A moção do BE é de censura ou de confiança?

A questão crucial nesse momento é: vai o BE seguir em frente com essa fantochada de lançar uma monção de censura e pedir encarecidamente ao PSD que vote contra, ou seja, uma moção que pela sua acção derrubaria o governo e pelo seu conteúdo denunciaria o PSD de maneira a garantir e dar argumentos para que um e outro vote contra? Ou vai o BE, ainda que tarde, trabalhar honestamente para derrubar esse governo com uma moção “simplex” do tipo: “censuramos o governo por não cumprimento do seu programa eleitoral” ficando os considerandos a cargo de cada bancada. Se essa fantochada for adiante, conforme já nos anunciou a direcção do BE, a única coisa que ficará clara não será o papel da direita enquanto garante da governabilidade do PS mas sim o papel do BE na prossecução dessa legitimação.

Ler o resto na Rubra

É que de outra maneira o “ai meu deus que vem aí a direita” do Francisco Louçã é apenas um medo que se ouve da boca dele próprio, o que nos diz o fantasioso Fazenda quando larga a graçola de que o PS está “podre” e o que nos garante o efusivo Miguel Portas ao afirmar que “esta é uma moção táctica de alcance estratégico”, que “recusa inevitáveis” e uma vez “aprovada, trará eleições num tempo que não é o preferido pela direita e onde o socratismo terá reduzida margem para chantagear com o voto útil” é apenas parole, parole, parole.

É fácil provar que se quer derrubar o governo e nem se precisa de ir além da  cobrança da promessa da criação de 200 mil novos empregos, um dos muitos compromissos eleitorais que ficaram por cumprir. Em qualquer dos casos Jorge Costa nunca terá razão quando se queixa que sobre o Bloco caí o peso de estar a fazer “jogo político, manobra, tacticismo, irresponsabilidade”, em suma, “uma trica parlamentar”. Lamentavelmente e se o BE persistir em tratar o PS como um parceiro de esquerda estará também a ser responsável pela continuidade de um governo de direita. Da mais pragmática de todas as direitas.

A escolha é simples. Em que é que ficamos?

PS: Entretanto mais dois militantes, Paulo Silva e Isabel Faria, abandonam a Mesa Nacional, e um deles anunciou que não participará do próximo congresso. À mulher de César não basta parecer séria…

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

44 respostas a A moção do BE é de censura ou de confiança?

  1. Renato, não é que seja muito importante, mas depois de passar o início da noite a ouvir “inverdades”, permite-me que te corrija.
    O Paulo Silva não deixou o Bloco e eu também não. Disse na MN do dia 5 e reafirmei hoje que não irei à Convenção, não farei, pois parte de nenhuma Moção ou lista para a Direcção e que farei depender a minha continuação no BE, como militante, do que lá se passar…
    Acho que é uma posição muito mais emocional que racional (não sou ingénua…), mas…é assim.
    Ah e sim. É mesmo por uma questão de seriedade.

    • Renato Teixeira diz:

      Eu não disse que o Paulo Silva abandonou o partido, apenas que saiu da Mesa Nacional. A informação relativamente à tua declaração apenas intui isso por teres dito que não participavas no próximo congresso. Não vejo que outra interpretação se poderia tirar daí, mas está feita a rectificação.

  2. LAM diz:

    Renato, a ver se nos entendemos: como vai constando por aí, as vozes críticas no capítulo “Moção, parte I, O Anúncio” é mais o sector alegristó/Zé que Faz Falta.
    Isto porque me parece ver por aí alguma sintonia que não estou a compreender, vindo d quem vem e para quem vai.
    Esclareçamos o mundo, portantos!

    • Renato Teixeira diz:

      É só ler a posta LAM. Se é para fazer cair ainda vai a tempo de emendar a mão. Se for para alimentar o forrobodó parlamentar, é deixar tudo na mesma. Não costumo medir o que penso da vida com o que querem ou deixam de querer os Zés que fazem falta.

  3. Renato, eu disse que não era importante e pensei que te referias a mim. Não havia nenhuma necessidade de rectificares. O fundamental é que, de facto, o Bloco continua a perder militantes…e que não parece minimamente preocupado com isso…
    Um abraço.

