CAMPANHA INFAME: “Como é que eu, João Romão, os vou tramar hoje?”. Aguarda-se resposta no esquerda.net

“(…) Do ponto de vista do Bloco de Esquerda, se já parece grave esta conformidade com a política possível e o alinhamento com as posições mais conservadoras no Parlamento Europeu, em nome de um suposto “humanitarismo” cujas consequências havemos de apreciar, há ainda um aspecto mais problemático: o da votação sobre a criação de “zona de exclusão aérea”, que pressupõe uma intervenção militar só possível no quadro da NATO e que o próprio presidente desta organização veio saudar. Esta medida, votada em separado do resto das declaração, teve também o voto favorável de um deputado eleito pelo Bloco de Esquerda, partido que programaticamente se afirma a favor da dissolução da NATO. O mínimo da decência seria retirar a confiança política ao dito deputado.

Estas esquerdas que não são capazes de articular respostas comuns no plano europeu têm duvidosa utilidade no Parlamento. Mas pior do que isso é o seu alinhamento com as doutrinas dominantes de regulação internacional e a triste incapacidade de produzir qualquer proposta de alternativa. E ainda pior é legitimar a possibilidade de assistirmos a mais uma intervenção da NATO, depois das dramáticas experiências no Kosovo, no Iraque ou no Afeganistão.

Esta esquerda acomodada, onde se incluem os euro-deputados do BE, que responderam às naturais críticas com despropositada arrogância, não serve para nada porque nada traz de novo. Apesar de tudo, sempre houve 18 deputados, também da esquerda, que, sem terem apresentado alternativas visíveis, pelo menos recusaram alinhar nesta encenação de democracia.”

João Romão, no Almareios.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

Uma resposta a CAMPANHA INFAME: “Como é que eu, João Romão, os vou tramar hoje?”. Aguarda-se resposta no esquerda.net

  1. Diogo diz:

    Será ingenuidade ou apenas estupidez do BE?

Os comentários estão fechados.