A queda da infantaria de Kadhafi e os rumores de uma ocupação ocidental da Líbia

Via Diario Liberdade

Ou vence a revolução ou a ocupação será inevitável. Khadafi, em qualquer dos casos, já perdeu, embora até morder o cianeto ainda vai castigar o povo líbio com mais banhos de sangue. Depois da Tunísia e do Egipto, e antes ainda do Iémene ou do Bahrein, uma das duas possibilidades será uma realidade. É ainda mais difícil avaliar a oposição líbia do que aquela que derrubou Ali ou Mubarak, e a capacidade de a manobrar será determinante quando o imperialismo decidir jogar os seus peões. Se os EUA e os interesses europeus no território não arranjarem maneira de manter aberta e barata a torneira do petróleo, pelo menos ao preço do louco de Tripoli, a infantaria que agora começa a deixar o velho regime não vai poder dar grande sossego às armas. A dissidência no entanto não deixa de ser assinalável. Quem perde a infantaria perde a guerra. É apenas uma questão de tempo. De muito pouco tempo.

Via Al Akhbar

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

4 respostas a A queda da infantaria de Kadhafi e os rumores de uma ocupação ocidental da Líbia

  1. How will the Egyptian and Tunisian revolutionaries respond? On one hand, liberals in the Arab world, including in Egypt and Tunisia, are already petitioning for no-fly zones, so there will be pressure on Arab leftists to go along with them on humanitarian grounds. On the other hand, failing to resist the imperialist intervention in Libya is not a viable option for the Left in Egypt and Tunisia, for the empire would use its Libyan venture to bolster the Egyptian and Tunisian armed forces and to push the two countries firmly back into the status of client states.

    What about the Left in the West? It may be safe to expect an even greater political confusion here in the belly of the beast than in the Arab world. There is already a sign of a tempest in a Marxist teapot, of just the kind seen, for instance, in the process of the dissolution of Yugoslavia, which may divert energy from the work of building opposition to the empire’s maneuver to bury the spirit of the Arab Revolt in the sands of Libya. At the same time, though, the memory of exactly what steps eventually led to the ongoing occupation of Iraq is still fresh in the minds of all on the left side of the political spectrum in the West. That may make it possible for us to set aside minor differences in analysis and focus on what matters most in practice: educating the public in the West about the costs of humanitarian imperialism, in Libya or anywhere else.
    Yoshie Furuhashi is Editor of MRZine.

  2. koshba diz:

    Qual revolução?a da privatização dos poços de petróleo,como no iraque?Pq é q no Egipto é necessária uma transição pacifica e,na Líbia às malvas o pacifismo do Obama(…).

    Abaixo o kadaffi,viva o rei!O rei dos ‘trescentos’ para a Shell,BP,…Quem se fode é o povo libio com uma ‘revolução’ colorida com o aumento da corrupção e os chineses…..não é doutor?

  3. Pingback: Saudi Freedom Fighters! | cinco dias

Os comentários estão fechados.