Lições de democracia partidária

Depois de apurada investigação parece que houve uns quantos segredinhos para que a moção de censura do BE não fosse discutida na sua Mesa Nacional, e apenas na Comissão Política, reservada aos mais fiéis. Já Paulo Portas, depois de uma vitória à Kim Il Sung, anunciou que decidiria o sentido de voto depois de ouvir os deputados. Passos Coelho, sem reunir qualquer órgão que se conheça, também já fez saber que os seus deputados se irão abster.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Lições de democracia partidária

  1. Augusto diz:

    Depois de apurada investigação, soube-se que a decisão de avançar com Francisco Lopes á Presidência da Republica, foi tomada pelo próprio, com o acordo do Jeronimo de Sousa e mais dois amigos…..

  2. Luís Fraga diz:

    Tenho pena de si Augusto. Acho que nem você acredita nas suas mentiras.

  3. Bruno Carvalho diz:

    Por acaso, foi discutida e aprovada pelo Comité Central…

  4. antónio diz:

    Com que percentagem foi eleito Jerónimo de Sousa!?

  5. António Fonseca diz:

    foda-se que merda de comentário. “vitória à Kim Il Sung”? quer merda é esta? estás a comparar os fascistas do CDS à RPD Coreia? para que é que foi isto? ganhaste alguma coisa com isso para a ideia de que estavas a falar? Tens algum problema com a Coreia? Gostavas que os camaradas do Partido fizessem comentários à vida do PCP?
    os trabalhadores portugueses devem ter ficado muito mais esclarecidos com essa imagem…

  6. ui diz:

    Por acaso Passos até reuniu a comissão política e foi discutir a coisa com o grupo parlamentar. por acaso.

  7. Santiago diz:

    PSD: Partido Social-Democrata
    Nas últimas eleições para a presidência do PSD apareceu um candidato de nome Castanheira Barros que teve a ousadia de falar de social-democracia dentro do partido imagine-se…pelos vistos foi tomado por um louco e ameaçado de expulsão…

Os comentários estão fechados.