    • Renato Teixeira diz:

      Todas as rectificações são necessárias. 😉 Mas fiquei sem perceber, Isabel. Porquê não participar do próximo congresso se te manténs no partido?

      • Renato, cada dia acredito menos que seja possível mudar o Bloco. Daí fazer parte duma moção, duma lista, parece-me uma enorme perda de tempo e, sobretudo, de energia.Que me é necessária para outras lutas.
        Mas como disse na reunião do dia 5: “Não estarei presente na próxima Convenção e manter-me-ei, para já, aderente do Bloco com a esperança que a Convenção de Maio, arrepie o caminho para o suicidio político pelo qual a Maioria conduziu o Partido.”
        Digamos que é a minha veia crente a funcionar…:)

        • Renato Teixeira diz:

          Na minha terra quando se mata o borrego ou se come ou se enterra. Nunca se ouviu ninguém guardar a carcaça. Diz que faz mal à fé. 😉

  4. Augusto diz:

    Renato Teixeira , não misture alhos com bogalhos, a Isabel Faria há muitos anos que tem desacordos com o rumo do BE , e por várias vezes escreveu que iria sair, tomou a decisão agora, NADA TEM A VER COM APRESENTAÇÂO DA MOÇÂO DE CENSURA.

    O Paulo Silva que apresentou na ultima Convenção uma moção que obteve 2,5% de votos, esse sim , tomou a decisão motivado pela apresentação da moção de censura.

    Afinal são dois militantes que decidiram sair , é pena , mas ninguem os expulsou, parece que umas dezenas de militantes do CDS abandonaram o partido nos ultimos 15 dias, sem que a comunicação social tenha dado a isso qualquer relevo.

    Quanto ás fontes bem informadas, é triste continuar a utilizar esse tipo de estratagema, não há fontes, há aderentes, que dão informações e têm nome.

    Afinal no BE as opiniões são livres, o Miguel Portas deu a sua opinião, o Daniel Oliveira tambem, e as duas são divergentes uma da outra.

    Mas afinal porque é que a moção do BE incomoda tanto.

    O CDS , o PSD o PCP já não tinham ameaçado apresentar moções de censura….

    Até parece que havia algum conluio ….

    O BE avança e parece que caiu o Carmo e a Trindade.

    Será por que o BE coerentemente entende, que uma moção de censura ao governo de Socrates, é uma moção de censura á sua politica de direita, e a quem a tem apoiado no Parlamento?

    Ou querem uma moção que só diga que o Socrates é pior que cuspir na sopa, rua com ele, para todos poderem votá-la

    Sejamos sérios, a não ser que o PSD o CDS e o PCP tivessem preparado em segredo uma moscambilha, para aprovarem em conjunto uma moção de censura, fosse ela do PCP ou do PSD, não vejo outro motivo para tanto estardalhaço.

    Mas certamente os proximos tempos vão esclarecer muita coisa…..

    • Leo diz:

      “O CDS , o PSD o PCP já não tinham ameaçado apresentar moções de censura….” ????

      Não, parece que ninguém tinha ameaçado apresentar moções de censura. E o próprio Louçã alegou “Sabemos que no dia em que estamos a discutir não tem qualquer utilidade prática a apresentação de uma moção de censura” .

      Louçã disse isto numa Sexta-feira, Pureza repetiu na Terça-feira seguinte para logo Louçã, dois dias depois, na Quinta-feira, anunciar a sua moção de censura, para daí a um mês e de imediato saltar Pureza a pedir encarecidamente ao PSD que não a viabilize.

      Toda esta trapalhada em apenas uma semana é obra. E um bom exemplo do paradigma do verbalismo radical de tendência oportunista.

    • JMJ diz:

      O gozo geral vem da forma como as coisas foram feitas. Num dia é uma coisa, 4 dias depois é o oposto. Num dia uma moção é oportunismo, no outro dia é absolutamente necessária!

      Não é polémica, é gozo. Não é uma decisão de um partido. É uma atitude que alguém dentro do Bloco tomou e anunciou sem, pelos vistos, consultar os orgãos necessários.

    • Renato Teixeira diz:

      “Ou querem uma moção que só diga que o Sócrates é pior que cuspir na sopa, rua com ele, para todos poderem votá-la.”

