Sugestões musicais 2011 (III e IV)

PJ Harvey já passou por várias fases. Pelo lado mais cru e punk do início (a riot-girl). Pela vertente mais arty e sombria dos discos seguintes, com uma sensibilidade muito mais pop. Até ao seu lado mais frágil e cândido, com baladas góticas ao piano, em White Chalk. No novo disco, chamado Let England Shake, a compositora britânica volta a reinventar-se. É certo que há aqui vários elementos das últimas fases da cantora, mas há uma aposta maior na folk, numa perspectiva naturalmente enviesada e pouco convencional, como é característico de Polly Jean Harvey. Ao mesmo tempo que se direcciona, pela primeira vez de forma frontal, para terrenos políticos, com uma crítica subliminar à realidade britânica e global. Com o falsete e o breve, mas muito bonito, apontamento de piano, este tema faz a transição ideal entre White Chalk e Let England Shake:

 

Entretanto, neste início de 2011, tem-se falado muito de uma jovem britânica, (Brian Eno viu-a ao vivo e considerou o melhor o concerto de estreia que viu desde Patti Smith). Falo de Anna Calvi, que tem grandes semelhanças estéticas com  PJ Harvey, nomeadamente na sua interpretação mais teatral e remetendo-nos essencialmente para aqueles temas sombrios de PJ em que o som denso da guitarra tem um grande impacto. De um promissor disco de estreia, fica este excelente “The Devil”, que curiosamente tem o mesmo título que um tema de… PJHarvey

 

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.