O amigo americano

Una vez establecido unánimemente por el Consejo de Seguridad de la ONU que Muamar Gadafi ha perdido toda legitimidad y merece acabar ante el Tribunal Internacional de La Haya, Estados Unidos se ha precipitado a entrar en contacto con las fuerzas rebeldes y a ofrecerles “cualquier clase de asistencia”, según anunció la secretaria de Estado norteamericana, Hilllary Clinton, que mañana se reunirá en Ginebra con sus colegas árabes y europeos para precisar y coordinar esa ayuda.

Os Estados Unidos que não reconhecem, para as suas violações do direito internacional, a soberania do Tribunal Internacional de Haia e que têm uma visão utilitária dos direitos humanos – veja-se o que se passa no Iraque e a sua abstenção no Conselho de Segurança durante a crise humanitária do Darfur – resolveram estender os seus braços para a Líbia. Não fosse o país um dos maiores produtores mundiais de pretróleo. É a conhecida diplomacia do sangue por petróleo, que deu espantosos resultados nos últimos anos, basta contar as centenas de milhares de mortos no Iraque.
Afinal, Fidel de Castro tinha razão quando alertava que, para além do comportamento do ditador (a palavra é minha) líbio, estava em causa a intervenção dos EUA nos assuntos internos de outro país, como forma de criar mais um precedente, para essas ingerências humanitárias, estendê-las a outros países, quem sabe se, num futuro próximo, a Cuba e à Venezuela.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a O amigo americano

  1. os bancos suiços só aceitam dinheiro dos ditadores quando estão na mó de cima

    quando deixam de estar congelam-no

    a confiança ou moções de desconfiança da ONU funciona na mesma

    curiosamente a Argélia e os seus governos massacraram 100 mil durante 2 anos
    e ninguém os pôs em nenhum tribunal internacional

    nem tantos outros despois pués

  2. maria povo diz:

    não tenhamos dúvidas de que Fidel tem razão…! a esquadra americana já toma posições no Mediterrâneo!! os navios de guerra iranianos também!! … a seguir será com Venezuela já várias vezes tentada com os chamados opositores… e até porque também tem o petróleo que os eua tanto precisam, e seguir será Cuba!! porquê?? porque sim!!!!!

Os comentários estão fechados.