“UM VAIDOSO PROFISSIONAL DA CAGANÇA”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a “UM VAIDOSO PROFISSIONAL DA CAGANÇA”

  1. Isidoro de Machede diz:

    Não esquecer que a mãe é a Sofia de Mello Breyner!

  2. Leitor Costumeiro diz:

    Tenho de concordar que MST, pode ser o resultado de uma mal educação do pai. E se calhar foi negligenciado pela mãe… É realmente um segredo para mim, o que leva as pessoas a serem assim. Chego à conclusão, que essas coisas que vemos na TV estão só a ganhar a sua vidinha e como tal cumprem o seu papel(medíocre) na sociedade do espectáculo. Uns menos outros mais distantes da realidade, o que é facto é que quanto às consequências são iguais, palmas ou apupos nada mais. Isto é válido para todos os intervenientes neste post…

  3. Carlos Vidal diz:

    Genial. Absolutamente genial.
    Gostava de ter postado isto.
    Não tenho a mínima consideração nem por um nem pelo outro.

    (Se tu conhecesses as, digamos, “prestações” parlamentares do pai…. Meu caro…. não te digo nada.)

  4. Von diz:

    É pá, muito bom, pá.

  5. o da boa-fé diz:

    Muito bom!

  6. Luís Rocha diz:

    Desta vez estiveram bem. Ao Isidoro: não, não esquecemos. Não esquecemos que ele também é “filho da mãe”.

    E, pessoalmente, eu não faço vénias à pequeno burguesia artística, por que sim ou por convenção social. Ok a mãe dele era a Sofia, a minha é a Maria, e depois? É precisamente esse classismo pequeno burguês que leva o Tavares a ser um vaidoso de cagança.

    • Isidoro de Machede diz:

      Cidadão Luís Rocha

      Escreveu o cidadão: não, não esquecemos. Não esquecemos que ele também é “filho da mãe”.
      Quanto ao não esquecemos. Quem? O cidadão a solo, ou o cidadão e outros cidadãos? Quanto ao despachar-me, em equidade com o Miguel Tavares, de “filho da mãe”, gostei da forma escorreita com grafou o epíteto.
      Tão regalado fiquei que gostaria que o cidadão, in loco, o pronunciasse. In loco, deve ter uma musicalidade sublime. Estou feito para ouvir “a peça” in loco, onde e quando o cidadão lhe aprouver. Caso o cidadão faça parte de um colectivo – como me pareceu fazer crer –, estão, desde já, todos convidados para o momento.
      Dado a administração do 5 DIAS não disponibilizar aos clientes o endereço e-mail dos comentadores, aqui vai o meu: Joaquim.pulga@nullgmail.com. Isto para o cidadão marcar o onde e quando e disso me informar.
      Mais gostaria de solicitar que, após o encontro – ao qual tenho a certeza que não vai faltar –, desse alvíssaras do magnifico momento aos clientes do 5 DIAS.

      Cordialmente
      Isidoro de Machede

Os comentários estão fechados.