      É mais simples Augusto. A moção basta dizer que não cumpriu com o programa eleitoral. Isso faria com que toda a oposição estivesse de acordo e permitia que cada um a fundamentasse como entendesse. Nesse caso ninguém se lembraria de acusar o BE de estar a fazer jogo duplo.

    • António Figueira diz:

      Às vezes apetecia-me escrever um post sobre o uso das reticências em Augusto, têm tanto que se lhe diga, são tão datadas! São o produto combinado de uma visão conspirativa da história e de uma pretensão desmistificadora e desocultadora que, obviamente, respiram ambas insanidade. O autor não tem, parece evidente, noção do carácter ultra-sectário do seu discurso contra o sectarismo; aliás, por ex., as referências a Eanes como chefe do “golpe contra-revolucionário” do 25 de Novembro, a par da sua defesa, mesmo contra toda a evidência em contrário, do carácter libérrimo do BE (pequena contradição que lhe escapa, é claro), levam-me a acreditar que ele é um daqueles zombies políticos que o Paulo Granjo descobriu recentemente (tese que a qualidade da sua escrita também corrobora): eu atrever-me-ia a classificá-lo como um m-l dos anos 70 não aggiornato, com um problema de fundo em relação ao PCP, e que não tem tanto que ver com a essência do PCP, mas mais com o facto de ele e os outros como ele não mandarem no PCP.

      • Leo diz:

        Sim, o Augusto é dos que só com a ideia do PCP desata a salivar mas não é caso único. Basta ver a reacção da Comissão Política do BE ao pensarem-se ultrapassados por uma simples ideia abstracta do PCP. O desvario foi tal que estamparam-se ao comprido e não o querem admitir ainda. Mas é isto que explica tanta asneira junta.

      • Renato Teixeira diz:

        Ufa. Três pontos e meio essa merda. No Domingo o chá verde é por tua conta!

        • Renato Teixeira diz:

          E os pontos finais do Leo, hein? Esta casa devia fazer um debate online entre os dois.

          Dava qualquer coisa assim:

          Augusto: …
          Leo: .
          Augusto: …
          Leo: .
          Augusto: … … … … …
          Leo: .
          Leo: .. . .. . .. . .
          Leo: .
          Leo: .
          Leo: . . . .
          Augusto: …
          Augusto: …
          Augusto: …
          Augusto: …
          Leo: . . . .
          Leo: .
          Augusto: …
          Augusto: …
          Augusto: …
          Leo: .. . .
          Augusto: …
          Leo: . . . .
          Augusto: … … … … …

          Leo: PCP!PCP!PCP!PCP!
          Augusto: BE!BE!BE!BE!

          • António Figueira diz:

            🙂
            Eu já expus a minha tese: o Leo faz o jogo da reacção, é tão implausível que ele consiga ganhar os hearts and minds seja de quem for com aquilo que escreve que a única hipótese lógica é mesmo a de que ele está feito com o inimigo; quanto ao Augusto, acho que ele é um “ganda maluco” (pior ainda que do que tu), um UDP fora de prazo (um “pop”, dizia-se na minha altura) que torna claro em cada comentário que faz a sandice que o domina e a natureza intrínsecamente negativa e irrelevante da força política que ele agora faz sua.
            Pago-te o chá verde mas é o caraças! Abraço, AF

          • Renato Teixeira diz:

            Nah, para o bem e para o mal eu sou um quebra hearts and minds. 🙂

          • Leo diz:

            Alguma razão deve ter havido para os gajos da Comissão Política do BE se terem passado dos carretos. Quem os conhece sabe que o que eu disse faz sentido.

          • Renato Teixeira diz:

            . . . . . . . . . . .
            PCP!PCP!PCP!

  5. Augusto diz:

    Corrigo , Peço-te desculpa Isabel Faria e por extenção ao Paulo Silva afinal o BE continua a contar convosco pelo que dizes.

    Mas em relação ao Paulo Silva toda a imprensa falava numa carta registada , e os motivos apresentados eram a apresentação da moção de censura e a forma como tinha sido feita.

    Pergunto-te frontalmente Isabel Faria quem fez chegar informações tão precisas neste momento a todos os meios de comunicação social.

