Vicente Jorge Silva: «A liberdade paga-se com a precariedade»


Através do blogue sem punhos de renda, fui parar a este vídeo de um programa da SIC onde Vicente Jorge Silva diz que a liberdade se paga com a precariedade e que quem queira ter um emprego seguro tem de sacrificar a sua liberdade. Felizmente, um dia, esperemos que não longínquo, toda esta gente que sustentou este sistema político e económico há-de pagar pelo que fez à maioria do nosso povo. A exploração tem um preço e há-de ser cobrado.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a Vicente Jorge Silva: «A liberdade paga-se com a precariedade»

  1. Pisca diz:

    Depois do escarro Cor de Rosa, temos os vómitos desta peça, coisas que ficam de pequenino, dantes bolsava, agora vomita é da idade

  2. resumo diz:

    Eu qu’ até tinha consideração por este,vi agora, q é mais um cabrão sentado à mesa da manjedoura,onde come o aberto joão jardim e sus muchachos.É tudo da mesma laia com esta ‘liberdade de expressão’…

  3. Renato Teixeira diz:

    Pergunto-me se o Vicente terá algum dia trabalhado com liberdade… Santa ignomínia.

  4. antónimo diz:

    http://www.youtube.com/watch?v=XoI6SgvSj_w
    vale a pena ver e é fácil de perceber pois está num dialecto do português

  5. Luís Fraga diz:

    É por isso que as revoluções no mundo árabe nos devem fazer reflectir: liberdade! liberdade! viva liberdade!

    Esta é a típica, armadilha da burguesia: liberdade para quê? Para ser explorado, para ser torturado ou bombardeado? A liberdade sem justiça social (igualdade) não é nada, NADA!! Zero, nicles, vazio, niente, ().

    Se já sabemos o que não queremos ainda bem. Chamemos lhe o seu verdadeiro nome: capitalismo. Mas já é hora de construir alternativas. É hora de reclamarmos os que queremos efectivamente.

  6. Raul diz:

    Não gosto nada do vicente Jorge Silva. Mas ele tem razão. O problema é a quantididade enorme de pessoas que existem nos nossos dias que nem têm liberdade nem segurança. E aí ele não tem razão. De qualquer modo estou-me nas tintas para o senhor da “geração rasca” e etc….

    Aliás porque nunca o vi fazer nada de notável.

  7. Peço desculpa por discordar, mas eu vi.
    «O Comércio do Funchal», jornalinho côr-de-rosa, de bem antes do 25 do 4.
    Muito bom, e ajudou a formar muitas «consciências».

  8. advogados diz:

    N percebo pq xamam esta geracao de rasca. nc houve tanta gente c/ canudos como agr.

  9. V. KALIMATANOS diz:

    Mais outro agente Silva do “Capitalismo” desmascarado. O acontecimento-descoberta foi festejado ontem à noite com várias have-marias, pífaro, assobio e ameaças de vinganças no tradicional estilo do século XIX das barbas fartas e bocas farfalhudas. Pede-se aos senhores passageiros explorados ou em vias de exploração o favor de apertarem os cintos porque vamos levantar voo dentro de semanas.

  10. m diz:

    esse senhor é assim pró nojento , parece estar a gozar com pessoas que foram educadas a pensar que ” podiam ser o que quisessem” e deixando-lhes escolher livremente , para não “frustar vocações” e tal de psicologês , cursos sem saída ( mistério que escolham sempre os fáceis e sem matemática) , quando qualquer ser racional sabe que numa estrutura , a económica , em que todos são dependentes de todos , a liberdade é muito limitada. estão a pagar os efeitos de uma má educação e da qual não são responsáveis.
    ser livre , em termos económicos , dá muito trabalho : a tal coisa da autosuficiência , enxada e tal.

  11. Pingback: Democracia ou Segurança? @ semiose.net

Os comentários estão fechados.