Jordânia

Jordanian activists rallied outside government offices Saturday as they tried to step up their campaign to force Prime Minister Samir Rifai to step down.
Inspired by unrest in Tunisia and elsewhere in the region, about 200 Jordanians gathered outside the prime minister’s office shouting “Our government is a bunch of thieves” and holding banners reading “No to poverty or hunger.”


King Abdullah of Jordan, a close U.S. ally, Tuesday replaced his prime minister after protests over food prices and poor living conditions, naming a former premier with a military background to head the government.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Jordânia

  1. Tiago Mota Saraiva, algum dia terás que ir lá ver a ‘coisa’ ao vivo e a côres.

    Akilo país resulta de umas partilhas feitas por anglios e frenchies depois da 2ª guerra mundial.
    80 a 90% da coisa é deserto, vivem para lá uns beduínos que podem ser simpáticos ou não.
    Na parte fértil acotovelam-se muitas pessoas, uma boa parte das quais são refugiados palestinos, e a maçada é que os gajús/as são refugiados mas são muito superiores aos nativos, e quer uns quer outros se dão conta disso, aí de quando em vez sarilhos acontecem…

    O tipo que lá está tem a única força militar de que valha a pena falar, feita por oficiais ingleses (foram os únicos que ganharam uma batalha contra Israel nos idos de 1900 e quarenta e por aí)
    Trata-se ou tratava-se da Legião Árabe, muito bem armados, muito bem treinados, e às ordens do rei. O grosso da tropa são beduínos, portanto a lealdade deles é para com quem lhes paga.
    Agora faz as contas ao que pode acontecer.

    🙂

Os comentários estão fechados.