“Os mercados”, essa coisa racional…

Por altura da abertura da Bolsa de Lisboa, viam-se nas televisões imagens de um depósito de gás de uma refinaria japonesa a arder, em consequência do enorme abalo sísmico ocorrido pouco antes.

As acções da Galp sofreram uma quebra.

Que “os mercados” não rimam com sensibilidade é, suponho, um facto assumido e consensual.
Mas espero que menos pessoas fiquem a acreditar que rimam com racionalidade.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

14 respostas a “Os mercados”, essa coisa racional…

  1. Ryan diz:

    Alguem me defina mercados porque ao que me pareco isso nao sao pessoas. Parece qualquer coisa de nao sei onde que servem para regular o dinheiro que se gasta. Enfim… isto nao passa de uma grande vergonha. Nao se aprendeu com especulacao… a porcaria continua e mesmo com a desgraca fazem o pior que existe no ser humano… ser ainda mais mau.

    • Tem toda a razão quanto aos “mercados”; daí eu usar aspas.
      Há um artigo que vale a pena, de uma antropóloga estado-unidense, que mostra como aquela gente cria para si própria a ilusão de que “o mercado” existe como uma entidade por si só, com “vida própria” e quase omnisciente.
      Se lhe interessa, edá para fazer download em http://www.4shared.com/file/199597562/37dc2591/KNORR_CETINA_The_Market_as_an_.html

      É claro que aquilo que, para eles, é uma mitologia profissional se torna particularmente ridículo quando papagueado por políticos reverentes ao tal de “mercado”.

  2. Uma outra coisa, no dia em que a terra tremer… ah, e ela vai tremer aki só não sabemos é exactamete quando… mas vai ser forte, reasons why not for blogs.
    Conselhinhos (e garanto-vos que não foi exactamente no google or wtf que aprendi isso.)
    01.
    Para a rua, rápido
    02. se não tiverem possibilidades disso, para debaixo de uma viga em betão armado.

    japs / nips, take care…

    🙁

    • helder diz:

      Desculpa James mas não resisto:
      Uma outra coisa, no dia em que a terra tremer… ah, e ela vai tremer aki só não sabemos é exactamete quando…(amanhã ?) mas vai ser forte, reasons why not for blogs.
      Conselhinhos (e garanto-vos que não foi exactamente no google or wtf que aprendi isso.)
      01.
      Para a rua, rápido.
      02. se não tiverem possibilidades disso,armados para debaixo de uma viga em betão .

  3. l'outre diz:

    Os mercados nunca foram racionais. Nem o mais convicto capitalista diz que são racionais. Os capitalistas ortodoxos defendem que os mercados têm tendência para se auto-regularem, o que é muito diferente de serem racionais. Mas isto são outras conversas…

    • Peço desculpa, mas toda a teoria económica mainstream (seja neo-clássica, neo-liberal, ou sem os “neos”) se baseia no pressuposto (que sabe ser falacioso) de que os indivíduos e agentes económicos actuam em função de “opções racionais, tendo como objectivo a maximização do rendimento de recursos escassos e com utilizações alternativas”.
      O suposto caracter auto-regulador dos mercados, por sua vez, resulta do postulado de que os seus participantes agem (a começar pela definição da oferta e da procura) de forma recional, tendo em vista esses objectivos. Implica também a existência de concorrência perfeita, coisa que não existe e nunca existiu.

      Que as flutuações dos mercados e o comportamento dos que participam neles não são racionais, isso é uma evidente constatação empírica.
      Mas um economista mainstream ou um capitalista (ou um político de direita ou de pseudo-esquerda) que assumam isso terão, para o fazer, que renegar as bases essenciais das crenças económicas em que se baseiam e com que procuram legitimar a sua actuação.

  4. Lá vão os preços dos combustíveis aumentar já segunda-feira. Para subir o preço dos combustíveis, qualquer acontecimento pelo mundo é justificação e a subida é automática. Quando o petróleo é transaccionado em baixa, demoram semanas…

    • l'outre diz:

      A culpa é da “fórmula” de cálculo de preços que parece que só dá para subir. Definitivamente a matemática não é o forte dos portugueses.

  5. helder diz:

    Com “os mercados” vamos longe.

  6. Jorge diz:

    Qual dos senhores economistas me vai explicar porque é que se assume que a reacção racional seria uma subida dos preços da Galp?

    • Precisamente, não teria que subir nem que descer.
      Não há nenhuma relação racional entre um incêndio delimitado de uma das muitas refinarias no Japão (ou mesmo que ela ardesse toda) e uma alteração de preço das acções de uma empresa que detenha o monopólio de refinação petrolífera em Portugal.
      É uma mera reacção emotiva e impressiva a uma imagem televisiva.

  7. helder adorei a ironia , mas issso que eu disse é Civil (IST) 1o2… ou 103, já não lembro.

    😀

  8. pecanot diz:

    Na verdade o preço dos combustíveis hoje desceu, porque se prevê uma descida no volume de importação por parte do Japão (fonte BBC world service). Mas claro isto não é assim tão óbvio, porque amanha sempre podem alegar como a procura diminuiu, não cobre o custo da prospecção cada vez mais onerosa, e como tal têm que compensar as perdas. E depois há a Líbia. O caso da Líbia fez o preço do petróleo subir. E ainda por cima ha uns malandros tb na Arábia Saudita que querem uma mudança no sistema, e todos sabemos onde é que isso pode ir dar.

  9. Quando o preço subir valentemente, os meus amiguinhos de «El Canada», vão ficar mesmo ricos como o caramba, akilo ’tá cheio de um disparate chamado ‘areias petrolíferas’, operação que nesta altura está parada, custa uma fortuna extrair ‘pitrolim’ dali.
    Mas se o preço subir…

    (E se cá nevasse fazia-se cá ski…)

    😀

Os comentários estão fechados.