Entre o boçal Santana Lopes e o corporativo João Magalhães prefiro o que fala com alguma verdade à mistura e o que não esconde ao que vem.

Obama em visita oficial ao Egipto

Santana Lopes tem todos os defeitos do mundo e entre eles contam-se, lembramos-nos bem, o de não ter nenhum respeito por manifestações populares e o de dizer com grande convicção tudo o que lhe sobe à boca sem nenhuma inteligência. Sobre o Egipto esteve portanto igual a si próprio. Afirma que milhões são milhares, o que matematicamente  até nem é errado, e que tudo não passa de “fenómenos estranhos”. No meio da ignorância presunçosa, o menino guerreiro consegue dizer uma coisa que faz sentido: nas declarações desta madrugada, Mubarak não acrescentou nada de novo pois o anúncio de que não se recandidatava só deve ter surpreendido o filho que viu que a promessa do seu pai, feita há dois anos, não era tão certa como se pensava.

João Magalhães é de outra laia. Este capanga do socialismo democrático, incapaz de, como o outro, esconder a falta de conhecimento com o excesso de ego, alerta o 5dias que do Egipto não se deve esperar grande coisa e que devemos moderar o entusiasmo pois da revolução apenas poderemos contar com “o radicalismo islâmico ou a democracia capitalista”. Talvez por ter cantado demasiadas vezes a internacional com o Ben Ali e à imagem de Obama no vídeo acima, o Magalhães (só pode ser gozo este pseudónimo) mostra-nos que nos mentia sempre que os seus partidos assumiam a liderança de Mubarak como representante de um Estado democrático e capitalista. Por entre os dedos escapa-lhe o tenebroso desejo que, entre as duas coisas que diz estarem na ordem do dia para o futuro do Egipto, a sua preferência irá, está visto, para o antigo regime. Da minha parte vou continuar sem arriscar previsões em matéria de Períodos Revolucionários em Curso mas fico a torcer para que a Internacional Socialista não desempenhe nas avenidas do Cairo o triste papel que assumiu nas vielas de Lisboa.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

4 respostas a Entre o boçal Santana Lopes e o corporativo João Magalhães prefiro o que fala com alguma verdade à mistura e o que não esconde ao que vem.

  1. Esse Magalhães não sei quem seja, nem quero saber.
    Dois dos meus manos (que são de direita…) dixeram-me a alcunha do outro nos círculos lá deles era “Sacana Lopes”, porque o dito senhor aparentemente era «especialista» em deixar dívidas por todo o lado onde passava….
    Não tenho felizmente experiência directa.
    Info. em 2ª mão vale o que vale…

  2. Diogo Agostinho diz:

    Caro Senhor da Inteligência Suprema Renato Teixeira, a vontade é tanta de comentar o que diz o homem, que lhe escapam os erros. De facto, quando a inteligência está a este nível o que esperar de brilhantes posts como estes?

  3. Antónimo diz:

    Eu cá tb sou magalhães (o nazi do cds é meu homónimo) mas deixei de usar depois de ter dito no arrastão que o pacheco pereira nunca trabalhou na vida. já me enxovalhavam o nome por isso, nada como um pseudónimo.

Os comentários estão fechados.