O que eu gostava de saber de onde vêm estes 300milhões…

A Mota-Engil, a AICEP e a Caixa Geral de Depósitos constituíram esta sexta-feira uma parceria para o apoio financeiro e operacional à internacionalização das pequenas e médias empresas (PME), com um volume de investimento de 300 milhões de euros.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a O que eu gostava de saber de onde vêm estes 300milhões…

  1. a anarca diz:

    Apesar de abutres a mota engil está à rasca (ouvi dizer)

  2. É impossível que esteja à rasca. A empresa é “quase estatal” – não vá o seu CEO ser um dos boys preferidos do Partido Socialista. Se um cidadão estiver na rua sem dinheiro para comer, a Segurança Social não abre o cofre para lhe dar uma nota de 10 euros para ir ao Pingo Doce comprar meio frango de churrasco e um pacote de batatas fritas. Se a Mota Engil tiver em falência, o Ministério das Finanças abre-lhe o oasis todo para a salvar. É assim que funciona neste país.

    • soproleve diz:

      Estatal? Só se for os prejuizos…
      Os clientes são bons… A CP que o diga…
      Não interessa poupar, nestes casos importa é fazer circular o dinheiro para fora das empresas públicas… e fazer uns emprestimos para pagar a fornecedores tão carinhosos, e atenciosos…
      Há… como eu gostava ter uma empresa com clientes tão carinhosos…

  3. ricardosantos diz:

    o branco está a ficar corado

  4. antonio diz:

    O volume de investimento em causa – 300 milhões de euros – será aplicado nos primeiros três anos do projecto.

    Essa participação é repartida entre a Mota-Engil Indústria e Inovação (que assumirá no máximo 30% da participação), a AICEP Capital Global e a Caixa Capital que, conjuntamente, poderão assumir até 19%.

Os comentários estão fechados.