casa.

  4. Ainda não passei por lá, mas conheço quem lá vive.

    Não vejo qualquer problema neste tipo de mensagens. Vejo problemas é quando por exemplo vai lá um Presidente da República em visita oficial e a reitoria trata de apagar todas as mensagens nas paredes da Sé Velha para que o Presidente não posso depreender outros pontos de vista sobre a realidade do ensino superior do que aquela que alguém que o vai receber nessa visita se encarregará de dizer\camuflar.

Os comentários estão fechados.