    Do Publico, á Lusa, do Sol, ao Expreso, passando pela TVI , o DN , o JN, o I a SIC , TSF ,
    há alguma conspiração contra o BE……

    Ou serão as fontes bem informadas do Renato Teixeira….

  6. Augusto, não vi nenhum orgão de CS a falar em carta registada. O Paulo enviou um mail para o Correio da Mesa, que ainda nem foi distribuida pelos mesários.. Foi o que ele disse, que eu ouvi e que eu sei. Não faria nenhum sentido encviar uma carta registada. Onde viste isso?
    Quem fez chegar a informação à CS eu não sei. Sei que o Paulo também não sabe. mas como isso acontece tantas vezes, já não me surpreende. Eu costumo saber o que se passa nas reuniões da CP pela CS…e grande parte das vezes atarvés de uma “fonte”.

    Acho engraçado que digas que sairam dois militantes…mas que depois aproveites para falar na percentagem da Moção B…mas isso sou eu.

    Só mais uma clarificação: se não tivesse anunciado na última Mesa Nacional que ia sair, tê-lo-ia feito agora com a forma como a Moção de Censura foi apresentada.
    E repito que me estou a referir à forma como foi apresentada. Não à existência da Moção de censura.
    E é essa também a posição do Paulo. Pelo que fica claro nas declarações que faz e, já agora, porque como os dirigentes do Bloco não se cansaram de apregoar por tudo o que era lugar, aquando do apoio à candidatura de Alegre, fomos os dois votos contra esse apoio na Mesa nacional. Estranho seria se fossemos contra a apresentação de uma Moção de censura a Sócrates quando há um ano votámos contra o apoio ao candidato de Sócrates..

    .

  7. xatoo diz:

    “o Bloco continua a perder militantes…” e votinhos, votinhos, votos! como se verá adiante. O Bloco social democrata é o PRD do nosso tempo – um saco de gatos inviável

  8. Augusto diz:

    Isabel como podes ler , diariamente, os adversarios do Bloco de Esquerda, aproveitam-se de todas as inverdades para decretarem o fim deste projecto.

    Tu sabes muito bem, que desde o inicio existem divergências, e digo-te ainda bem, para seitas religiosas, basta as que já temos.

    Sabes muito bem que o BE sendo constituido por pessoas livres, que não aceitam trelas, e que prezam acima de tudo a sua liberdade de pensamento, construir um projecto com essas carateristicas seria ( é ) sempre um risco.

    E ao fim de dez anos cá estamos, com todas as nossas contradições, as nossas divergências, mas acima de tudo, pelo menos no meu caso, tendo a certeza que na ESQUERDA EM PORTUGAL continua a ser o ÚNICO projecto com futuro.

    Não te vou dar lições, quem sou eu para isso, vou-te lançar só um repto, é em momentos destes que quem se revê BE, deve sair em sua defesa, a moção pode ter sido lançada de forma atabalhoada, o Pureza pode ter sido politicamente inconsequente na conferência de imprensa que deu a seguir, mas a MOÇÂO DE CENSURA é uma necessidade imperiosa, separa as águas, e espantoso conseguiu unir do CDS ao PCP TODOS CONTRA o Bloco de Esquerda.

    E por isso conto contigo e com o Paulo Silva nos proximos tempos , para desmascarar-mos este ataque do Bloco Central, e dos tachistas a eles associados, contra o BE.

    Na Convenção onde espero que estejas presente , será a altura para nos degladiar-mos , no BOM SENTIDO, para se procurar um caminho de futuro para este projecto, mas neste momento é altura de cerrar fileiras.

    Espero que compreendas o que aqui escrevi, se não estiveres de acordo, tenho pena , mas a vida continua, e certamente espero encontrar-te nas batalhas diarias contra a direita, TODAS AS DIREITAS.

    • Renato Teixeira diz:

      Augusto para si o BE é um verdadeiro LSD e este seu comentário faz lembrar o discurso do Santana Lopes depois do golpe de estado do Jorge Sampaio. Sinceramente. Quanto aos ataques que o BE tem feito nenhum tem sido tão letal como os que partem dele próprio.

    • Leo diz:

      “espantoso conseguiu unir do CDS ao PCP TODOS CONTRA o Bloco de Esquerda.” ???

