“a queda de um anjo” ou o parlamentar embebecido

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a “a queda de um anjo” ou o parlamentar embebecido

  1. Raquel Varela diz:

    Aqui, 2 anos de Bloco de Esquerda a defender Sérgio Sousa Pinto. O oportunismo infelizmente não é exclusivo do PS.

    http://www.esquerda.net/search/node/s%C3%A9rgio%20sousa%20pinto

    • Miguel Lopes diz:

      Onde?
      Aquilo são notícias…

    • CausasPerdidas diz:

      Fui ver.
      Não percebo onde é que a menção a resultados de votações na AR e outras notícias que referem o nome do deputado significa fazer a sua “defesa”. Ou será que não se deve referir quem noutras bancadas votou a favor ou defendeu o mesmo sobre determinados temas?

      Ou: A memória é coisa que pode ser amputada e acrescentada de acordo com as necessidades do presente, até não sobrar nenhuma para além daquela que nos faz jeito num determinado momento. “O ‘photoshop’ é do povo, não da burguesia”. É isso?

      Prefiro esta: Se a realidade equivale por inteiro ao que pressupões, o melhor é ires ao oftalmologista.

  2. Pedro Dias Silva diz:

    sinceramente não consigo descortinar qualquer sinal de embriaguez. parece-me que empolar este “incidente” é apenas uma maneira baixa de fazer política por parte do be.

    • CausasPerdidas diz:

      Onde é que leu/ouviu alguém, falando em nome do BE, a dizer que o deputado estava ébrio? Se isso aconteceu deve ser desmascarado e não insinuado. É que a suspeição deixada no ar também pode ser tomada como “baixa política”.
      Falando do concreto – o resto não me interessa – o homem leu um discurso perfeitamente coerente. E foi bem claro, para quem quis perceber onde está a tal “ala esquerda” do PS.

  3. Augusto diz:

    Raquel Varela mistura alhos com bogalhos….

    Se o Sergio Sousa Pinto votou diplomas em conjunto com o Bloco de Esquerda e já agora com outras forças de esquerda, isso revela que em determinadas matérias há convergência.

    Aliás seguindo o seu raciocinio, até há diplomas aprovados com o apoio de Socrates, lembro-lhe por exemplo a despenalização do aborto.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Augusto, você é um ponto. Faltou dizer que até há diplomas propostos pelo BE que o CDS votou a favor. O seja com Paulo Portas a convergência é possível. Agora com esses sectários do PCP é que NUNCA!

    • Raquel Varela diz:

      Augusto,
      Existe uma difereneça entre votar diplomas com, isso faz parte da táctica, e defender esses partidos, deputados. O BE apoiou toda a sua estratégia numa possível cisão de uma possível ala esquerda do PS que nunca ninguém viu e que teria como uma das figuras SSP. Jogos políticos sem princípios têm estes resultados.

      • Raquel Varela diz:

        Augusto,
        Existe uma diferença entre votar diplomas com, isso faz parte da táctica, e defender esses partidos, deputados. O BE apoiou toda a sua estratégia numa possível cisão de uma possível ala esquerda do PS que nunca ninguém viu e que teria como uma das figuras SSP. Jogos políticos sem princípios têm estes resultados.

        • Miguel Lopes diz:

          Mas o Sérgio Sousa Pinto sempre foi um liberal dos quatro costados, nem social-democrata é, e aquilo são notícias.
          Não vejo onde está o problema.

  4. Joao A. diz:

    Acho que é mais Sérgio Sousa, Tinto.

  5. Portela Menos 1 diz:

    há deputados que fazem tanta falta na AR como um trombone num funeral!

  6. Pingback: Nem tudo o que brilha é ouro | cinco dias

  7. marilu diz:

    Embrutecido?

  8. António Paço diz:

    Alguém obrigou esse Sérgio Sousa Pinto a fazer esta figura de urso ou ter-se-á oferecido voluntário? E viram o risinho do Sócrates? Achou graça o Pinto de Sousa ao Sousa Pinto!
    O Francisco Louçã respondeu como quem joga noutra divisão, mas entrando em terrenos movediços, digo eu. Dar conselhos ao PS, inda por cima citando Mário Soares, pode fazer efeito na oratória parlamentar. Mas não é mester que se recomende. Por mim, não tenho conselho nenhum a dar ao PS. Apenas incitá-lo, como o arrais do Gil Vicente, a entrar naquela barca onde «a cadeira entrará, e o rabo caberá, e todo vosso senhorio»:

    À barca, à barca, senhores!
    Ó que maré tão de prata!
    Um ventozinho que mata
    E valentes remadores!

    • Carlos Vidal diz:

      «Dar conselhos ao PS, inda por cima citando Mário Soares, pode fazer efeito na oratória parlamentar. Mas não é mester que se recomende.»

      Seja em que contexto for, completamente de acordo, caro António Paço.

Os comentários estão fechados.