Num simpatizo nada cús dias dús n@morados… imbora abra excepeções em Paris, em Buenos Aires e nu Cairo.

…nem c o dia do pai e menos ainda cu da mãe, (mãe não leva arroba, acho, siga) que puta de equiparação, eu k sou pai sei k terei sempre – trabalho (mas também não sei se leva). Também ñ gosto do natal nem do dia da nossa senhora d’Fátima nem da Rainha Santa. Se alguém falar mal dela pode mas eu virei sempre aqui a rebate k sou gajo de ética repúblicana de folegô, para além de bom amigo. Não sei o k diga… São gostos. E gostos ñ se discutem. Ou discutem. Tem dias. E gostos. Tem horas. Já gosto mais do 1º de Maio, do dia dos mortos ou mesmo do entudo. Escreve-se assim não é? Sei lá… gosto por causa da festa. Acho… E da memória… Também não gosto do dia dos meus anos embora prefira o dos outros quando não me esqueço deles… acontece sempre e é muito xato. k me desculpem ou k me lembrem se lhes for muito importante. Gosto de direitos para todos e k todos gostem dus meus direitos. Nem sempre acontece. É uma porra. Se há coisa mais fuleira no movimento LGBT, p@r@ lá d@s arr@b@s, é o de reivindicar ú direito aos mais balofos patrìmóníos da heterossexualidade e de dizerem quase sempre que género preferem foder antes do nome próprio ou de uma ideia. Dú casamento ao disparate dos carinhos com data marcada (sou assim a modos k kontra a imposição do calendário aos mimos e gosto do amor o ano inteiro). Do batizado hás bodas do Sãnto Antònio. Da monogamia a ferros ou da bigamia a modas, à pretensão, em qualquer caso obtusa, da normalidade. E agora também hás Kapas e às batinas como bem lembrou o Yuri. Digo isto assim sem links. Sem merdas. Sem nada. Desta maneira não arranjo cunfussões e também não tenho k me preocupar c a cualidade da iscrita. Ouvístes pá? … espero k sim. Caralho. Já disse “viva o Egipto” nesta posta? E que prefiro k sejam eles a iscolher ú futuro do que os nossos mais profundos ans(rec)eios? E k não aprovo mais tralha nenhuma do necrófilo Serras Pereira? Já me isquecia. Também gosto da revolta em Riade. O k dirá u Obama de ela? E os tudoquenãoétralhademocraticofóbicos?

Cordialmente.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Num simpatizo nada cús dias dús n@morados… imbora abra excepeções em Paris, em Buenos Aires e nu Cairo.

  1. Marota diz:

    Ó Ricardo não seja tão bera… olhe que nem todos são assim tão intelectuais com vossemecê. Eu por exemplo não fui dotada com o mesmo intelectualismo que o Ricardo, no entanto não deixo de gostar de mandar de vez em quando as minhas bojardas. Já viu o que serio o mundo cibernético sem uma marota como eu?

  2. João Peneda diz:

    O mais velhinho dos dois tem um sorriso particularmente nojento

Os comentários estão fechados.