      É capaz de me dar um exemplo?

    • A.Silva diz:

      Senhor Augusto mais seriedade se faz favor; “conseguiu unir do CDS ao PCP TODOS CONTRA o Bloco de Esquerda.”
      Isso é rotundamente falso e das duas três ou demonstra a sua parte ignorância ou desonestidade intelectual.
      O PCP, nas declarações que fez até agora em relação à dita moção de censura, manifestou abertura para a viabilizar e essa é a verdade.
      Se alguma censura os comunistas fazem a esta trapalhada da moção de censura do BE, é o facto de ela mais se parecer com uma moção de confiança a Sócrates do que outra coisa.
      Entendam-se!

  9. A.Silva diz:

    … ou demonstra da sua parte ignorância ou desonestidade intelectual.

  10. CausasPerdidas diz:

    Eu tenho menos certezas e espero para ver.
    O meu desejo é que a moção seja tão genericamente antigovernamental que até as baratas da cozinha do parlamento não tenham razões para votar contra. Se o/a “garganta funda da mesa nacional do BE” funcionar em sentido contrário, que faça lá chegar esta ideia.

    Entretanto, não posso deixar de assinalar a enorme “frente popular” que junta estalinistas de diversas matizes ao governo social-liberal, mais os reaccionários da imprensa e os direitistas deste país contra o Bloco de Esquerda. Caramba, tanto por coisa tão “insignificante”, “desprovida de sentido” e, sobretudo, desconhecida.

    • Leo diz:

      “não posso deixar de assinalar a enorme “frente popular” que junta estalinistas de diversas matizes ao governo social-liberal, mais os reaccionários da imprensa”

      Essa vai direitinha para os seus colegas bloquistas, excluídas as estrelas pró-moção: Louçã, Jorge Costa, Miguel Portas, João Semedo, José Pureza.

    • Renato Teixeira diz:

      Se calhar é porque a coisa é mesmo absurda. Já pensou nessa possibilidade?

  11. O Beirão diz:

    Alguém me explica que porra de partidocracia é esta em que um partideco da extrema esquerda – estilo quanto mais caos político/social melhor – anuncia apresentar uma moção de censura contra a própria ‘oposição’? E não contra o governo que, garantidamente, não honrou o manifesto político com que se apresentou a eleições, faltou a todas as promessas e, pior, levou o pais para o fundo do poço financeiro e conómico, com isso, está claro, hipotecando o futuro dos nossos filhos e netos?

  12. LAM diz:

    só mais um pormenor. Com quem é que o BE teria aprendido na apresentação de moções “para empatar”?
    http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/mocao-de-censura-do-pcp-e-dirigida-ao-governo-e-psd_1437751

  13. Luís Fraga diz:

    Sou militante do PCP, mas tenho amigos do Bloco de Esquerda. E neste momento só posso parafrasear Almada Negreiros: o que lhe parece (neste caso Bloco de Esquerda)? Tenho pena…

    Espero que as pessoas de esquerda e pessoas sérias que ainda existem no Bloco consigam livrar-se da trupe de palhaços que neste momento dirige esse partido.

    Se somos de esquerda devemos censurar este governo sim e perceber de uma vez por todas que PS=PSD (e o único mal menor entre estes é que os deputados de esquerda não vivem no mundo real do desemprego e dos recibos verdes, onde essa equação se torna mais clara), mas outra coisa completamente diferente é andar a brincar às moções e aos parlamentos e ao “apanha-me se puderes” com o PCP.

    É que nem o tiririca da Madeira consegue ser tão palhaço.

  14. Daniel Nicola diz:

    Bem, se é para esclarecer, aqui está uma boa oportunidade:
    http://www.facebook.com/pages/esquerdanet/119265671466501
    “Hoje às 22h João Semedo, deputado do BE responde em directo. Envia pergunta p/ directo@nullesquerda.net ou (aqui) no Facebook.”
    Damage control?
    entretanto, ouço na RTP o anúncio da entrevista de Judite de Sousa a PPCoelho. Algo tipo “a moção é do BE, mas a decisão está nas mãos do PSD”. Já vão tarde…

Os comentários estão fechados.