Grande melão, ó Jorge Sá Couto!

“Líbia compra mais de um milhão de Magalhães – A JP Sá Couto, fabricante dos portáteis Magalhães, assinou na quarta-feira um memorando de entendimento com a empresa estatal líbia Electronic General Company para o fornecimento de computadores, formação técnica e construção de uma unidade de assistência técnica.”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a Grande melão, ó Jorge Sá Couto!

    • Bruno Carvalho diz:

      Não deixa de ser um grande melão. Um gajo a contar com mais uns trocos ao fim do mês para ter um barco na marina de Vilamoura. Não se faz.

  1. Ninguém diga que está bem.

  2. Carlos Vidal diz:

    Sempre que ouço falar neste Sá Couto lembro-me do sucateiro Godinho.
    Não sei porquê, mas vêm-me sempre à cabeça um e outro.
    Mas não sei explicar isto.

  3. Pingback: Tweets that mention Grande melão, ó Jorge Sá Couto! | cinco dias -- Topsy.com

  4. Isto não é simples.
    Lembro-me quando vivia no Porto de me ter deslocado a um lugar estranho nos arredores da Maia para comprar (na própria fábrica) um ‘portátel’ em tese feito cá, na realidade «assemblado» lá, a partir de ‘peças soltas’ que vinham da China ou da Conchicina ou assim. Por deferência, os gajús deram-me um ’tour’ lá pelas instalações. Montes de gajahs a ‘assemblar o produto. Pesadote, mas funkava, embora nada que se comparasse com o Tosh que eu tinha antes. Entretanto, ao fim de 12 anos de bons serviços, foi para um amigo meu reciclar o que pudesse dali.
    Também me lembro de um gajú da falecida FBP (armas ligeiras) me ter contado “Pah, não acreditas, andei de burro por montes e vales no Perú para ver se conseguíamos vender umas merdas a uns tipos que já não me lembro quem eram”. E no entanto a Fábrica Militar de Braço de Prata faliu na mesma.

    Moral da estória ? Não se pode guardar o bolo na despensa e comê-lo ao mesmo tempo. Tem que se fazer opções, e ter a noção que haverá sempre pessoas a sofrer com isso.
    🙁

  5. vitalino diz:

    Bueda fixe!
    Chávez cierra visita a Portugal con recorrido por fábrica de computadoras Canaima

    Grande melão, ó Bruno Carvalho!
    http://www.youtube.com/watch?v=io4bHM0OcLc
    http://www.reporte360.com/detalle.php?id=49647

  6. V. KALIMATANOS diz:

    Pois é, Nunito, os socialistas (e os comunistas, e outra beldroega miuda se tivesse oportunidade) quando estão à rasca metem-se em saladas dessas, muito sujinhas ou comprometedoras, a nível pessoal ou do Estado. De modo que, nesta parola sociedade da luta de classes e muito verbo, ou há imoralidade ou não comem todos.

    Assim, talvez seja uma surpresa para o meu amigo saber que o seu adorado Marx confessou em carta a seu tio Leão, em 1864, ano do manifesto, se não estou enganado, que tinha feito umas quatrocentas librinhas na bolsa, e que aquilo era realmente uma mina, pena ele não ter tido mais caroço para investir. Coisas que estão no sangue das pessoas… Isto já para não se falar (abaixo as más linguas!) duma doce herança recebida dum seu admirador equivalente a uns duzentos salários anuais de operários daquele tempo.

    Já entre os seus inimigos tradicionais do seu PC, a conversa, de vez em quando para alegrar o olho à direita, é diferente. Tomemos, como exemplo, o reaccionário DeGaulle que renunciou a todos os privilégios de antigo presidente da França (o melhor deles todos, de facto, de antes e depois, incluindo os gajos da Frente Nacional) e foi morrer na obscuridade e teso e aquecia-se metendo um moedita de vez em quando no contador da electricidade.

    É uma puta esta vida.

    • Camarro diz:

      Para si, os comunistas têm que ser todos pobres… Belo raciocínio! E já agora o Manifesto do Partido Comunista foi escrito por Marx e Engels em 1848.

      163 anos depois, para seu desgosto, ainda cá andamos! É uma puta esta vida!

  7. l'outre diz:

    Independentemente de Khadafi ser um ditador sanguinário e de Sá Couto ser um trafulha de primeira, a perda de um contrato internacional, que iria gerar (algum) emprego em Portugal, não é motivo para se andar a dar pulos de felicidade.

    Que mal tem vender computadores para a Líbia (ou outro país qualquer)? Se ainda fosse armas ou outros instrumentos de repressão, agora computadores projectados para crianças …

  8. mesquita alves diz:

    Cheira-me que o Bruno e 90% dos excelentes comentadores deste post, vão estar na manif Deolinda contra o desemprego. Não se tratem…

Os comentários estão fechados.