USA e abUSA

O enviado de Obama ao Egipto trabalha para Mubarak.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a USA e abUSA

  1. Olaio diz:

    Deve trabalhar para o MuBarak Obama.

  2. Carlos Vidal diz:

    Mas trabalha no sentido de estabelecer uma verdadeira democracia na sociedade egípcia.
    Ou não será?

  3. l'outre diz:

    Isto também não é bem assim. O senhor Wisner, o enviado dos EUA para o Cairo, é funcionário de uma empresa de advocacia cuja clientela é, entre outros, o estado egípcio. Wisner não trabalha directamente para Mubarak, mas sim para uma empresa que tem negócios com o estado egípcio. Nem se sabe se este senhor está directamente envolvido nestes negócios. Isto é um problema de conflito de interesses e eventual ilegalidade. Não reflecte em nada a posição dos EUA ou de Barack Obama sobre o Egipto ou Mubarak.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Que o homem vá defender que Mubarak se deve manter, não deve ter nada a ver com o facto da empresa para que trabalha ter toda a vantagem em que Mubarak se mantenha e/ou em escolher o homem que se segue.

      • l'outre diz:

        Talvez tenha, talvez não. Repare que a empresa para a qual trabalha foi contratada pelo estado egípcio, não pelo “cidadão” Mubarak. Não vejo nenhum motivo para que o estado egípcio não mantenha (ou renegoceie) esse contrato no período pós Mubarak.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Parece-me que uma das questões fundamentais dos manifestantes é a ténue diferença entre o estado e a família Mubarak. Um pouco como a nossa ténue diferença entre o Estado e os caciques do centrão.

  4. Augusto diz:

    Hoje parece que temos debate sobre o Egipto no Prós e Contras da RTP…..

    O Der Spiegel diz que Mubarak vai para uma clinica da Alemanha em tratamento prolongado…Uma maneira airosa de correrem com ele….

  5. susana diz:

    um escassómetro, então.
    é extraordinário. ainda não devem ter percebido, devem ter pensado que ninguém iria descobrir as ligações.

Os comentários estão fechados.